Dormir bem é crucial para o bem-estar e para a saúde!

Divulgo, nesta sexta-feira, mais um artigo autoral. Espero que a leitura seja agradável e o conteúdo traga valor para você!

Dormir bem é crucial para o bem-estar e para a saúde!

“Sono não é para os fracos. Pelo contrário, é para os fortes e saudáveis.” (Fabiano Moulin, médico neurologista).

Volto a falar aqui sobre sono, sua importância e benefícios. E o gatilho para trazer esse tema é a constatação de que amanheci hoje com minha capacidade produtiva bastante reduzida, com dificuldade de raciocínio e concentração, sentindo o senso de humor abalado etc., etc., tudo isso resultante de uma noite mal dormida, seja em quantidade, pois ontem fui dormir tarde e tive que acordar cedo, seja em qualidade, pois aconteceram duas interrupções durante o sono, em fases distintas. Como eu já havia alinhavado um texto a esse respeito, dias atrás, eis que chegou a motivação e a oportunidade para fazer a postagem!

Bem, o sono é considerado, cada vez mais, como algo importante para a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Até acho que exista uma concordância geral nesse sentido, apesar de que o ritmo da vida “moderna” parece levar a uma natural redução e descuido em relação ao sono. E em tempos de longevidade crescente, dormir bem, na medida do necessário, precisa merecer a devida relevância entre as estratégias a serem adotadas para o bem viver!

Aliás, não é por acaso que no âmbito da medicina, e mais precisamente na área da neurologia, surgiu nos últimos anos a especialidade denominada de Medicina do Sono. Com efeito, já comentei aqui, e trouxe diversas publicações, sobre a importância de uma boa noite de sono para o desempenho e a qualidade de vida dos humanos, de qualquer faixa etária, observadas as características e necessidades naturais entre os bebês, os jovens, os adultos e os idosos.

O sono, dizem os especialistas, tem grande influência para o aprendizado e para o equilíbrio emocional do indivíduo. As pesquisas do cérebro mostram que o sono faz uma arrumação geral na nossa mente, promove uma verdadeira limpeza e organiza as informações que chegaram durante o dia, fazendo necessárias conexões para que o cérebro siga atuante e saudável, no contexto do processo denominado de neuroplasticidade (plasticidade neuronal), cada vez mais referido e desvendado pela neurociência.

Se você não está dormindo bem, convém procurar um especialista. Parece óbvio, mas muita gente vai se acostumando com a disfuncionalidade e acaba se complicando, adquirido problemas de saúde mais sérios. Diria que, em princípio, dormir mal é sinal de que alguma coisa não está bem com você, o está incomodando, seja nos aspectos físico ou emocional. Ao contrário, o bom sono, aquele que ocorre naturalmente, é demonstração de que a saúde está bem!

Dicas para quem precisa melhorar a qualidade do sono

De acordo com a matéria Dormir bem melhora a memória e o desempenho do cérebro, publicada no portal eletrônico G1-BEM ESTAR, …”Para uma noite de sono ser considerada boa, no entanto, é preciso quantidade e qualidade – em média, os adultos que não têm problemas de sono dormem cerca de 7 horas ou 7 horas e meia por noite, mas alguns podem precisar de mais tempo do que outros. Uma dica da neurologista Andrea Bacelar, é planejar o sono, ou seja, ter horários regulares para dormir e acordar, inclusive aos finais de semana.”

Nessa linha, observem algumas dicas, que selecionei de publicação feita no site Tudo Por Email, a seguir:

Prepare-se para dormir.

Isto pode soar estranho, mas uma das razões pelas quais ficamos acordados à noite é porque passamos de forma muito brusca do estar totalmente acordado para a tentativa de adormecer. Se você quer adormecer facilmente, passe a hora antes de dormir lentamente se preparando. Desligue o telefone, escove os dentes, leia um capítulo de um livro e, em nome de tudo que é sagrado, DESLIGUE A TV!

Medite antes de dormir.

Apenas 20 a 30 minutos de meditação são suficientes para eliminar todo o estresse de um dia longo e difícil. Esquecer o problema e se concentrar em seu bem-estar faz o seu sono ser revigorante e ajudará a evitar pesadelos e estresse.

Não durma até mais tarde.

Escolher e manter uma hora para despertar é uma das melhores coisas que você pode fazer para o seu ciclo de sono. Ter um horário fixo para acordar irá definir o seu ritmo circadiano (o cronograma de sono/vigília do seu corpo) e trazer um sentimento bom quando você acordar. Se você dormir além desse ponto, vai se sentir um pouco sonolento, mesmo se tiver dormido mais que o de costume.

Consistência, Consistência e… Consistência!

Tão importante quanto ter uma hora para acordar, é ter uma hora para ir dormir. Se você vai dormir mais ou menos na mesma hora todos os dias, às 23h, por exemplo, e certo dia vai dormir às 2h da manhã, você não vai dormir bem e vai se sentir muito mais cansado, mesmo que durma mais. O corpo anseia por hábito e rotina.

Vídeo traz boas (e recentes) revelações sobre o sono

E para fechar esta postagem, trago o vídeo POR QUE DORMIMOS?, com o médico neurologista Fabiano Moulin, que acaba de ser publicado pela Casa do Saber, no prestigiado canal da instituição mantido no YouTube.

Em sua breve exposição, com duração de apenas 4:15, o doutor Fabiano revela mais alguns conhecimentos acerca dessa atividade cerebral que, certamente, ainda carece de muitas descobertas e explicações. Mas, sem dúvida, os avanços estão acontecendo. Confira a seguir:

Comente, deixe a sua opinião aqui. Desde logo, fico agradecido!

Fontes citadas: 

http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2013/12/dormir-bem-melhora-memoria-e-o-desempenho-do-cerebro-veja-dicas.htmlhttp://

http://www.tudoporemail.com.br/content.aspx?emailid=8894

Anúncios
Publicado em Vídeos diversos, Saúde | 1 Comentário

“Há algo de grandioso acontecendo no mundo” – Veja essas percepções!

