“Comportamentos na quarentena” – Você vai gostar de ler esse texto!

60 frases de motivação em tempos difíceis: força, coragem e ...

Eis um texto muito legal, que vi ontem em grupo de rede social, traçando bom panorama sobre o que acontece, ou pode estar acontecendo, em maior ou menor intensidade, com os sentimentos e, no geral, com o estado de ânimo de cada um de nós ao longo desse isolamento social imposto pela atual pandemia.

O texto está no Facebook, assinado por Ligia –  Cientista que Virou Mãe. Na minha avaliação, a autora foi muito feliz no seu argumento sobre um elenco de sentimentos e/ou comportamentais dos indivíduos, compreensivelmente próprios e naturais para os dias de hoje.

A mensagem, escrita de forma inteligente, de agradável leitura, deixa o leitor de certa forma tranquilo e contribui para reforçar esperanças em relação à vida que precisa reflorescer após essa tempestade.

Creio que você irá se identificar com alguma dessas descrições aí mencionadas. Confira a seguir:

” A fase atual da quarentena (abrindo o TERCEIRO mês) é marcada por:

– cansaço
– desânimo intenso
– necessidade absoluta de reformulação (de trabalho, de coisas decididas inclusive no início da quarentena, de práticas, de pensamentos, de rotina inicialmente adotada no isolamento, de tudo)
– corpo com sinais de pouco uso, pouco alongamento, pouco movimento, mesmo que você esteja se movimentando, porque sua rotina foi alterada e o corpo está se adaptando ao novo
– pensamento negativista
– descrédito generalizado em informações
– nostalgia
– pensamentos vagos
– dificuldade de continuar tarefas por não ver sentido nelas (confiem, elas têm sentido sim, é só a sua percepção)
– apetite alterado
– déficit de atenção e de manutenção de foco
– anedonia (incapacidade de sentir prazer com coisas que antes nos eram prazerosas)
– entre outros

Isso não é só fruto da minha observação, mas também dos estudos que já fiz e que continuo fazendo sobre efeitos do confinamento, do isolamento social, do estresse imprevisível. Curiosamente, esses são temas dos domínios da minha primeira área de formação – psicobiologia, comportamento humano em situações adversas, papel do estresse agudo e crônico sobre o comportamento, resiliência física e mental, transtornos de ansiedade (ansiedade generalizada e pânico), psicobiologia do comportamento aversivo, etc., sobre os quais fiz mestrado e meu primeiro doutorado. E sim, quando não temos como prever os eventos estressantes e traumáticos, nos comportamentos dessa maneira aí.

Por que estou apontando isso? Para que todo mundo que está se sentindo assim saiba que MUITA GENTE ESTÁ ASSIM. NÃO É UM PROBLEMA SEU, UMA INABILIDADE SUA, UMA INCAPACIDADE. É assim mesmo que a gente se comporta. Então, minha gente querida:

SEGURA FIRME NESSA BAGAÇA AÍ E NÃO DEIXA A COISA DEGRINGOLAR.

Lembrem-se sempre:

NOSSO CORPO E NOSSA MENTE REAGEM A DESPEITO DA FORMA COMO GOSTARÍAMOS QUE REAGISSEM.

Tem muita gente em sofrimento sim. E isso não diz nada a respeito da sua capacidade de enfrentamento, não diz que você é fraco, ou desorganizado, ou nada disso. Diz apenas que você é um ser humano passando pela situação mais adversa dos tempos atuais.

Respira – o vírus nos lembra disso todos os dias.
Respira fundo.
Não vamos nos comportar dessa maneira até o fim. O comportamento muda, nossa resposta é adaptativa, significa que ela vai se adaptando.

Não tem nada de “doente” ou “incapaz” ou “fraco” ou “despreparado” quem não está se sentindo bem neste momento. É normal. É esperado. Logo mais vamos reagir de outra maneira.

