João Bosco e sua canção Jade: Um show! (vídeo)

Neste espaço musical de todos os sábados, vamos reviver mais uma música que marcou época. Trago vídeo com o excelente artista João Bosco, exímio violonista, cantor e compositor mineiro, interpretando sua canção JADE, um clássico da nossa MPB, lançada em 1989.

Vejam neste vídeo, link abaixo, como João Bosco, bem à vontade, nos presenteia com uma interpretação refinada. Em suma, cada vez melhor!

Para matar a curiosidade a respeito da letra dessa canção singular, leiam o que disse Thiago de Castro, em comentário publicado no seu blog O Garboso (https://ogarboso.wordpress.com/2008/11/05/deixa-eu-te-dar-a-letra-2-%E2%80%93-jade-joao-bosco/): 

“Não sei o que veio primeiro, se a letra, ou a música. Mas é mais provável que a música, com suas nuanças orientais, tenha inspirado João Bosco a escrever uma letra que se coadunasse com essa aura persa. É uma ode a uma musa, eleita, talvez, como já pontuei, por conta da própria música. Jade é uma odalisca, uma dessas moças de rosto afilado e olhos levemente puxados e verdes (da mesma cor da pedra), morena, linda. “É coisa rara de ver”.

O que me deslumbra na letra é o que costumam chamar de apanhado de palavras que fazem parte de um mesmo campo cognitivo e que, ao final, formam um conjunto hipnotizante, não necessariamente conexo, mas que nos reporta ao mundo que é descrito. Já no segundo verso, isso fica evidente: Jade é “uma jóia do Xá…”. Xá é um título de origem persa dado aos monarcas. Jóia também nos faz lembrar esse mundo, ou não?

Veja quantas palavras fazem parte desse campo cognitivo: Jade, jóia, Xá, Sésamo, tara, imã, Babá, Ali, talismã. E faz uso de outras palavras com terminação em ã para reforçar esse vocabulário, o que deixa a música ainda mais hipnótica, como em maçã, manhã e cubanacã.”

Curtam:

Publicado em Sem categoria | Deixe um comentário

Solidariedade – Vejam estas duas ações do bem – Inspiradoras!

Fim de semana chegando, minha postagem hoje é sobre um tema leve e bastante positivo. Vou falar de duas ações de solidariedade, uma praticada por um atleta olímpico e a outra por um músico popular. As suas atitudes generosas e fraternas são inspiradoras e contribuem diretamente para que tenhamos um planeta mais humano e melhor!

Primeiramente, quero citar o exemplo dado pelo atleta polonês Piotr Malachowski, medalha de prata em lançamento de discos nos Jogos Olímpicos do Rio, que colocou a sua medalha em leilão para ajudar no tratamento de um menino, do seu país, com câncer ocular. Os recursos arrecadados serão integralmente destinados para cobrir a terapia especializada em Nova York. 

Piotr Malachowski, depois de receber a medalha de prata no Rio de Janeiro.      Piotr Malachowski, depois de receber a medalha de prata no Rio de Janeiro. SERGEI ILNITSKY EFE

Eis o que disse esse campeão: 

“Ganhar uma medalha olímpica é, para um atleta, realizar um dos sonhos de sua vida”, explica Malachowski, em sua publicação no Facebook. “Claro, a de ouro é a mais apreciada. Fiz tudo o que pude para consegui-la e, infelizmente, desta vez não tive sucesso. No entanto, o destino me deu a oportunidade de elevar o valor da minha prata.” http://brasil.elpais.com/brasil/2016/08/22/internacional/1471854534_164402.html).

A outra ação do bem é de Chris Leamy, um violonista, cantor e compositor norte-americano, que resolveu tocar na rua, ao lado de pessoas carentes e sem-teto, para ajudar na arrecadação de dinheiro.

Confiram matéria sobre esse belo exemplo, publicada no site Só Notícia Boa, que reproduzo a seguir:

“Artista toca ao lado de moradores de rua para atrair doações

Foto: arquivo pessoal / Chris LeamyFoto: arquivo pessoal / Chris Leamy

Um guitarrista está tocando ao lado de moradores em situação de rua para chamar a atenção dos pedestres e conseguir doações para os sem-teto.

Ele dá um papelão para o morador de rua, escrito “ele está tocando pra mim”, põe um copinho para doações e começa o show. Com ele vem o dinheiro para os mendigos comprarem algo pra comer e vestir.

Tudo começou quando Chris Leamy estava saindo do metrô com seu violão e uma mulher sem-teto apontou para o estojo do instrumento e disse: “Tudo seria mais fácil se eu tivesse um desses”.