Vi circulando pela internet, nos últimos dias, um pequeno vídeo com o título HÁ ALGO GRANDIOSO ACONTECENDO NO MUNDO, que a meu ver merece atenção. O vídeo, interessante e muito pertinente, traz uma visão otimista de movimentos transformadores que estão acontecendo, de forma cada vez mais explícita e intensa, fazendo um resumo das ideias trazidas no texto de mesmo nome, de Gustavo Tanaka, cujo teor eu não conhecia e agora constatei ter sido publicado cerca de dois anos atrás.

Com efeito, tenho percebido facilmente esses sinais, ou melhor, essas evidências, nos últimos tempos. Aliás, já vinha comentando coisas a esse respeito com amigos e também em variados fóruns de discussão. Por exemplo, a crescente insatisfação de trabalhadores, de todos os níveis, com a atividade e o emprego atuais, já superando os 70% pelo mundo afora, com expressa intenção de procurar outra ocupação, tem sido registrada em diversas pesquisas realizadas no Brasil e no exterior. A busca por autoconhecimento, significado e propósito para viver, assim como pela evolução espiritual, revelada pela procura cada vez maior das pessoas por técnicas de meditação e, também, por ajuda de profissionais que atuam com orientação pessoal, como é o caso dos coaches, revela que há um nível de demanda por mudança individual – e também social – absolutamente emergente.

Por tudo isso, recomendo que assistam ao referido vídeo, a seguir, publicado no YouTube por Anjelis Luz, com duração de apenas 2:20, trazendo um breve panorama desses movimentos, que significam inquietação, mudanças e evolução ao mesmo tempo. Verdadeiras transformações em curso que compõem, na minha opinião, um conjunto de comportamentos extremamente alentador!

E para quem quiser conhecer a origem e a íntegra dessas percepções, trago link com o excelente artigo de Gustavo Tanaka, publicado em seu blog, logo abaixo.

Confiram:

https://blog.gustavotanaka.com.br/h%C3%A1-algo-de-grandioso-acontecendo-db8120e49c9f

Publicado em Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações | 2 Comentários

DE REPENTE, SESSENTA… – Uma crônica primorosa!

Imagem relacionadaImagem: askelterveyteen.com

Percorrer o processo de envelhecimento, da idade mais avançada, com plenitude, satisfação e prazer requer boa preparação, inteligência e, sobretudo, sabedoria. Esses são alguns importantes requisitos para uma verdadeira maturidade, aquela que está além dos simples cabelos brancos e do contar dos anos vividos.

E uma oportuna e bela demonstração do que é avançar no tempo, do chegar aos 60 anos de bem com a vida, está relatada na primorosa crônica DE REPENTE, SESSENTA…, de Silvana Dualibe, publicada na sua página “Meias Notas e Notas Inteiras” no Facebook, que tomei conhecimento, ontem, em grupo de whatsapp.

Trata-se de texto muito bem escrito, inspirador, com reflexões mais do que pertinentes, que certamente enriquece o conjunto de publicações feitas aqui no blog sobre o tema Longevidade. Não tenho dúvida de que você terá uma leitura prazerosa. Confira a seguir:

“DE REPENTE, SESSENTA…

(Silvana Dualibe)

Mudou o mundo e mudei eu… Muito! E tão repentinamente, apesar de terem se passado tantos anos !…
Quando completei quarenta anos, achei que a velhice estava chegando…

Ela não veio.

Quando fiz cinquenta, ela, a velhice, me pareceu chegar, com força total… Como num piscar de olhos, ela foi embora e eu vivi uma década ágil, dinâmica, agitada e nada tediosa.
Agora, faço sessenta anos, idade encarada como o início da terceira parte dos três terços de uma vida, a chamada terceira idade, que rima com “idoso”, que rima com “velhice”… Olho ao redor, procuro onde ela está (a velhice) e, juro, não a encontro!
O que mudou, então?
Mudei, mudaram as circunstâncias, as ferramentas, mas, sobretudo, mudaram as prioridades. O silêncio é mais importante. O humor é mais importante. A saúde é mais importante. A aceitação é mais importante. Entretanto, apesar de retirados alguns pedaços, eu me vejo caminhando para esse prometido encontro com a velhice, inteira.
Certos limites impostos pelos desgastes do tempo não podem ter soberania sobre a minha vontade. Assim, atendendo aos apelos dos joelhos, troco, de bom grado, os saltos altíssimos e finos por plataformas médias, a tinta que maltrata os meus cabelos, deixando-os mais finos ainda, pelos naturais fios grisalhos, que, gradativamente, livres da química, podem respirar e recuperam o antigo viço e brilho. Meus olhos cansados perderam em nitidez o que meu olhar sobre as coisas ganhou em amplitude e alcance.
Faz tempo que parei de inventar razões para viver. Estamos sempre inventando justificativas para mil e uma coisas que queremos ou não queremos, mas viver não tem justificativas, ponto. Também não há meios termos. Há acordos.
Lá pelo final dos quarenta anos, eu fiz acordos com a vida e comigo mesma… Vocês sabem, acordos são tratos, são compromissos e têm que ser levados a sério.
Eu me comprometi a viver apaziguada – com o tempo, com as perdas, com as mudanças, com as diferenças, com os limites, comigo mesma – e a curtir cada pedacinho do muito que tenho – das pessoas que permaneceram, da família construída, do patrimônio que consegui juntar, da saúde que ainda me resta, do amor que chegou para mim.
Outro trato, que é também um desafio: fracionar o tempo, para poder curtir o mosaico desse todo, que é o meu viver. Tudo à sua hora. Como uma pizza enorme, muitas fatias, todas deliciosas: lamber infinitamente meus netos, num chamego que esquece o relógio, conversar e, principalmente, ouvir as pessoas, aprendendo, todo dia, mais um pouquinho, abraçar, beijar, me entregar, alimentando meus nichos de afeto… E continuar a regar minha alma com música, leitura e com a aspiração profunda dos cheiros da minha casa, das minhas crias, do meu amor e da brisa da praia, todas as manhãs.
Meus sessenta anos foram azeitados pelos inúmeros recomeços, que me brindaram com paciência e coragem.
Tenho um profundo orgulho dos meus tropeços, pois foram eles que me ensinaram e tive a sorte de reconhecer muitos erros como degraus de crescimento, ainda a tempo de acertar meu passo e de aprumar a minha coluna. Como eu teria tudo isso se não tivesse vivido tanto?
Hoje, aos sessenta anos, eu me misturo à multidão, sou cada vez mais “ninguém” e gosto muito disso. É uma sensação libertadora, quando nos percebermos fugazes e finitos, nesse vasto universo de sucessões e renovações.
Estou viva, adequando-me, rebelando-me, atenta. Sinto-me como Cora Coralina, “com mais estrada no coração do que medo na cabeça.”
Eu já me dou por presenteada e me darei muito mais se alguns poucos guardarem de mim, um dia, um pouco mais do que apenas um pálido retrato, num canto qualquer da sala.