Tá tudo bem não estar bem agora.
Tá tudo bem em se sentir bem em um dia e péssimo no outro.
Tá tudo bem sentir medo. Tá tudo bem sentir felicidade com pequenas coisas. Tá tudo bem ter crise emocional. Tá tudo bem ter oscilação de humor.
Só não tá tudo bem descontar tudo isso nos outros, aí não tá tudo bem, porque o outro também tá sofrendo.

O isolamento social também tem fases. Essa é bastante densa. Segurem-se no que vocês têm de mais valioso em suas vidas. E espero que nutram valores gentis e amorosos, isso vai fazer muita diferença agora.

Força, gente! ”

Ligia – Cientista que Virou Mãe.

Fonte: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=2874775759301563&id=215524625226703

Publicado em Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento | 4 Comentários

“Envelhecimento ativo” – Por que você deve ter isso em mente?!

Volto ao tema Longevidade, mais precisamente para trazer abordagem a respeito de envelhecimento ativo, publicada hoje no site A Mente É Maravilhosa, que reproduzo adiante. 

O texto, que utiliza a expressão “envelhecimento ativo”, adotada pela Organização Mundial da Saúde, vem em reforço a uma série de argumentos que tenho defendido aqui ao longo do tempo, e em especial no meu livro LONGEVIDADE (Novo Século/selo Figurati), na linha de que o aumento da longevidade é real, merece ser reconhecido e valorizado, mas que requer bom planejamento e hábitos saudáveis continuados, desde a juventude, para que o indivíduo potencialize e tire o melhor proveito dos anos que terá pela frente, na temporada – cada vez mais longa – do pós-60, e assim faça jus à máxima do “viver mais e melhor”!

Assim, aproveitando a temática, volto a enfatizar que todo o investimento pessoal (dedicação) voltado para o cumprimento de bons hábitos de vida, desde cedo, na saúde, nas finanças, no autoconhecimento, nos relacionamentos, no desenvolvimento intelectual, trará contribuição para que o tempo da maturidade seja melhor sucedido.

Confira mais este interessante (e oportuno) conteúdo de hoje!

“O que é o envelhecimento ativo?

maio 26, 2020

O envelhecimento ativo é uma nova orientação para a fase final da vida. Nesse âmbito, falamos sobre as perdas e sobre como cobri-las, mas também sobre a experiência e seu imenso valor; de como cuidar e proteger aqueles que nos deixaram um grande legado.

Cada ser humano assume o envelhecimento de forma diferente. Em um contexto em que reconhecemos a influência da cultura, da sociedade, de fatores hereditários e da forma de criação, a Organização Mundial da Saúde enfatiza o envelhecimento ativo. Por quê?

A seguir, falaremos sobre a forma como o envelhecimento foi visto ao longo da história. Também falaremos sobre uma proposta interessante que resgata a ideia de viver o envelhecimento ativamente. Não perca!

“Envelhecer é como escalar uma grande montanha: enquanto você sobe, as forças diminuem, mas o olhar é mais livre, a visão é mais ampla e serena”.
-Ingmar Bergman-

Mulher na terceira idade

História do envelhecimento

O envelhecimento foi concebido de maneira diferente ao longo da história do ser humano, como podemos ver a seguir:

  • Grécia Antiga. Platão, em A República, referiu-se à velhice como uma questão positiva e sublimatória. Aristóteles, em Retórica, a tomou como uma fase de fraqueza e compaixão. Além disso, caracterizou personagens idosos como desconfiados, inconstantes, egoístas e cínicos.
  • Cícero. Via a velhice como a fase da compreensão e da razão. Além disso, falava da importância de nos prepararmos para esta etapa da vida.
  • Horácio. Sugeriu que a velhice não era uma fase dourada porque exigia mais adaptações.
  • Idade Média. Naquela época, São Tomás de Aquino sugeriu que a velhice era sinônimo de decadência.
  • Renascimento. Esta era foi caracterizada por uma fuga da morte. Além disso, havia uma visão do idoso como alguém decadente. Muitos diziam que os idosos usavam truques e bruxaria.
  • Século XIX. As primeiras pesquisas científicas causaram uma reviravolta na concepção de velhice.
  • Século XX. Após a Segunda Guerra Mundial, os cientistas passaram a lidar com uma população mais velha. Após derrotar várias doenças infecciosas, graças ao avanço dos protocolos e da tecnologia médica, a expectativa de vida aumentou.