Foi então que Chris teve a boa idéia de ajudar aos moradores de rua que encontra, tocando seu violão ao lado deles pelas ruas de Nova York, nos EUA. Ele pratica a boa ação há quase dois anos.

Além de tocar, o artista também iniciou uma campanha virtual com a hashtag #heplaysforme que ajuda a arrecadar dinheiro para a comunidade de desabrigados.

A ideia é que se o músico conseguir U$ 15 dólares – quase 50 reais – para um morador de rua, outros U$ 15 sejam conseguidos com doações digitais para abrigos de sem-teto em Nova Iorque.

O artista pede que seus seguidores façam o mesmo.

O músico já levantou desde o ano passado mais de U$ 6 mil dólares – mais de 18 mil reais – para desabrigados de Nova York.

Corrente do bem

Miguel Correa é um dos beneficiados de Chris: depois que o homem fez uma aparição em um vídeo ao lado do guitarrista, uma página de doação foi criada para arrecadar para o sem-teto.

A meta foi fixada em apenas U$ 500 – mais de 1.500 reais – o que foi suficiente para a roupa nova, comida, uma conta poupança, e dois meses de aluguel de um apartamento no bairro do Bronx.

Miguel decidiu continuar praticando o bem e com o saldo arrecadado na página comprou 1.257 refeições para a comunidade sem-teto da cidade.

Atualmente Chris trabalha no Dairy Queen e assinou um contrato com a gravadora Sony Music para gravação do seu primeiro álbum.

Ele continua tocando para desabrigados na cidade.

Veja o trabalho de Chris nas ruas:

Com informações: Good News Network

Tradução: Rodrigo Lins – Correspondente SNB nos Estados Unidos

Publicado em – http://www.sonoticiaboa.com.br/2016/08/25/artista-toca-ao-lado-de-moradores-de-rua-para-atrair-doacoes/
Publicado em Ações sociais e humanitárias, Motivação e crescimento humano | Deixe um comentário

Jorge Lemann, controlador da AB InBev, dá dicas para você empreender com sucesso!

Como se preparar para ter sucesso? Como aprender com os erros e ter capacidade de superar dificuldades?

Bem, os caminhos para essa preparação são diversos, passando de questões mais sutis (autoconhecimento, controle das emoções…) até as variáveis mais objetivas e técnicas. Por conta dessa amplitude, cada um pode adotar estratégias e métodos conforme sua visão, suas necessidades, suas habilidades etc. Aqui, certamente, não há uma fórmula mágica e absoluta a ser seguida. Entretanto, é sempre recomendável ouvir a voz da experiência, de quem já passou pelos diversos estágios da vida e, melhor ainda, é bem sucedido. Mais precisamente, quando se fala do mundo dos negócios, é sempre bom bebermos de boas fontes, como é o caso de líderes reconhecidos pelas suas conquistas e exemplos.

Assim, trago hoje alguns conselhos do empresário Jorge Paulo Lemann, homem reconhecidamente de sucesso e controlador do AB InBev e de outras corporações internacionais, sintetizados em matéria da Exame.com, com o título “Deixem seus filhos fazerem burradas”, que se baseia em recente palestra desse líder dirigida a empreendedores. Ele fala da importância: 1) do aprendizado com as dificuldades e derrotas (estar preparado para perder); 2) de ter foco e metas a cumprir; 3) de saber trabalhar com pessoas diferentes; e 4) saber aproveitar as oportunidades.

Segundo se sabe, Jorge Lemann e seus sócios agem diariamente com o seguinte lema: “Sonhar grande e sonhar pequeno dá o mesmo trabalho”!

O empresário Jorge Paulo Lemann em entrevista

Confiram a matéria no link a seguir:

http://exame.abril.com.br/pme/noticias/deixem-seus-filhos-fazerem-burradas-aconselha-lemann

Publicado em Liderança, Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações | Deixe um comentário

Pensamento positivo pode mudar a sua realidade

“Se quiser mudar o mundo que você tem, pense no mundo que você quer!”

Para hoje, replico texto muito inteligente, do blog Pitacos e Achados, abordando a força do pensamento e, mais ainda, o valor do pensamento positivo.

Com efeito, é fundamental estarmos conscientes de que a origem do que fazemos (ou não fazemos), de como nos sentimos e nos comportamos, está nos pensamentos. Esta lógica é irrefutável: PENSAR, SENTIR, AGIR. É assim que tudo acontece no universo dos humanos! 

O segredo, portanto, é atentarmos para a qualidade do que pensamos. Daí para a frente tudo passa a ser consequência.

Leiam a seguir:

“Pensamento positivo pode mudar a sua realidade

pensamento positivo

Olá pessoal!!

Pensar é uma função que a natureza nos atribuiu. A mente nos torna humanos, é o maior poder que temos.

