“As dez habilidades profissionais mais requisitadas nos currículos, segundo o LinkedIn”

Para quem está no mercado de trabalho, ou se prepara para iniciar essa jornada, ou deseja buscar melhor posicionamento e valorização/remuneração na carreira, esta excelente e oportuna publicação que reproduzo abaixo, trazida no portal eletrônico BBC News-Brasil, é muitíssimo importante!

A matéria valeu-se de estudo, realizado a partir do banco de informações do LinkedIn, com o propósito de identificar perfis profissionais que vêm conseguindo melhor remuneração, ou, mais objetivamente, quais habilidades individuais vêm sendo mais demandadas e fazendo maior sucesso na atualidade.  

Os resultados devem ser vistos, sobretudo, como indicativos de tendências de demandas profissionais que devem ser buscadas, firmemente, de agora em diante.

Confira:

“As dez habilidades profissionais mais requisitadas nos currículos, segundo o LinkedIn

Mulher de camisa, calça-jeans, cabelos trançado preso no alto, sorrindo, com braços cruzados e em frente a uma parede GETTY IMAGES

Criatividade é a habilidade mais desejada pelas empresas

Ter um diploma e vários anos de experiência não são, necessariamente, garantia de um bom emprego. A pergunta-chave a ser feita é: o que você sabe fazer? O candidato a uma vaga de emprego deve demonstrar que – além do fato de ser engenheiro, advogado, programador ou relações públicas – tem as habilidades que a empresa esteja buscando.

E essas habilidades perpassam diversas profissões, uma vez que dizem respeito à forma de resolver desafios profissionais, de acordo com um estudo publicado pelo LinkedIn, rede social de perfis profissionais.

Segundo a pesquisa, os empregadores estão buscando uma combinação de soft skills, habilidades socioemocionais, e hard skills, habilidades mais técnicas. A criatividade aparece no topo da lista.

As hard skills são definidas pelo LinkeIn como “específicas, ensináveis, que podem ser definidas e medidas, como digitar, escrever, matemática, ler e a habilidade de usar programas de software’.

As soft skills são definidas como “menos palpáveis, mais difíceis de quantificar, como etiqueta, facilidade em se relacionar bem com outras pessoas, ouvir, se engajar em conversa fiada”.

Uma ideia parecida foi apresentada no relatório “O futuro do trabalho”, do Fórum Econômico Mundial, que assinalou que a iniciativa, a originalidade e o pensamento crítico serão cada vez mais valorizados.

Desenho de uma nuvem em um fundo tecnológicoDireito de imagem GETTY IMAGES
O manejo de dados na nuvem é uma das “habilidades dura” mais requeridas

‘Soft skills’

– Criatividade Segundo o Linked, “enquanto robôs são bons em otimizar ideias antigas, empresas precisam mais de empregados criativos para conceber as soluções de amanhã”.

– Persuasão “Ter um bom produto, uma boa plataforma ou um bom conceito é uma coisa, mas a chave é persuadir as pessoas a comprá-las”

– Colaboração “Com projetos ficando cada vez mais complexos e globalizados na era da Inteligência Artificial, a colaboração eficiente só cresce em importância”.

– Adaptabilidade “Uma mente adaptável é uma ferramenta essencial para navegar pelo mundo de hoje em constante mudança, já que as soluções de ontem não vão resolver os problemas de amanhã.”

– Manejo do tempo “Uma competência eterna, saber administrar o tempo hoje te servirá pelo resto da carreira.”

‘Hard skills’

– Manejo de dados na nuvem “Enquanto o mundo se atira para a nuvem, companhias buscam desesperadamente por engenheiros com competências para acomodar essa demanda.”

– Inteligência artificial “É oficial: chegamos à Idade da Inteligência Artificial.”

– Raciocínio analítico “Enquanto coletam dados como nunca antes, empresas estão sedentas por profissionais que podem tomar decisões espertas baseadas neles.”

– Manejo de pessoas “O mundo mudou de um modelo ‘comandar-e-controlar’ para líderes que podem treinar e empoderar, um conjunto de competências que poucos profissionais possuem.”

– User Experience Design (UX Design, Design da Experiência do Usuário, como é conhecida a destreza em compreender a interação entre usuário e tecnologias e desenvolver formas de torná-la mais fácil) “UX Design é a chave para fazer com que o mundo digital funcione para humanos.”

Empregados observado um computadorDireito de imagem GETTY IMAGES
O estudo utilizou dados de usuários do LinkedIn

A melhor mudança na sua carreira

“Melhorar as habilidades brandas é uma das melhores mudanças que você pode fazer na sua carreira, já que nunca serão redundantes”, escreveu Paul Petrone, editor de aprendizagem do LinkedIn. “O desenvolvimento da inteligência artificial fez com que as soft skills fossem cada vez mais importantes, porque são precisamente as habilidades que os robôs não podem automatizar.”

Isso não significa que os conhecimentos ultraespecializados estejam perdendo terreno. A chave está na mistura dos dois tipos de habilidades, dizem os especialistas.

Os trabalhadores, por outro lado, estão cada vez mais interessados em adquirir novas habilidades. Por isso, tem sido tão propagada a ideia de que você nunca deve deixar de estudar e aprender por iniciativa própria.

O medo de “ficar obsoleto” se instalou nos locais de trabalho. E, com o boom das startups e os negócios pessoais, a cultura de trabalho vem dando um giro de grande magnitude nos últimos anos.

Nesse contexto, o perfil dos trabalhos está mudando rapidamente e a integração de equipes com pessoas de áreas diferentes é cada vez mais comum.

O estudo feito pelo LinkedIn avaliou informações sobre as habilidades que aparecem nos perfis das pessoas que utilizam a rede profissional e que conseguem empregos com salários mais altos.

Fonte: https://www.bbc.com/portuguese/geral-46927561?utm_medium=10todaybr.20190121&utm_source=email&utm_content=article&utm_campaign=10today

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s