Atualmente, o envelhecimento é uma etapa em que muitos não pensam, com exceção daqueles que cuidam de alguém idoso e dos que estão nessa fase. É isso que vemos na maioria dos países do ocidente, talvez porque vivemos em uma sociedade que nos incentiva a ser jovens por mais tempo e tentamos impedir que nosso corpo envelheça através de produtos, exercícios, cirurgias etc.

Além disso, não se fala muito na morte; é como se não quiséssemos tocar nesse assunto… e o mesmo acontece com o envelhecimento. Em vários países a população idosa é excluída, ocupando os asilos longe do núcleo familiar. Em outras palavras, deixamos de valorizar a experiência de um adulto mais velho e passamos a subestimá-la, sem pensar que algum dia chegaremos a essa idade.

Em alguns locais do oriente, o panorama é diferente. Em países como o Japão, o idoso é visto como alguém honrado devido à sua sabedoria. Por isso, é tratado com respeito e admiração.

O que é o envelhecimento ativo?

O envelhecimento ativo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde, consiste em otimizar o bem-estar em três níveis:

  • Físico. Trata-se de tudo que tem a ver com o nosso corpo.
  • Social. Consiste nas interações que estabelecemos; por exemplo, uma relação tóxica poderia resultar em um nível pior de bem-estar.
  • Mental. Aqui interessam os aspectos do mundo afetivo e cognitivo do ser humano.

A ideia é que isso ocorra durante toda a vida. Com que finalidade? Para expandir a qualidade de vida, a produtividade e a expectativa de vida saudável na terceira idade.

Isso significa que o envelhecimento ativo enfatiza a saúde de maneira abrangente, levando em consideração todas as etapas pelas quais o indivíduo passa, pois a prevenção pode ajudar a melhorar esses aspectos.

Casal de pessoas mais velhas
Publicado em Educação, Frases célebres, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Saúde | Deixe um comentário

REO Brothers e os sucessos musicais Mrs. Robinson / Something – Show de interpretação!!!

Para este momento semanal de música aqui no blog, trago hoje o grupo filipino REO Brothers, formado por quatro irmãos muito talentosos, que tomei conhecimento dias atrás por indicação de um amigo e colaborador.

A banda, originária da cidade de Tacloban, Philippines, iniciou atividades em 2009, tendo como principal característica interpretar sucessos musicais de bandas famosas (The Beatles, Bee Gees etc.) dos anos 1950 – 1970.

Fiquei encantado com o que vi, pela qualidade das canções escolhidas por eles (gravação de sucessos internacionais que marcaram época), pela forma como eles interpretam, muito próxima das gravações originais que tanto aplaudimos, pela harmonia vocal e complementaridade instrumental e, além de tudo, pela agradável atmosfera que nos passam em cada trabalho, cuja produção parece acontecer em um estúdio tipo caseiro, lembrando o espaço de uma garagem!

Para que vocês conheçam melhor esse admirável grupo de jovens artistas musicais, selecionei dois vídeos, entre diversos que estão publicados no YouTube, canal REO Brothers. O primeiro, com apresentação da famosa Mrs. Robinson, de Paul Simon e Garfunkel, que estourou no final dos anos 1960. O segundo vídeo mostra interpretação da canção Something, composta por George Harrison, um memorável sucesso dos Beatles, de 1969.