O estado dos nossos pensamentos determina nossa vida e a vida muda quando os pensamentos mudam. Não é necessário saber que a mente tem poder, de qualquer maneira ela funciona, seja para o bem ou para o mal. Mas se você não está feliz com a vida que leva, mude sua maneira de pensar.

A energia segue o pensamento. Revise suas crenças, suas ideias. Se você procurar emprego pensando “não vou conseguir”, você baixa um decreto, a vida obedece e você não consegue o emprego, porque a palavra tem o poder de fazer o pensamento se concretizar. Boa sorte? Não: pensamento positivo. O pensamento positivo atrai aquilo que você pensou. Quando você acrescenta o poder da palavra, junto com sentimento, dá o pontapé inicial nesse processo.

pensar-positivo_1

A palavra positiva

Com a palavra, você cria o ambiente onde vivem você e as pessoas que o cercam. Sem ter noção desse poder, muitas pessoas atiram palavras para todos os lados, como fósforos acesos, que provocam incêndios em casa, no trabalho e entre os amigos. Quantas tragédias, rupturas e crises foram provocadas por palavras ditas em momentos inapropriados! Vigie seus pensamentos, escute suas palavras. A palavra positiva nutre e traz reconhecimento.

Um pensamento desejando o bem aos outros se transforma numa força iluminada que guia toda a sua vida. Nunca maldiga, porque a energia negativa enche o ambiente de códigos energéticos negativos, que atraem para a sua vida desgraças, tragédias e má sorte. Bendiga, porque a bênção une o bendito com as esferas superiores da consciência, atraindo para sua vida tudo de bom, bonito e verdadeiro.

Os pensamentos são como raios que partem da pessoa que pensa e vão para outras regiões, onde afetam outras pessoas. Somos responsáveis pelo bem e pelo mal que eles proporcionam. Observe todos os dias o estado do seu pensamento e dos seus sentimentos. Não saia na rua antes de examinar-se. Afaste os pensamentos negativos, atraia os pensamentos positivos, pense em fazer o bem e sinta-se grato pela vida. Se quiser mudar o mundo que você tem, pense no mundo que você quer!

Pitaco: As coisas mudam. Depois de um tempo você começa a perceber que nada nessa vida é pra sempre e que tudo pode de alguma forma ser mudado, percebe também que as pessoas mudam, que os pensamentos mudam, e que se você não mudar, a vida muda você.

Publicado em – https://pitacoseachados.com/2016/08/15/pensamento-positivo-pode-mudar-a-sua-realidade/
Publicado em Motivação e crescimento humano | Deixe um comentário

Uma criança que lê será um adulto que pensa

Volto hoje ao tema Livros e Leitura, dos mais frequentes desde o início do blog, em maio de 2014, movido pela convicção de que a leitura regular é caminho essencial para o autodesenvolvimento (evolução do indivíduo), para a expansão da mente, a elevação da inteligência, do nível de instrução e, como corolário, para promover uma boa bagagem intelectual e cultural.

Por conseguinte, depreende-se facilmente que a leitura faz bem para todos, de qualquer idade, em qualquer circunstância, até porque funciona também como atividade prazerosa. Agora, imaginem o quão benéfico se torna a leitura pelos mais jovens!

Para explorar esse enfoque, reproduzo a seguir o interessante e oportuno artigo, de Cristina Trilce, publicado no site A Mente É Maravilhosa. Boa leitura!

“Uma criança que lê será um adulto que pensa

Uma criança que lê será um adulto que pensa

Fomentar a leitura em qualquer idade sempre é sinônimo de enriquecimento, mas incentivar esse hábito entre os mais jovens da sociedade é uma garantia total de um futuro melhor. Uma criança que lê irá se convertendo em um adulto com ideias próprias e uma mentalidade firme, capaz de questionar o que a cerca e de compreender mais facilmente seu lugar no mundo.

Uma criança que lê será um adulto que pensa, porque não há um domínio maior do conhecimento do que aquele que nos oferecem os livros. Quando lemos nos nutrimos de imaginação e raciocínio que os outros depositaram em folhas em branco, e somos mais receptores quando nos abrimos: as crianças, sem preconceitos, são capazes de ler com toda a sua gama de emoções depositadas na leitura.

Uma criança que lê será livre para sempre

Ler nos ajuda a pensar e pensar nos liberta, assim, se seu filho gosta de passar o tempo lendo histórias, é melhor que continue agindo assim. Na verdade, essa será a forma mais eficaz que ele terá para enxergar uma variedade de situações, opiniões e de condutas que a vida oferece: com certeza isso ajudará a formar a tolerância da criança e ela ganhará em respeito e solidariedade.