Fonte: https://www.facebook.com/textossilvanaduailibe/posts/1037008756402351.

Publicado em Motivação e crescimento humano | 8 Comentários

“Pesquisa Revela 7 Hábitos De Pessoas Cronicamente Infelizes” – Fique atento!

Para começar a semana, volto com reflexões que estimulem a prática do autoconhecimento, dando destaque para atitudes/comportamentos que facilitem a sensação de felicidade na maior parte do tempo!

A esse pretexto, reproduzo o excelente artigo de Tamara Star, publicado no Portal Raízes, mostrando 7 características principais de pessoas cronicamente infelizes. Vale a pena conhecer e evitar esses tipos de hábitos nocivos mencionados no texto. Ao mesmo tempo, deve-se buscar fortalecer as atitudes positivas no dia a dia. 

As dicas são valiosas e merecem uma leitura atenta. Tire o melhor proveito!

A seguir:

Foto de Infelizes

“Pesquisa Revela 7 Hábitos De Pessoas Cronicamente Infelizes

O conceito sobre felicidade se torna extremamente claro com esta definição: Existem 7 características principais de pessoas cronicamente infelizes. A pesquisadora Sonja Lyubomirsky, da revista Psychology Today, da Universidade da Califórnia, afirma que “40% da nossa capacidade para sermos felizes está em nossa disposição de mudar”.  Se isso é verdade e é, há esperança para todos nós. Existem bilhões de pessoas no nosso planeta e, claramente, algumas ficam na pinguela entre a felicidade e a infelicidade.

Aprendi, depois de muito tempo, que existem certos traços e hábitos que parecem dominar cronicamente as pessoas infelizes. Mas antes de mergulhar com você neste tema, deixe-me antecipar algo importante: Todos nós temos dias ruins e mesmo semanas, meses e anos ruins, principalmente quando caímos na armadilha de uma das sete áreas que vamos descrever.

A principal diferença entre uma vida feliz e uma vida infeliz é o tempo em permanecemos nela.

Confira as 7 categorias de pessoas cronicamente infelizes.

  1. A crença padrão é que a vida é difícil. Muito difícil…

Pessoas felizes sabem que a vida pode ser difícil, mas se dispõem a atravessar os tempos difíceis com uma atitude sábia de não se colocar no papel de vítima. É comum assumirem a responsabilidade por se meterem em confusão. E se concentram em sair dela o mais rápido possível.

Apresentam firmeza para encarar o problema em vez de reclamar das circunstâncias. Este é o sintoma de uma pessoa feliz. As pessoas infelizes se consideram vítimas e ficam presas com uma reclamação recorrente: “Olha o que aconteceu comigo”. As pessoas infelizes jamais buscam um caminho alternativo.

  1. Acredita que a maioria das pessoas não é confiável

Não é preciso dizer que confiança é importante. A maioria das pessoas felizes confia no outro. Acreditam no bem que as pessoas podem fazer. E são amáveis com todos. Por isso se tornam especialistas em construir um espírito de comunidade em torno de si.

As pessoas infelizes, ao contrário, desconfiam da maioria que conhecem e dizem que os estranhos não são confiáveis. Infelizmente essa é uma postura que, lentamente, fecha a porta a qualquer conexão externa e frustra todas as chances de fazer novos amigos.

  1. Prefere se concentrar apenas no que está errado neste mundo e não reconhecem o que é certo

Há muita coisa errada neste mundo. Nem é preciso argumentar sobre elas. Mas as pessoas infelizes fecham os olhos para o que está certo e se concentram exclusivamente no que está errado. E quando se deparam com coisas boas respondem com um duvidoso “Sim, mas…”.

As pessoas felizes estão cientes das mazelas que acontecem no mundo, mas estabelecem um ponto de equilíbrio em sua preocupação para enxergar também o que é certo. O mais apropriado, neste caso, é chamar isso de “Manter os dois olhos bem abertos”. Pessoas infelizes tendem a fechar um olho para as coisas boas com medo de que possam se distrair do que está errado. Pessoas felizes preferem manter os olhos em perspectivas. Elas sabem que em todos os lugares têm problemas, mas também fixam os olhos no que é certo.

  1. Vive a se comparar com os outros e alimenta o ciúme

As pessoas infelizes acreditam que a boa sorte de outra pessoa rouba a sua própria sorte. Acreditam que não existe bondade ao seu redor e constantemente compara o seu destino com o dos outros. Isso as leva ao ciúme e ao ressentimento.