A música é realmente encantadora, absolutamente necessária para cada um de nós, e felizmente os talentos que lhe dão vida estão espalhados por todas as partes do planeta. A banda REO Brothers é mais um exemplo disso. Curtam a seguir:

Publicado em Músicas | 4 Comentários

AUSÊNCIA DE SINTOMAS NÃO É SINAL DE BOA SAÚDE | Fabiano Moulin (vídeo)!

“Em saúde nós colhemos o que plantamos”!

Para hoje, destaco mais uma boa exposição do conhecido neurologista Fabiano Moulin, trazida nesse recente vídeo da Casa do Saber. Ele traça interessante argumentação, a partir de analogia entre a forma como se lida com a saúde e com o dinheiro, demonstrando que a ausência de sintomas não é, necessariamente, sinal de uma boa saúde.

Entre vários pontos destacados, temos enfatizada a importância, por exemplo, dos fatores mentalidade consciente e focada, além da autorresponsabilidade. Cada um precisa investir permanentemente na sua saúde.

No geral, temos mais uma vez confirmada a lógica, que frequentemente procuro demonstrar em variadas postagens por aqui, além do que registrei no meu livro LONGEVIDADE, no sentido de que a saúde do indivíduo é em grande medida resultante do que ele faz e de como se cuida no dia a dia.

Sobre isso, o Dr. Fabiano deixa claro que ao criarmos demandas diárias maiores do que o nosso potencial nós estamos fomentando adoecimento.

Um conteúdo que gostei muito, educativo, necessário para o bem viver. Portanto, não poderia deixar de compartilhar aqui. Confira a seguir (o vídeo está publicado no YouTube – duração 7:29):

Publicado em Educação, Psicologia e comportamento, Saúde, Vídeos diversos | 4 Comentários

Carta do COVID-19 para a humanidade – Outro texto, outro vídeo (legendado)!

Em um momento tão inusitado e difícil como o que enfrentamos por conta da pandemia, refletir e procurar aprendizados é absolutamente necessário, sobretudo porque o mundo vai seguir a sua marcha e precisamos rever muitas coisas e comportamentos de um cotidiano que, passada a tempestade, estará grandemente modificado. Creio, verdadeiramente, que estamos diante de preciosa oportunidade de evolução que o destino concede a cada um de nós.

Entre diversas publicações que tenho feito aqui sobre esse desafiador contexto, destaco o post de 20 de março, dois meses atrás, trazendo vídeo muito interessante sobre o que seria uma “carta do coronavírus” com providencial mensagem para todos nós – https://jcdattoli.wordpress.com/wp-admin/post.php?post=14434&action=edit.

Agora, trago outro vídeo, de mesma motivação, com texto de autoria desconhecida, narrado em italiano e legendado para o português. Temos aí mais uma impactante reflexão de tudo o que está acontecendo, do que chama a atenção, em especial, o convite para que possamos valorizar as relações humanas, o espírito de colaboração entre as pessoas, a família, a natureza, as pequenas (simples) atitudes que resultem na promoção do bem-estar; enfim, como mote da mensagem, a esperança de que sejamos pessoas melhores mesmo quando o vírus não mais estiver aqui, ou seja, quando não representar real ameaça para a vida de cada um.

O vídeo está no YouTube, publicado no canal VIDEOSDOZAP, duração 4:50.

Confira:

Publicado em Educação, Meditação e Espiritualidade, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Vídeos diversos | 2 Comentários

LOVE OF MY LIFE (instrumental) | Brian May & Božo Paradžik – Show!!!

Para hoje, volto com mais um vídeo de música instrumental de alto nível que, verdadeiramente inspirador, serve também para matar saudade de um sucesso musical que merece estar sempre presente.

Em incrível gravação, Brian May, músico inglês e conhecido guitarrista da banda inglesa Queen, e Božo Paradžik, instrumentista croata e solista de contrabaixo acústico (double bass), interpretam a maravilhosa canção LOVE OF MY LIFE, escrita em 1975 por Freddie Mercury.