Criança-lendo-debaixo-de-uma-árvore

Em muitas ocasiões, como adultos, aquilo que era desconhecido em nosso pequeno mundo habitual nos surpreendia ou, inclusive, incomodava. Essas sensações provêm sobretudo de querer acreditar que o seu é o válido e o do outro não pode ser, pensamento que deriva sobretudo da ignorância.

Ler é como viajar em todos os seus sentidos e nos ajuda a abrir a mente: uma criança que lê descobrirá outras culturas, outros modos de vida, outros costumes diferentes dos seus e saberá, muito antes do que aquele que não lê, que existem outras coisas além do olhar cotidiano. Ter consciência disso fará com que ela se torne um adulto que escapará de juízos de valor gratuitos e se sentirá menos preso aos interesses de outras pessoas.

O refúgio contra as misérias da vida

Por sorte ou por azar, o mundo administra os que acreditam ser normais, mas dá vida plena a aqueles que acreditam ser loucos. Já dizia Dom Quixote: ele lia e lia até que encontrou a forma de viver baseado em suas crenças e ilusões que o permitia ser feliz, enquanto ao seu redor continuava sujeito a uma realidade convencional que julgava a sua maneira de viver.

livro-para-crianças-cheio-de-borboletas

Os “loucos” que leem são capazes de encontrar o refúgio das misérias da vida enquanto os que não o fazem vivem nelas sem sequer estarem conscientes disso. Por isso, é preciso deixar uma criança chorar e rir ao ler um livro, é necessário permitir-lhe se apaixonar por uma história e apoiá-la se ela decidir entrar com tudo nesse campo da imaginação que está ao alcance de qualquer um.

Por outro lado, ao se deparar mesmo com um texto pequeno, ela se surpreenderá com o que encontra e é provável que sofra mais com o que absorve, uma vez que será para ela como uma entidade estranha que quer mudar o seu conformismo. Unamuno empregou as palavras corretas ao pedir que as crianças cresçam lendo porque dessa maneira serão adultos menos vulneráveis, menos indefesos e mais humanos.

Leitura: a fábrica da imaginação

Existem várias atividades que ajudam a desenvolver e melhorar a imaginação independentemente de quantos anos nós tenhamos, incluindo uma das mais bonitas que é a leitura: uma fábrica inteira onde é forjada e recolhida toda criatividade dos seres humanos.

criança-lendo-livro

Uma criança que lê será uma criança que pensa, afirmou algum pensador genial, e ele não estava enganado. Ler é brincadeira, é entretenimento, é construir sonhos, é refletir, é um estado de ânimo, é isolamento e companhia, é prazer. Ler brinda lembranças que foram cumpridas e outras que cumpriremos, e move as incertezas mais internas para nos aproximarmos delas.

Fonte – http://amenteemaravilhosa.com.br/crianca-que-le-sera-adulto-que-pensa/?utm_source=Email&utm_campaign=Newsletter&utm_medium=email&utm_source=A+mente+%C3%A9+maravilhosa&utm_campaign=5dde5b8e75-Newsletter&utm_medium=email&utm_term=0_6c79e12ec3-5dde5b8e75-85258273
Publicado em Livros e leitura, Motivação e crescimento humano, Sem categoria | 2 Comentários

Produtividade: O mais importante não é o que você pensa, mas como você pensa!

www.jornalcotiaagora.com.br

 

“o que difere campeões dos supercampeões é… ver e viver aquilo que ainda não aconteceu.”

 

O interessante artigo de Marc Tawil, publicado antes do início dos Jogos Olímpicos no boletim eletrônico LinkedIn Pulse, faz referência aos estudos que deram origem ao livro MAIS RÁPIDO E MELHOR, Editora OBJETIVA, de autoria de Charles Duhhig, o mesmo do famoso livro O Poder do Hábito.

Segundo o texto, um grande diferencial que leva aos super resultados é a visualização, a mentalização, ou o que chamamos de a habilidade de enxergar pronto. Nos processos de coaching já utilizamos de algumas técnicas para estimular a visualização do resultado desejado, que espera-se alcançar em determinado momento futuro. São boas e efetivas influências da chamada Psicologia Positiva que podem ser utilizadas por qualquer um, no cotidiano. O livro, pelo que está reportado na matéria, explora ricamente essa técnica.

Temos aí, portanto, importantes sacadas que podem incrementar a sua produtividade e, por consequência, os seus resultados.

Leiam o artigo a seguir:

“Adote apenas 1 hábito e torne-se incrivelmente produtivo

A festa, agora realizada dentro de casa, será esportiva, é óbvio, mas quem já assistiu a alguma edição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos sabe que ela deixa exemplos e lições para toda uma vida.

Na Rio 2016, não será diferente.