Pessoas felizes sabem que a sua boa sorte e as circunstâncias são meros sinais de que qualquer pessoa pode desejar e alcançar a felicidade. Os povos felizes e prósperos acreditam que carregam um modelo que não pode ser duplicado por qualquer outro no planeta. Confiam em suas possibilidades e não ficam atolados pensando que a boa sorte de uma pessoa limita o resultado final na gangorra da vida.

  1. Controla sua vida com esforço exagerado

Existe uma enorme diferença entre controle e esforço para alcançar os objetivos. As pessoas felizes diariamente adotam medidas para cumprir suas metas, mas percebem, no final, que há muito pouco controle sobre o que vida lança no seu caminho.

As pessoas infelizes se esforçam ao máximo para controlar os resultados e se desmoronam quando a vida joga uma chave em seu caminho. E não conseguem abrir a porta. Pessoas felizes podem ser focadas, mas têm a capacidade de ir com o fluxo e não se esmorecem quando a vida mostra um obstáculo. E conseguem abrir a porta.

A chave dá passagem a uma porta de luz para o fim a ser alcançado. Mesmo assim, as pessoas felizes se preparam para o que pode acontecer sem se desmoronar quando os melhores planos ruírem.  Porque isso pode acontecer. Ir com no fluxo da vida e acreditar em uma nova chance é o plano B das pessoas felizes.

  1. Vislumbra o futuro com preocupação e medo

Há muito espaço de aluguel nos ouvidos das pessoas infelizes. E os seus pensamentos se enchem com o que pode dar errado em vez de pensar no que pode dar certo. Já as pessoas felizes tomam uma dose de ilusão e se permitem sonhar acordadas sobre o que gostariam de realizar na vida.

Por outro lado, as pessoas felizes também experimentam medo e preocupação, mas fazem uma distinção importante entre sentir e viver. Quando o medo ou a preocupação entra na mente de uma pessoa feliz ela se pergunta sobre a  possibilidade  de uma ação que possa evitar que o seu medo ou preocupação aconteça. Pessoas infelizes preenchem esses espaços com constante preocupação e medo do futuro.

  1. Suas conversas estão cheias de reclamações e, não raro, carregadas de fofocas

As pessoas infelizes vivem ancoradas na reclamação e gostam de viver no passado O que lhes aconteceu e as dificuldades da vida são o centro de suas conversas. Quando esgotam as coisas que têm a dizer, se voltam para a vida de outras pessoas. O que popularmente é considerado como fofocas.

Pessoas felizes vivem no agora e sonham com o futuro. São capazes de sentir a vibração positiva em todos os quadrantes. Sempre são estimuladas com algo em que estão trabalhando, se sentem gratos pelo que conseguiram e sonham com as imensas possibilidades da vida.

Óbvio que nenhum de nós é perfeito. É provável que, em alguns momentos, vamos nadar em águas negativas, mas o que importa é por quanto tempo nós ficamos lá e a forma como trabalhamos no sentido de levarmos os problemas para longe de nós. Praticar hábitos positivos diariamente é o que define as pessoas felizes. As pessoas infelizes não se comportam assim. Sempre lamentam as oportunidades perdidas colocando a culpa no outro. Por fim, mesmo que você caia, volte novamente e repita o trajeto. É na recuperação que está toda a diferença entre uma pessoa feliz e uma que se considera infeliz.

Texto de Tamara Star – Extraído de The Huffington Post, publicado originalmente por Dally Transformations. Tradução e adaptação: Portal Raízes  

Publicado em Motivação e crescimento humano, Saúde | 6 Comentários

ADELE – Set Fire To The Rain (Ao vivo no Royal Albert Hall)

Quem acompanha este blog sabe que, aos sábados, procuro destacar – e valorizar – a boa música, seus talentosos criadores e intérpretes, sem barreiras quanto à nacionalidade, estilo, idade… 

Para hoje, trago mais uma primorosa exibição de Adele, cantora e compositora britânica, em vídeo publicado no YouTube pela VEVO, gravado ao vivo no Royal Albert Hall, casa de concertos em Londres, em 2011, interpretando a canção Set Fire To The Rain, composta por Adele e Fraser T Smith.

Além da qualidade e potência de voz dessa impressionante cantora, observem que orquestração, que sonoridade, enfim, o conjunto do show!

Curtam a seguir:

Publicado em Músicas, Sem categoria | Deixe um comentário

“Saia foi feita para mulher…” – Crônica faz tributo à beleza feminina!

Nesta noite de sexta-feira, tomado pelo clima de mais um fim de semana, parece-me bem apropriado postar alguma coisa com toque poético e evidente romantismo.

Com esse espírito, trago a excelente crônica escrita pelo conterrâneo e amigo Sérgio Belleza, que acabo de receber do próprio autor, realçando, de forma inteligente e bastante inspirada, os atributos encantadores da figura feminina!

Leiam a seguir:

Resultado de imagem para mulher elegante Imagem: Mix Dicas

 

“Saia foi feita para mulher…

Sérgio Belleza*

E calça para homem. No início dos anos 70, no auge da minha juventude em Jaguaquara, o Planeta Terra sofre mutações e tudo vira pelo avesso! O rumo das coisas no mundo, especialmente no Brasil e na Bahia, mudam, assustadoramente. É a década da alternativa, do fazer, de ser diferente. A minha cidade exagera no consumo do novo, do moderno, sobretudo da liberdade e da extravagância!

Aí aparece a minissaia e cai no gosto das meninas! A moda pega e os jovens e os adultos, ficam todos boquiabertos! Desde que vi uma garota desfilando com uma minissaia, nunca mais deixei de admirar uma “belezura”, como se dizia, usando saia, sobretudo com 5, 7cm acima do joelho. Com o passar dos anos, aprendi a contemplar a beleza de uma mulher de saia e a sentir pequenos detalhes que proporcionavam um espetáculo de ilusão aos meus olhos. Compreendi também que me embevecer com a beleza de uma mulher na minúscula saia, era a capacidade de desejá-la sem perder a ternura e respeito pela obra divina do Criador!