Nessa performance eles nos brindam com um show muito especial, do qual destacaria, entre vários aspectos virtuosos, uma sonoridade contagiante e uma complementaridade instrumental memorável. Vale muito a pena assistir!!!

Confira o vídeo:

Publicado em Músicas | 5 Comentários

‘Relaxa: A Gente Vai Embora…’ (por Sérgio Cursino)!

Destaco, nesta sexta-feira, vídeo com reflexão carregada de sabedoria, em momento bastante propício, que circulou ontem em um grupo virtual de amigos, gravado pelo conceituado comunicador Sérgio Cursino. Claro, não poderia deixar de replicar aqui!

É sempre bom termos em mente a essência dessa mensagem, que a considero, além de tudo, tranquilizadora. Vivemos por aqui não sabemos por quanto tempo, sem data de validade existencial contratada; mas é fato que partiremos em algum momento para outro estágio e as coisas, a vida, o mundo seguirão o seu curso. Creio mesmo que, conscientes dessa realidade, podemos desfrutar a vida com maior leveza, desapego e plenitude. 

Vale a pena assistir ao vídeo (duração de apenas 2:50), publicado no YouTube – canal Sérgio Cursino / O Poder da Palavra. A seguir:

Publicado em Meditação e Espiritualidade, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Vídeos diversos | 2 Comentários

‘5 práticas para fortalecer sua mente’ – Texto interessante/oportuno!

“Quando você luta com os monstros que estão na sua mente, aprende que eles estão lá para deixá-lo mais forte.”

Achei muito interessante, com boa lógica e por demais oportuno, o argumento do empresário/CEO Raul Villacis, trazido nesta matéria publicada semana passada no portal da Revista PEGN (Pequenas Empresas & Grandes Negócios), a respeito de 5 práticas que o indivíduo pode adotar para fortalecer a sua mente.

Villacis passeia sobre questões comportamentais que considero muito significativas, notadamente em situação de crise, dando realce, por exemplo, para o que chama de ‘aptidão emocional’. Entre as cinco dicas que oferece para que a pessoa possa prosperar em pleno caos, a meu ver de grande utilidade, destacaria o papel da autoconsciência para as emoções que afloram, o autocontrole (manter a calma) e o enfrentamento dos medos, fatores que têm merecido diversas postagens aqui no blog.

Ainda que a matéria esteja mais direcionada para os empreendedores, vale entender que a aplicação do referido conteúdo tem validade para qualquer pessoa que queira evoluir, avançar, prosperar e demonstrar capacidade de superação frente a grandes adversidades, independentemente da profissão e área em que atue.

Para conferir toque especial ao texto, vale destacar a informação de que o empresário, juntamente com sua esposa, acabam de superar o adoecimento pelo novo e temível vírus.

Leia a seguir:

“5 práticas para fortalecer sua mente

A capacidade de manter a calma sob pressão é uma das principais

estresse; nervosismo; calma (Foto: ThinkStock)
O maior desafio é vencer a tentação argumentar com a realidade desejando que as coisas não fossem assim (Foto: ThinkStock)

Em tempos de crise, há aqueles que são paralisados pelo medo e aqueles que são estimulados pela ocasião. Este último tipo de indivíduo sabe tem a mentalidade de não apenas suportar, mas prosperar em meio do caos, entendendo que suas atitudes de agora determinam que tipo de vida levará daqui a dez anos.

E o que separa esses indivíduos da grande maioria? Segundo Raul Villacis, empresário, investidor e CEO de uma plataforma online de investimentos, é a capacidade de manter a calma sob imensa pressão e se concentrar no que é preciso transformar para superar o desafio.

As pessoas descritas por Raul Villacis têm a capacidade de mudar sua percepção quando a realidade se altera – vencendo a tentação de argumentar com a realidade desejando que as coisas não fossem assim.