Mas você, fã ou não do esporte, saberia dizer o que diferencia os 12 mil atletas, de 206 países participantes, dos pouquíssimos campeões olímpicos?

O que levou o supercampeão das argolas, o pequeno gigante brasileiro Arthur Zanetti, com apenas 22 anos, a conquistar o ouro em Londres 2012 e o condiciona como favorito na Rio 2016?

O que permite o jamaicano Usain Bolt ser, desde 2008, o homem mais rápido da terra, não tendo conhecido a prata nem o bronze em quase uma década?

Além de um domínio sobrehumano da técnica – e este domínio pode estar presente no DNA de diversos atletas –, o que difere campeões dos supercampeões é… ver e viver aquilo que ainda não aconteceu.

Parece estranho  – e é. Mas esta foi a resposta encontrada pelo editor de Projetos Especiais do New York Times, Charles Duhigg, vencedor do Prêmio Pulitzer de Jornalismo, que acaba de lançar o livro Smarter Faster Better: The Secrets of Being Productive in Life and Business.

A obra, focada na ciência da produtividade, foi traduzida para o português sob o título Mais Rápido e Melhor, os Segredos da Produtividade na Vida e nos Negócios (Editora Objetiva).

O livro explica, em oito capítulos, e com base nas últimas descobertas da neurociência, psicologia comportamental e economia, por que um grupo seleto de pessoas e empresas se destaca dos demais.

Duhigg analisou as experiências de CEOs, educadores, fuzileiros navais, agentes do FBI, pilotos de avião, compositores da Broadway e, claro, esportistas, para provar que, mais importante do que o que você pensa é como você pensa.

O autor mostra que a produtividade se baseia em fazer escolhas. Em como enquadramos as nossas decisões diárias e trabalhamos nossas ambições e objetivos. Em como inovamos e interagimos com os dados.

“Seu cérebro deve decidir o que merece atenção e que merece ser ignorado, e a forma como ele faz isso é comparar o que esperamos que vai acontecer com o que está realmente acontecendo”, explica Duhigg, também autor de O Poder do Hábito (Editora Objetiva).

Segundo Duhhig, a técnica principal de mentalização, mãe de todas as outras, é a visualização daquilo que seria ideal que ocorresse – cenários possíveis em nossa jornada e, de preferência, intensamente positivos.

“Quando você visualizou o seu dia antes de embarcar nele, será mais fácil para o seu cérebro filtrar informações irrelevantes e abraçar as coisas importantes que estão acontecendo”, prossegue o autor.

Vida real

A preparação mental é simples e poderosa. E, como bem explica o título do livro, pode ser amplamente aplicada no campo corporativo. Em Mais Rápido e Melhor, o autor pondera que a profunda força mental dos atletas vencedores também se mostra presente nos profissionais super bem sucedidos.

Agora que se sabe o que é a “modelagem mental”, como é que nós, mortais, aplicamos em nossos empregos e nas nossas rotinas caóticas e muitas vezes estressantes, com 500 afazeres por dia?

Duhigg sugere usar os primeiros minutos do dia – seja durante o café da manhã, o trajeto para o trabalho (ou na busca de um) ou ainda nos instantes de ócio – para imaginar, em detalhes, como será a sua jornada:

  • Como você desejaria que ela fosse?
  • Quais pessoas gostaria de encontrar?
  • Quais os primeiros passos deste dia?
  • E os últimos?
  • Ao deitar a cabeça no travesseiro, você se dará por satisfeito?
  • Terá você agido com dignidade, integridade e justiça?
  • Terá você dado o seu melhor?

O outro lado da moeda

No esporte, como na vida, há também o gosto amargo da derrota, do fracasso, daquilo que dá errado – ou muito errado – no dia. De acordo com a teoria de Duhigg, entretanto, este “lado sombra” tem muito menos desdobramentos se o roteiro positivo já tiver sido introjetado na sua cabeça.

Um plano mental bem elaborado ajuda você a descobrir como essas interrupções se encaixam no compto geral, o que, por sua vez, auxilia você a descobrir o que merece sua atenção e que deve ser ignorado, explica o autor.

Para finalizar, Duhigg deixa um conselho para aqueles que justificam estar sempre ocupados, sem tempo sequer de conseguir visualizar sua rotina sobrecarregada de compromissos e responsabilidades: “Aposte nas prioridades”.

Publicado em – https://www.linkedin.com/pulse/como-voc%C3%AA-imagina-seu-dia-%C3%A9-infinitamente-mais-produtivo-marc-tawil?trk=eml-b2_content_ecosystem_digest-recommended_articles-45-null&midToken=AQFJ3dl-EPlJpQ&fromEmail=fromEmail&ut=24kPjmEGJY3To1
Publicado em Livros e leitura, Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações | Deixe um comentário

Mariza – Concerto em Lisboa: Vejam que interpretação espetacular!