O ilustrador, cartunista e pintor francês, Jean-Albert Carlotti (1909-2003), definiu a beleza da mulher como “o somatório de todas as partes a trabalharem em conjunto de tal forma que nada necessite ser acrescentado, retirado ou alterado… e isto és tu: a Beleza”. Carlotti certamente tinha visto naquele momento uma linda mulher com uma saia acima do joelho. Para mim, o belo não passa despercebido! Não admirar uma mulher com um corpo harmonioso, belas pernas e de saia curta, é olhar um lindo jardim e nada sentir! É como ver o infinito do mar, o nascer do sol, o recuar do entardecer, o canto dos pássaros, o sorriso de uma criança sem sentir um aperto no fundo do peito. Mesmo porque, a beleza das coisas existe no espírito de quem as contempla de todo o seu coração!

Alguns admiram, outros apenas enxergam a beleza das coisas, a beleza de uma jovem de minissaia, de uma mulher de saia curta, ou uma senhora de saia. Quando meus olhos e minhas palavras deixarem de expressar o que o meu coração sente, prefiro morrer. Bob Marley dizia que alguns sentem a chuva, outros apenas se molham. Sentir é vibrar, admirar, viver com intensidade, mas com naturalidade, maturidade, e saber identificar os desejos ardentes do  coração.

Saia foi feita pra mulher, e calça para homem. Calça para homem dispensa comentários. Para a mulher a calça também fica muito bem, porém requer imaginação. Saia é outra coisa.

A saia em seus diversos estilos traduz elegância, sensualidade e beleza. Algumas em destaque há anos – a “plissada” que dá um ar de vintage aos looks, a de “prega” um ar fetichista; a “drapeada” mais ajustada ao corpo.  E ainda a de “babados” para as longevas. A “evasê” é ícone da Vanguarda dos anos 60, utilizada por jovens e senhoras. A saia godê, típica dos anos 1950 e 1980 e, usada nos dias atuais, é sinônimo de romantismo e feminilidade. Ou a minissaia para desestruturar ainda mais o já combalido macho latino-americano.

Num shopping, na rua, em qualquer lugar, quando uma mulher passa de saia desfilando no palco da vida, ela expõe por inteiro sua simetria entre a arte e o belo, é a própria extensão do sublime. Em tempo ressalto – não devemos admirá-la ou elogiá-la por partes, é necessária a harmonização circunspecta de todo o seu ser.

*Sérgio Belleza é administrador, empresário, consultor e autor dos livros, Caminhado com Walkyria e Ascensão e Queda de um Império Econômico. srsbelleza@bol.com.br / www.sergiobelleza.com.br.

Publicado em Poesia | 4 Comentários

‘6 coisas incríveis que o seu cérebro consegue fazer’

Volto a divulgar novas descobertas sobre a atuação do cérebro humano, como resultado de pesquisas e de continuados avanços da neurociência, dando ênfase, hoje, para algumas das incríveis atividades cerebrais que ocorrem sem a participação do consciente.

Com efeito, já foram noticiados estudos, em algumas oportunidades, comprovando que decisões tomadas com base na intuição, inclusive por altos executivos no dia a dia das suas corporações, apresentam nível de acerto superior a 80%. A propósito, tentando esclarecer o que se entende por intuição, e abstraindo qualquer conotação de poderes sobrenaturais, seria a capacidade de compreender as coisas de pronto, sem a utilização de raciocínios elaborados. São conhecimentos (ou respostas) a que se chegam sem o emprego da racionalidade. De acordo com o site ‘br.answers.yahoo.com’, … “Os cientistas acreditam que são decisões com base em mecanismos inconscientes de seu cérebro”.

Indo direto ao ponto, reproduzo interessante artigo, publicado no portal eletrônico da revista GALILEU, com achados de pesquisas mostrando alguns feitos impressionantes, processados pelo cérebro, sem que as pessoas, racionalmente, se deem conta. Confiram a seguir: 

“6 coisas incríveis que o seu cérebro consegue fazer

Cérebro (Foto: Flickr/ dierk schaefer/ Creative Commons)(FOTO: FLICKR/ DIERK SCHAEFER/ CREATIVE COMMONS)

Você sabe o que Sigmund Freud e especialistas de neurociência têm em comum? Eles concordam que o cérebro possui uma capacidade excepcional de realizar atividades sem o envolvimento da consciência — ou seja, sem você nem perceber. Abaixo, confira algumas proezas da mente.

Se programar para levantar
Um estudo da Universidade de Lubeck, na Alemanha, colocou voluntários para dormir à meia-noite durante três noites. Os participantes foram divididos em dois grupos, sendo que um seria acordado às nove, e outro às seis da manhã. Entretanto, com a turma das nove, os pesquisadores adiantaram o horário de despertar, e os acordaram também às seis.

Quem foi acordado às seis da manhã teve um pico de corticotrofina — hormônio do estresse — no organismo durante quatro e meia da madrugada e seis da manhã. Já as pessoas que foram acordadas de surpresa às seis não tiveram esse problema. Para os especialistas, o inconsciente pode ativar o relógio biológico para acelerar o processo de despertar.

Tomar decisões complexas
Uma pesquisa da Universidade de Nijmegen, na Holanda, apontou que o subconsciente consegue fazer melhores escolhas do que o consciente. De acordo com a análise, se distrair do problema pode ser um bom fator porque o inconsciente consegue ir além da capacidade da memória ativa no momento da decisão.

O resultado pode parecer ser bom demais para ser verdade. Tanto que diversos cientistas tentraram replicar o estudo, mas não tiveram sucesso. Contudo, Ap Dijksterhuis, autor da pesquisa em Nijmegen, segue confiante no diagnóstico que ele e sua equipe fizeram.