Aptidão emocional não é o mesmo que inteligência emocional para Villacis. “Embora estejam relacionadas, a inteligência emocional é a capacidade de empatia, de se colocar no lugar do outro. Aptidão emocional é a capacidade de entender nosso papel quando o chão desmorona debaixo dos nossos pés”, explica.

Aqui estão cinco maneiras pelas quais os empreendedores podem aumentar sua aptidão emocional, como o investidor enumerou no site Entrepreneur.

1. Faça checks mentais diários
Sua reação a qualquer estímulo é, em certa medida, involuntária. Se você pisa em uma pecinha de brinquedo, sente raiva quase que simultaneamente à dor. Quando assiste ao noticiário, fica ansioso. Esses pensamentos e emoções chegam a você antes que sua racionalidade tenha a chance de acompanhar.

De duas a três vezes por dia, reserve um minuto para fazer uma checagem mental e descobrir em que está se concentrando. Observe que as emoções estão à flor da pele. “Você está estressado porque está focado nas coisas negativas que estão acontecendo ou está animado com as oportunidades que estão à sua frente?”, questiona Raul Villacis.

Quando o indivíduo está no piloto automático, é fácil deixar que sentimentos negativos sobrecarregarem todo o resto – ainda que isso não seja feito conscientemente.

“Você pode conscientemente mudar seu foco e interromper o padrão de estar no piloto automático. Ao fazer esse check mental várias vezes ao dia, você fornecerá os dados para entender por que se sente desse jeito.”

Publicado em Educação, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Saúde | 2 Comentários

‘Neurociência para o bem-estar em casa’ – artigo traz boas dicas!

Já que estamos em casa, por causa da pandemia, cuidar do corpo e da mente deve merecer nossa maior atenção. Nessa circunstância, convenhamos, a sensação de bem-estar ganha bem mais  importância.

E é sobre isso que trata artigo interessante e oportuno, publicado três dias atrás no EL PAÍS.Brasil, abordando aspectos significativos de comportamento (estilo de vida), com observações e dicas úteis. Diria que os pontos enfatizados mostram-se essenciais para que a pessoa adquira hábitos saudáveis e, assim, possa viver com qualidade em casa. A neurocientista, autora do texto, explora aspectos sobre postura, respiração, alegria, silêncio/atenção.

Gostei do conteúdo e recomendo a leitura. Confira no link abaixo:

Illustración de Sr. Saia-me

https://brasil.elpais.com/brasil/2020/04/30/eps/1588262914_206573.html?ssm=FB_BR_CM&utm_source=Facebook#Echobox=1588983074

Publicado em Educação, Psicologia e comportamento, Saúde | 4 Comentários

YOU’VE GOT A FRIEND – Incrível interpretação pelo elenco do filme BEAUTIFUL (em quarentena)!

Sabe aquela linda canção You’ve Got a Friend, de Carole King, que apreciamos mundo afora desde o início dos anos 1970? Como agradável surpresa, ela aparece agora neste incrível videoclip, que congrega interpretação simultânea feita por atores que atuaram no filme Beautiful, cada um do seu canto, claro, devido ao regime de quarentena.

Vi o vídeo agora e estou aqui arrepiado pela beleza do arranjo e, em especial, pela mensagem simpática, positiva, otimista e impactante que nos passam esses talentos do cinema e, claro, também da música.

O vídeo, sob a chancela da organização The Actors Fund, que foi publicado no YouTube por HMS MEDIA, dois dias atrás, traz a seguinte mensagem principal: De todo o mundo, nesses tempos mais difíceis, o elenco de “Beautiful” quer que você saiba que “Você tem um amigo”.

Como alguém registrou em um dos comentários, “um brinde para o meu coração e ouvidos”!

Curta esta belíssima produção, inspiradora, um verdadeiro acalanto para o atual momento:

Publicado em Músicas, Vídeos diversos | 5 Comentários