LONGEVIDADE: o etarismo (ou idadismo) estaria perdendo força? Parece que sim. Confira!

Imagem: greenme.com.br

No início do mês passado, voltei a focalizar aqui no blog o preconceito social existente contra pessoas de idade mais avançada, o chamado etarismo, que parece ser observado com maior frequência nos países ocidentais, a exemplo do que se nota no Brasil. Claro que os estereótipos contra idosos, acintosos ou mesmo sutis, estão disseminados e acabamos, no geral, nem nos dando conta disso.

Ainda bem que, graças ao real aumento da expectativa de vida das populações, decorrente do fenômeno da longevidade que avança pelo mundo, essa situação começa a incomodar mais e, creio, tende a ser minimizada.

Como uma mostra desse novo tempo para os maduros, tendo por objeto o público com idade após os 50, e levando em conta as perspectivas que vão se ampliando em termos de ocupação de espaço e de empregabilidade, destaco matéria muito bem produzida, com o título “Idade não é documento: movimento contra etarismo está em evidência“, publicada pela veja.abril.com.br, dia 25 de fevereiro.

A publicação realça que alguns maduros estão quebrando preconceitos em vários setores, na área artística, na moda, nos esportes, além de indicar uma acentuada expansão no volume de contratação de profissionais acima de 40 anos, em 2021, especialmente no Brasil.

Portanto, temos aí uma matéria interessante, com boas novas, a indicar que está em curso uma movimentação intergeracional que ganha corpo e, não resta dúvida, assim seguirá, quebrando paradigmas.

Leia clicando no link abaixo:

https://veja.abril.com.br/comportamento/idade-nao-e-documento-movimento-contra-etarismo-esta-em-evidencia/

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações, Psicologia e comportamento e marcado , , , . Guardar link permanente.

4 respostas para LONGEVIDADE: o etarismo (ou idadismo) estaria perdendo força? Parece que sim. Confira!

  1. lulaborda disse:

    Na verdade esse preconceito existe e é bem forte no ocidente. Não se respeita o idoso e muitas vezes, nem é preciso ter a idade avançada; basta que alguns sinais no rosto apareçam, ou os cabelos brancos comecem a sair. Se percebe isso mais forte nas empresas, que só pela aparência, já descartam aquele que está se habilitando a vaga.
    As piadinhas e brincadeira tendenciosas por parte dos adolescentes, também são constantes. Até mesmo os relacionamentos, ficam complicados, porque os idosos, geralmente, se separam porque visam mulheres mais jovens; como dizem: trocar uma de 60, por duas de 30.
    Gostei muito dessa abordagem!

  2. Jose Paes Landim disse:

    Como se trata de um tema interessantíssimo, ( a idade das pessoas), sobre o qual não há nem mesmo como se fazer aqui uma síntese, diria que são muito boas as abordagens que acabamos de ler a respeito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s