Entender rapidamente o caráter das pessoas
No começo dos anos 1990, pesquisadores da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, pediram que voluntários dessem notas para professores de acordo com as seguintes características: competência, confiança e honestidade. Os participantes puderam observá-los por clipes de vídeos que duravam dois, cinco ou dez segundos.

Os resultados previram as avaliações do fim do semestre, feitas pelos alunos. As impressões de dois segundos foram mais precisas do que as mais longas. Para os especialistas, a linguagem corporal é entendida pelo subconsciente, que consegue ‘classificar’ a personalidade de alguém.

Você estimularia seu cérebro com uma leve corrente elétrica? (Foto: Flickr/ Creative Commons)(FOTO: FLICKR/ CREATIVE COMMONS)

Saber onde os membros estão — sem pensar 
Graças ao inconsciente, é possível saber o que os membros do corpo estão fazendo e onde eles estão. A habilidade, chamada de propriocepção, é resultado da conversa constante entre o corpo e o cérebro. Ou seja, dos nervos e músculos e das sensações de fora do corpo.

“O cérebro sabe onde o corpo termina e o onde ambiente exterior começa”, disse Arvid Guterstam, do Instituto Karolinska, na Suécia.

Desenvolver hábitos
O corpo estriado, região do cerebral, é responsável por formar hábitos recorrentes. Quando você faz algo, como dirigir ou preparar um café, o córtex pré-frontal — envolvido em tarefas complexas — se comunica com o estriado, que envia sinais para ativar movimentos.

Com o tempo, os sinais são substituídos pela ligação do estriado com o córtex motor. Esses ciclos, junto com os circuitos de memória, permite a repetição de ações sem ser necessário o pensamento.

Identificar sons e imagens antecipadamente
Estudos mostraram que quando as pessoas esperam que um som ou imagem apareça, o cérebro gera um sinal antecipado com sensores do córtex.

A habilidade de estar um passo à frente é importante para entender discursos. “O cérebro continuamente prevê sons, palavas e significados que as pessoas estão tentanto produzir ou comunicar”, falou Matt Davis, da Universidade de Cambridge. “Apenas notamos um objeto quando o inconsciente calcua sua importância.”

Outras pesquisas também apontaram que o cérebro consegue usar sensores para informar. Ao escutar a gravação de um discurso, por exemplo, no qual o áudio está com uma má qualidade, as palavras ficam mais claras caso a pessoa já tenha lido o termo em algum lugar. “Os sensores no cérebro estão comparando o discurso que você ouviu com o que você previu”, explicou Davis.

(Com informações de New Scientist)

Fonte – http://revistagalileu.globo.com/Ciencia/noticia/2017/09/6-coisas-incriveis-que-o-seu-subconsciente-consegue-fazer.html

Publicado em Sem categoria | 1 Comentário

O QUE VOCÊ CONSEGUE (OU NÃO) MUDAR EM SI MESMO – Excelente vídeo sobre autoconhecimento!

“Há coisas que você pode mudar parcialmente e há coisas que você não vai mudar na sua vida”!

Divulgo mais um interessante e esclarecedor vídeo com o psicólogo Luiz Alberto Hanns, produzido pela Casa do Saber, com o título O QUE VOCÊ CONSEGUE (OU NÃO) MUDAR EM SI MESMO. Trata-se de abordagem direta e muito efetiva sobre autoconhecimento. Mais do que boa informação, acredito que o conteúdo lhe proporcionará providenciais reflexões.

Durante a abordagem você vai perceber que existem características biológicas da personalidade que podem trazer, a princípio, limitação pessoal, mas que, entretanto, podem ser desenvolvidas (modificadas). Outras, pela dificuldade de superação, têm na simples compreensão e aceitação o melhor caminho para evitar sacrifícios e frustrações. Sem dúvida, uma preciosa contribuição para o exercício do “conhece-te a ti mesmo”. Vale muito a pena assistir!

O vídeo, de link a seguir, está disponível no YouTube e tem duração de apenas 5:28:

 

Publicado em Motivação e crescimento humano | 3 Comentários

“CUIDADO COM A MEMÓRIA DE SUA CASA” (oportuna reflexão)!

Imagem relacionadaImagemindependent.ie

Em virtude da fartamente comprovada força vibracional dos pensamentos e das palavras, a exemplo do que tem sido informado por conta de estudos, pesquisas e conclusões no âmbito da Física Quântica, trago hoje o texto CUIDADO COM A MEMÓRIA DE SUA CASA, cuja autoria é atribuída ao líder espiritual Chico Xavier (1910 – 2002), um dos mais proeminentes médiuns brasileiros, a respeito do ambiente em que habitamos. Essa publicação se soma a várias outras, na mesma linha, que tenho postado aqui no blog.

Antes, porém, como pano de fundo para essa abordagem, destaco a afirmação do extraordinário médico indiano e escritor Deepak Chopra, em seu livro CORPO SEM IDADE, MENTE SEM FRONTEIRAS, escrito sob influência da Física Quântica e já referido aqui anteriormente: “O que há de essencial no universo, inclusive o seu corpo, é não-matéria, só que não é não-matéria comum. É uma não-matéria que pensa.”

Nesse esteira, tenho cada vez mais convicção de que a qualidade (e a leveza) do ambiente em que residimos – aliás, a rigor, de todos os ambientes que frequentamos – contribuem significativamente para o nosso equilíbrio, a sensação de bem-estar e para a nossa própria saúde plena. Portanto, o texto abaixo, publicado no site PENSADOR (entre outros), merece leitura e atenção:

“CUIDADO COM A MEMÓRIA DE SUA CASA 
(Chico Xavier) 

O padrão vibratório de uma casa tem relação direta com a energia e o estado de espírito de seus moradores.

O conjunto de pensamentos, sentimentos, estado de espírito, condições físicas, anseios e intenções dos moradores fica impregnado no ambiente, criando o que se chama de egrégora.