Imagem musical

Como inspiração musical para este sábado, trago a excelente cantora MARIZA (Marisa dos Reis Nunes), moçambicana que foi para Portugal quado criança, cuja trajetória artística tomei conhecimento por indicação de um amigo e seguidor do blog. Sua voz privilegiada e a forma marcante como interpreta as canções logo me impressionaram positivamente.

Mariza se posicionou como cantora de fado (gosta de ser classificada como fadista), estilo musical romântico e muito apreciado principalmente pelos portugueses. Tem merecido crescentes elogios pela crítica especializada e vem se apresentando, com bastante sucesso, em importantes casas de espetáculos também no exterior.

Como mostra do seu admirável trabalho, selecionei vídeo, disponível no YouTube, com registro de show ocorrido em Lisboa, em que interpreta a canção Chuva, de Jorge Fernando. O fado português está aí no seu melhor estilo. Um primor de interpretação!

Curtam a seguir:

Publicado em Músicas | Deixe um comentário

Jogos Paralímpicos 2016 – Um trailer espetacular!

Como aquecimento para os Jogos Paralímpicos 2016  – que acontecerão aqui no Brasil de 7 a 18 de setembro, com disputas envolvendo 23 modalidades esportivas diferentes – divulgo  vídeo (trailer) maravilhoso, com o título We’re The Superhumansproduzido pelo Channel 4, da Grã Bretanha, e disponível no YouTube.

Sem dúvida, uma belíssima produção, à altura desses atletas valorosos e tão especiais!

Assistam a seguir (o vídeo tem duração de 3:12).

Publicado em Motivação e crescimento humano, Vídeos diversos | Deixe um comentário

Correr faz bem e o seu cérebro agradece, segundo pesquisas!

Desde sempre, é por demais sabido que fazer atividade aeróbica faz bem, que é bom para a saúde geral. A corrida, cada vez mais praticada, traz notoriamente inúmeros benefícios para o praticante, como melhoria da capacidade cardio-respiratória, como acelerador para a queima de calorias e auxílio na redução de peso etc. E, sem dúvida, ao praticar a corrida a pessoa dá sinal de que está bem ou, pelo menos, de que está adotando atitude positiva em relação à sua saúde.

Agora, para melhorar ainda mais o nosso nível de informação e as convicções a esse respeito, chegam pesquisas científicas, no campo da neurociência, demonstrando que praticar corrida faz bem para o cérebro, mais precisamente para a cognição e para o equilíbrio emocional (melhoria do aprendizado, maior capacidade de superar situações tristes, além de promover a criação de novos neurônios, entre outros benefícios)!

Confiram a matéria que replico a seguir, publicada no site  O Segredo, em maio passado:

“NEUROCIENTISTAS EXPLICAM COMO CORRER MUDA NOSSO CÉREBRO E AFETA O NOSSO PENSAMENTO

Luiza Fletcher 25 de maio de 2016

“Correr é um caminho para a autoconsciência e confiança – você pode empurrar-se a extremos e aprender a dura realidade de suas limitações físicas e mentais ou caminhar em silêncio por um caminho solitário assistindo a terra sob seus pés.” – Doris Brown Heritage.

Você está familiarizado com esse sentimento? Você tem uma visão sobre seu eu emocional e físico enquanto corre? Gostou da sensação do vento contra seu rosto e a liberdade de estar ao ar livre sozinho com seus pensamentos? Você pode sentir que após uma boa corrida sua mente está clara e pronta para absorver informações. Você também pode achar que a sua perspectiva é mais positiva depois de uma corrida, e que as coisas que te incomodavam você já não parecem tão ruins. Bem, seus sentimentos têm uma base científica. Uma pesquisa realizada no campo da neurociência mostra os efeitos do exercício aeróbico na clareza cognitiva e bem-estar emocional.

Novos neurônios seriam criados

neurocientistas explicam2

Costumava ser aceito que nós nascemos com uma certa quantidade de neurônios, e que no momento em que nos tornamos adultos os neurônios deixariam de ser criados. Isto, no entanto, foi provado como errado. Através de pesquisa em animais, foi descoberto que novos neurônios são continuamente produzidos no cérebro ao longo de toda a vida. Karen Postal, presidente da Academia Americana de Neuropsicologia Clínica diz que a única atividade mostrado para desencadear o nascimento destes novos neurônios é o exercício aeróbico vigoroso. “Se você está se exercitando e sua – cerca de 30 a 40 minutos – novas células cerebrais estão nascendo”, diz Postal. Então, suar na esteira ou a céu aberto está fazendo muito bem a seu cérebro e ajudando-o a permanecer mentalmente saudável pelos próximos anos.