O que poucos sabem é que as paredes, objetos e a atmosfera da casa têm memória e registram as energias de todos os acontecimentos e do estado de espírito de seus moradores.

Por isso, quando pensar na saúde energética de sua casa, tome a iniciativa básica e vital de impregnar sua atmosfera apenas com bons pensamentos e muita fé. 

Evite brigas e discussões desnecessárias. Observe seu tom de voz: nada de gritos e formas agressivas de expressão. 

Não bata portas e tente assumir gestos harmoniosos, cuidando de seus objetos e entes queridos com carinho.

Não pense mal dos outros. Pragas, nem pensar! 

Selecione muito bem as pessoas que vão frequentar sua casa.

Se você nutre uma mágoa profunda ou mesmo um ódio forte por alguém, procure ajuda para limpar essas energias densas de seu coração.

Alegria, amor, paz, prosperidade, saúde, amizades, beleza já estão bons para começar, não é mesmo? 

(Chico Xavier)

Fontes: https://www.pensador.com/frase/MjEzNzE0Ng/http:// – https://p4zeequilibrio.tumblr.com/post/165812771169/o-padr%C3%A3o-vibrat%C3%B3rio-de-uma-casa-tem-rela%C3%A7%C3%A3o

Publicado em Bom comportamento, Meditação e Espiritualidade, Meio ambiente | 6 Comentários

Relembrando GONZAGUINHA: Para matar saudade e saber mais sobre esse genial artista!

Neste espaço artístico de todos os sábados, dou destaque hoje  para o genial compositor, cantor e instrumentista Gonzaguinha, o Luiz Gonzaga do Nascimento Júnior, um dos ícones da MPB entre os anos 1960 até início da década de 1990. Era filho de Luiz Gonzaga, o Gonzagão, e nos deixou precocemente, de acidente automobilístico, em 29 de abril de 1991, aos 45 anos, após três décadas de crescente sucesso.

Para começar, vamos logo matar saudade com uma das suas marcantes composições, Sangrando, na interpretação da sempre exuberante Maria Bethânia (link a seguir):

Completando a audição, vamos relembrar outro grande sucesso, o lindo bolero Começaria Tudo Outra Vez, na interpretação de Simone e Daniel Gonzaga (filho de Gonzaguinha):

E para informar (ou atualizar) os leitores do blog, trago um histórico muito bem produzido sobre a trajetória artística desse inesquecível expoente da nossa MPB. O texto-resenha foi  publicado no blog “esteriltipo”, postado por Ricardo Cunha. Tenho certeza de que você vai gostar de saber mais alguns detalhes a respeito de Gonzaguinha, suas facetas, suas inspirações!

Leiam o excelente texto, que reproduzo a seguir:

“Gonzaguinha: político e romântico

[O texto a seguir é uma colaboração de Neivaldo Araújo]

No último dia 29 de abril, completou 25 anos da morte do cantor e compositor Gonzaguinha, que partiu cedo, com 46 anos. Passou parte da infância no Morro de São Carlos, e nunca teve um bom relacionamento com o pai, o grande sanfoneiro Luiz Gonzaga, considerado um mito no Nordeste. No fim da vida de Gonzagão, como era conhecido, a música uniu os dois e juntos fizeram alguns trabalhos.

Existiam dois, Gonzaguinhas um era político, rancoroso, essa definição recebeu da mídia principalmente devido a canção “Comportamento Geral”, que pede para esquecer que está desempregado e rezar pelo bem do patrão e outro era romântico, moleque capaz de escrever lindas canções de amor que se tornaram sucesso na voz de cantoras, como Maria Bethânia e Simone.

Gonzaguinha soube com extrema competência fugir do estigma de “maldito” que estagnou a carreira de muitos artistas de sua geração, com sambas alegres, de bem com vida, como quem trazia uma nova esperança para o Brasil.

Vamos conhecer algumas das canções que definem bem essas duas vertentes do artista:

O Político

“Comportamento Geral” em 1973, Gonzaguinha participou do programa Flávio Cavalcanti apresentando a música num dos concursos promovidos pelo programa. Os jurados ficaram apavorados com a letra de protesto, a apresentação agressiva e pouco agradável aos olhos dos meios de comunicação, lhe valeu o apelido de “cantor rancor”.

Muita polêmica, uma advertência da censura, mas, em compensação, o compacto, gravado pelo compositor, que estava encalhado nas prateleiras das lojas, esgotou-se em poucos dias e logo Gonzaguinha pulava do quase anonimato para as paradas de sucesso na Rádio Tamoio e era convidado para gravar um novo disco.

“Dias Santos e Silva” é faixa de abertura do LP Moleque Gonzaguinha de 1977, uma descrição irônica e humorada do cotidiano da luta de um trabalhador.

“Geraldinos e Arquibaldos” aparece no terceiro disco de Gonzaguinha de 1975 e arrefece a tendência política do autor, a letra fala com carinho e amarga esperança da expectativa dos frequentadores das gerais e das arquibancadas dos estádios de futebol.

Esteve presente na trilha sonora da novela “Cama de Gato” (2009/2010) em duas diferentes gravações, Chicas e Gonzaguinha, também participou da trilha sonora de “Duas Caras (2007/2008) – Chicas.

“Pois é, seu Zé” revela a visão do autor sobre a vida urbana, fala da solidão, da violência e principalmente da alienação como defesa para sobreviver.

“Teatro de Revista” canção do LP Moleque Gonzaguinha de 1977, traz uma visão sofrida de uma época conhecida pelo seu glamour o Teatro de Revista um espetáculo teatral responsável pela revelação de inúmeros talentos no cenário cultural desde a cantora luso-brasileira Carmem Miranda, sua irmã Aurora, Odaleia Guedes dos Santos (mãe de Gonzaguinha) as chamadas vedetes de imenso sucesso como Suzy King, Wilza Carla, Dercy Gonçalves, Elvira Pagã, Mara Rúbia, Luz del Fuego.

“O Que é o Que é”, Além das canções mais pungentes e sofridas que lhe renderam muito sucesso, Gonzaguinha também era capaz de fazer música alegre e otimista, isso é o caso mostrado no samba, uma boa composição que, depois de justificar com inúmeras razões o direito a felicidade, explode num vibrante refrão que é um verdadeiro hino de amor à vida, em ritmo de samba enredo, o que sugere um canto coletivo e empolgado, como é de praxe do gênero.

“E vamos à Luta” música que deu título ao LP da cantora Alcione de 1980 e incluída no LP “De volta ao começo” de Gonzaguinha também de 1980, ativo apoiador do movimento estudantil da década de 70 e 80, Gonzaguinha compôs a música simples, alegre e bonita em homenagem aos militantes e a juventude que organizavam a resistência à gerência militar no país, apesar de tantas dificuldades a música é um alento à esperança.

“É” Gonzaguinha jamais abandonou sua verve político-social, já que em todos os seus discos sempre havia músicas que falavam dos rumos do país e da situação do povo brasileiro, esta canção foi um dos últimos grandes sucessos, (“A gente não tem cara de babaca”), de 1988, revela-se um protesto ainda incrivelmente atual: “A gente quer é ser um cidadão/ A gente quer viver uma nação.”, foi tema da abertura da novela Vidas em Jogo, da Rede Record, na gravação de 1988.

O Romântico

“Começaria Tudo Outra Vez”, foi seu primeiro grande sucesso, muito bem composto em ritmo de bolero, seria lançado por Maria Bethânia, não por coincidência a intérprete ideal de Gonzaguinha, é uma letra extensa, ao mesmo tempo sofrida e agressiva, que focaliza um conflito amoroso, irremediável, amenizado pela possibilidade de um esperanço recomeço.

“Explode Coração” canção de Gonzaguinha, intitulada originalmente “Não dar mais pra Segurar”, esta canção viria a ser conhecida como Explode Coração, devido o verso que representa o momento culminante da letra, aliás, das mais angustiadas, masoquistas e carregadas de amargor, com tal força dramática, a canção teria mesmo que “explodir” na voz de Maria Bethânia, em um dos seus melhores álbuns: Álibi de 1978.

“Grito de Alerta” obteve inspiração para a criação através de uma história vivida pelo cantor Agnaldo Timóteo, grande amigo seu. Foi o próprio Agnaldo que contou a Gonzaguinha a história em uma madrugada. Agnaldo estava vivendo um romance perturbado com Paulo Cesar Souza, cheio de desencontros e brigas. Comovido, Gonzaguinha escreveu “Grito de Alerta”, canção com uma personagem cheio de dores graças ao amor, e que clama ao amado por paz no relacionamento.

Porém, antes de Agnaldo saber da existência da canção, Gonzaguinha a entregou para a cantora Maria Bethânia, a canção de tema homoafetivo ganhou interpretação intensa e dramática pela cantora, responsável por outras canções de personagens que se entregam intensamente ao amor, e tornou-se logo um grande sucesso dela e um dos maiores êxitos do bem sucedido álbum Grito de Alerta de 1979, acabou entrando na trilha sonora da novela “Água Viva”, exibida pela Rede Globo no ano seguinte.

Quando Agnaldo Timóteo ficou sabendo da canção, Bethânia já tinha a gravado. Irritado por não ter sido o primeiro a gravar a canção cuja história era sobre ele, acabou sendo o segundo a gravar, sua versão foi adicionada ao álbum Deixe-me Viver, mas não conseguiu destaque. No ano seguinte foi Gonzaguinha quem a gravou no seu álbum De Volta ao Começo. Outras versões surgiram em 2001 por Emílio Santiago e em 2004 por Bruno e Marrone.

“Sangrando” canção de Gonzaguinha, escrita em uma época que o autor morava em Belo Horizonte, para muitos críticos sua melhor fase. A letra é um pungente declaração de amor, que ganharia na gravação da cantora Simone no seu álbum “Sou Eu” de 1993, sua melhor versão.

“Um Homem também Chora” também conhecida por Guerreiro Menino, a letra é uma crítica tanto ao capitalismo como ao machismo de uma forma bem sentimental, a musica se tornaria um grande sucesso na gravação do cearense Raimundo Fagner, no seu álbum de 1983, esta versão foi incluída na trilha sonora da telenovela “Voltei para Você” exibida em 1984 pela Rede Globo.

“Mamão com Mel” Gonzaguinha chegou aos anos 80 de pazes feita com a vida. Nessa época escreveu diversas canções falando das coisas boas da vida e do amor, sem dúvida esta é uma das musicas mais românticas do seu repertório, foi tema da novela Selva de Pedra exibida pela Rede Globo em 1986.

Em 2011 a canção voltaria a ser incluída em outra novela, – Aquele Beijo – , também exibida pela Rede Globo, em uma versão gravada por Thiaguinho, sendo a primeira canção do cantor em uma trilha sonora de telenovela.

Gonzaguinha, apesar de ter morrido prematuramente em um acidente automobilístico, figura entre os maiores compositores da música brasileira, sempre contestador, inquieto e polêmico, viveu intensamente, será eterno através de suas canções que constantemente são revisitadas pelas novas gerações da música popular brasileira.

Neivaldo Araújo

Tendo a música como seu maior referencial artístico e cultural, pesquisa e escreve sobre temas como o romantismo e o existencialismo dos anos 70 e 80, os quais, foram imprescindíveis para o surgimento e a qualificação dos movimentos musicais brasileiros e internacionais.

Obs: na reprodução acima, retirei os vídeos. Para conferir a publicação e assistir aos vídeos como originalmente postados, veja a seguir:  https://metafono.wordpress.com/2016/05/08/gonzaguinha-politico-e-romantico/.

Publicado em Músicas | 8 Comentários