Pessoas que correm podem se recuperar de emoções negativas mais rapidamente

neurocientistas explicam3

Em um estudo realizado por Emily Bernstein e Richard McNally, verificou-se que o exercício aeróbico pode ajudar a reduzir as emoções negativas. Bernstein é uma corredora e disse “eu noto que me sinto melhor quando estou ativa”. Ela queria descobrir o motivo e saber exatamente o efeito que o exercício tem sobre nós. O estudo se propôs a analisar a forma como o exercício altera o modo como as pessoas reagem às suas emoções. Os participantes foram orientados a se esticar ou correr durante 30 minutos e depois assistiram à cena final do filme de 1979, O Campeão. Os participantes, em seguida, relataram suas respostas emocionais. Verificou-se que aqueles que tinham corrido por 30 minutos se recuperaram mais rapidamente de sua experiência emocional triste do que aqueles que tinha apenas se esticado.

Memória de trabalho seria reforçada

neurocientistas explicam4

Um estudo recente intitulado: “Acute Aerobic Exercise Increases Cortical Activity during Working Memory: A Functional MRI Study in Female College Students” (Exercício Aeróbio Forte Aumenta Atividade Cortical durante Memória de Trabalho: Um estudo de ressonância magnética funcional em universitárias) mostra o efeito do exercício aeróbio sobre a função cognitiva. O estudo analisou o efeito de uma sessão de exercício aeróbio sobre a memória de trabalho. Quinze mulheres jovens participaram do estudo. Elas foram examinadas, após uma sessão de exercício agudo, usando um MRI (ressonância magnética), enquanto realizavam uma tarefa de memória de trabalho. Verificou-se que o córtex e o hemisfério frontal esquerdo mostraram sinais de melhoria nos processos de controle. A partir dessas constatações, os pesquisadores notaram que isso indica que: “exercício agudo poderia beneficiar a memória de trabalho em um nível macro-neural.” Assim, o estudo mostra uma ligação entre exercícios aeróbicos e melhoria na memória.

Conclusão

neurocientistas explicam5

Da próxima vez em que estiver em uma corrida, saiba que está fazendo-se um enorme bem. Você não está apenas ajudando o seu cérebro em um nível neurológico, também está trabalhando para melhorar a sua saúde emocional. Suas habilidades cognitivas, como a memória, serão melhoradas, e sua visão da vida provavelmente será mais positiva. Se você ainda não corre, pode querer tirar os tênis do armário e dar-lhes uma chance.

Publicado em – https://osegredo.com.br/2016/05/neurocientistas-explicam-como-correr-muda-nosso-cerebro-e-afeta-o-nosso-pensamento/
Publicado em Motivação e crescimento humano, Saúde | Deixe um comentário

“Talvez a liderança não seja para você” – Boa reflexão!

Como tenho feito aqui com certa frequência, volto ao tema liderança, pela sua importância, pelo interesse geral que normalmente desperta nas pessoas e por ser uma das minhas áreas de atuação profissional favorita.

Para hoje, selecionei mais um artigo interessante publicado no boletim LinkedIn Pulse, escrito de forma leve e inteligente por Lucas Siqueira. Recomendo ler – e refletir – sobre os pontos que o autor considera extremamente importantes para você se aproximar da sua equipe. E a meu ver ele está correto. Apesar de não haver novidade, nada de extraordinário, são atitudes que muitos se esquecem no dia a dia, colocam em plano secundário, o que acaba sendo fatal e comprometendo seriamente seu desempenho como líder.

E a verdade é esta: líderes verdadeiros, que fazem seguidores e chegam ao sucesso, precisam gostar de gente e, portanto, se preocupar efetivamente com a sua equipe!

Confiram a seguir:

Talvez a liderança não seja para você

( – Agrônomo; Vendas, Gestão de Canais de Distribuição, Marketing e Desenvolvimento de Mercados em Produtos de Diferenciação)

“Talvez a liderança não seja para você

Vamos combinar o seguinte: toda aquela introdução que o mundo está cada vez mais competitivo, que o mercado está cada vez mais exigente e tal nós vamos pular, ok? Acredito que todos nós sabemos BEM disto (mas meu caro, se você ainda não sabe, volte duas, três, dez casas).

Vivemos e trabalhamos com os mais diferentes tipos de gente, o que torna a Gestão de Pessoas uma das mais fascinantes artes. Alguns gostam de proximidade, outros preferem a introspecção; seu companheiro de escritório pode precisar de agitação para entregar bons resultados; o que divide área com você só consegue se concentrar com um silêncio sepulcral. Faz parte de ser um bom líder saber identificar e trabalhar as individualidades de sua equipe para que essa bagunça de personalidades entregue um belo resultado. É extremamente rico para todos, principalmente para o líder, trabalhar em equipes heterogêneas.

Existem máximas quase irrefutáveis quando falamos em desenvolvimento de pessoas: um profissional que tem uma boa liderança ao seu lado se desenvolve mais rápido, entrega melhores resultados e permanece mais tempo nas empresas. No entanto, por mais que seja óbvia esta afirmação, está justamente aí a raiz de quase todos os problemas nas empresas: a falta de comunicação que causa um abismo entre aqueles que deveriam ser indivisíveis – líderes e suas equipes.

Quem faz de você um líder não é o seu salário, seu job description ou o que está no seu cartão de visitas: é sua equipe reconhecer em você aquele que vale a pena seguir.

Gestor de equipe, a responsabilidade por uma boa comunicação entre você e os seus é sua. Você é ou já foi liderado algum dia, então sabe bem disso, correto? Não? Bem, abaixo estão alguns pontos que são básicos e extremamente importantes para você se aproximar da sua equipe:

  • Tenha genuíno interesse em seus liderados: fica mais fácil fazer sua equipe render quando você mostra que se importa com ela. Não precisa querer ser o melhor amigo do seu pessoal, mas querer saber se aquela dor nas costas da Dona Cláudia passou ou se a esposa do Sr. Antônio conseguiu aquele emprego faz uma diferença danada. Sua equipe precisa saber que não é apenas um número. Só cuidado para não ser invasivo e tudo certo;
  • Tente entender quais são os objetivos de vida de cada um e trabalhe para ajudá-los a alcançar: descobrir o que motiva o colaborador é importantíssimo para fazê-lo render o máximo, porque você o ajuda a visualizar um significado maior ao trabalho. Afinal de contas, faz mesmo sentido usar como incentivo uma possibilidade promoção à Gerência para um profissional que na verdade quer uma carreira de Especialista?
  • Não assuma que a equipe já sabe como fazer cada detalhe do trabalho: isto é ainda mais grave quando os liderados são profissionais jovens ou recém contratados. Estes, na ânsia de passar a imagem de “contratação do século”, julgam erroneamente que perguntar sobre suas atribuições e pedir orientação é sinônimo de fragilidade e, com medo de parecerem despreparados, se fecham no baú da improdutividade. Resultado: colaboradores insatisfeitos, liderança não validada, empresa perdendo dinheiro;
  • Estimule o diálogo entre você e sua equipe: se ela não sente que pode compartilhar com você suas inseguranças e preocupações, o que o faz pensar que eles o procurariam para compartilhar boas ideias para o seu negócio? Vale – e muito – a pena deixar a porta aberta. Não se esqueça que um diálogo só se sustenta se há troca. Por que não compartilhar um pouco de você (com cuidado) com sua equipe?
  • Dê e peça feedbacks periódicos. É, bonitão: Você também está suscetível a erros e tem muito a melhorar; ajude a sua equipe a evoluir e eles também o tornarão um líder melhor. Os feedbacks pontuais e situacionais são muito importantes, mas sua equipe se sentirá mais segura em saber que periodicamente terá a oportunidade de saber se está no caminho certo. Defina uma agenda de sessões de feedbacks – e cumpra;
  • Respeite o esforço de sua equipe: na medida do possível, responda os mails importantes, retorne as ligações e leia os relatórios que sua equipe preparou para você. Se a sua equipe lhe pediu ajuda em uma negociação com um grande cliente ou dedicou esforços para informar a você como está o mercado, nada mais desrespeitoso que não atender o chamado ou tampouco folhear o report.

 

Lembre-se: são pessoas. Tem vidas no mundo real, podem não estar entendendo patavinas do que está acontecendo no trabalho ou podem estar se questionando como pais, esposas ou profissionais – e sua missão não é somente transformá-los em colaboradores de alta performance, mas também em profissionais que queiram espontaneamente dividir uma missão com você e sua empresa. Eu sinceramente não sei como fazer isto que não pelo diálogo aberto e confiança mútua.

Quem faz de você um líder não é o seu salário, seu job description ou o que está no seu cartão de visitas: é sua equipe reconhecer em você aquele que vale a pena seguir. Se os seus objetivos profissionais não passam pela realização dos objetivos da sua equipe… bem, talvez a liderança não seja para você.

Créditos da imagem: http://www.talentculture.com
Publicado emhttps://www.linkedin.com/pulse/talvez-lideran%C3%A7a-n%C3%A3o-seja-para-voc%C3%AA-lucas-siqueira

Publicado em Liderança, O ser humano no contexto das organizações | Deixe um comentário
Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 149 outros seguidores