Sobre o perdão: “Comece aprendendo a perdoar a si mesmo”

Volto hoje com o tema ‘perdão’ (ou saber perdoar). Reproduzo, a seguir, interessante artigo publicado no blog A Mente É Maravilhosa, da escritora Luciana Marques, falando mais precisamente sobre a importância, ou necessidade, de perdoar a si mesmo!

Trata-se de reflexão que precisamos ter sempre em mente, para o nosso processo de evolução pessoal, para a qualidade das nossas relações e, principalmente, para o bem viver. Leia a seguir:

Comece aprendendo a perdoar a si mesmo

 Luciana Marques 
Aprender a perdoar a si mesmo

Fico pensando, às vezes (muitas vezes), que a parte mais difícil da superação de momentos conturbados em nossas vidas é aquela em que é preciso perdoar a si mesmo.

É tão fácil narrar os acontecimentos tristes e trágicos da nossa trajetória, culpar as pessoas que estavam conosco por nossos fracassos e assumir sim uma culpa parcial, mas sem nunca eximir o outro da responsabilidade por nossa infelicidade e insucesso. “Eram as companhias, foi ele, foi ela”.

Aquela mágoa fica, corrói, decidimos que vamos seguir adiante, recomeçar, mas vez por outra tropeçamos num sentimento melancólico que nos remete ao passado e a aquele perdão que ainda não foi dado de fato.

Às vezes, depois de certo tempo, deixamos de sentir tanta mágoa e buscamos o perdão de outras pessoas. A mágoa cede então lugar para uma culpa que não passa. Até que um dia, (felizmente, eu creio), descobrimos dolorosamente que o que falta é perdoar a si mesmo. “Fui eu”.

É aquele dia que vem cheio de clarezas, como se você tivesse sido agraciado por uma luz divina que te mostrou aqueles pontos obscuros que ainda não tinha visto. Pontos em si mesmo… A gente assume a culpa. Em algum momento da vida, ou em vários deles, você fez a escolha de viver aquilo, estar naquela situação, causar aquele sentimento, cultivar uma amizade, uma relação. Seja como for, é quase avassaladora a percepção de que nós escolhemos.

Homem tentando perdoar a si mesmo

Você não foi uma vítima das circunstâncias ou de pessoas e nem fez vítimas também.Todos fazemos escolhas que nos levam aos caminhos que percorremos. Às vezes (muitas vezes), fazemos escolhas erradas. O que se há de fazer? Acho que nada, além de aprender com isso que chamamos de “experiência”.

É claro que em absoluto estou falando aqui de acontecimentos trágicos, de vitimas de violência e coisas do gênero. Estou falando de relacionamento entre pessoas. Os amores, os amigáveis, os trabalhistas, etc. Acredito que em algum momento enxergamos as coisas como desejamos que elas sejam e colocamos uma venda, às vezes bem firme, outras um pouco translúcida, mas uma que nos permita seguir adiante sem considerar muito os prós e contras.

Homem que precisa aprender a perdoar a si mesmo

Não existem vítimas ou culpados. Existem pessoas que fazem escolhas, certas ou erradas, que desenham toda a uma trajetória de vida colecionando dores, lembranças, amores, comemorações, decepções… Acho que quando nos damos conta de que tudo está relacionado às escolhas que fazemos, às expectativas que criamos, compreendemos que o que nos falta é de fato perdoar… ao outro. A nós mesmos.

O outro nos fez aquilo que permitimos. Nós fizemos ao outro aquilo que desejamos para suprir uma necessidade. E ele permitiu também. Não existem culpados. Não existem vítimas. Só pessoas, vivendo, buscando de forma egoísta e realista, aquilo que seja bom para elas.

Chega a hora difícil de se perdoar

Perdoar por ter arrumado as malas e partido. Perdoar por ter chegado com a intenção de ficar e mais tarde ter percebido que não era assim. Perdoar por confiar cegamente em alguém imperfeito. Perdoar por dizer coisas que na verdade não sentia, mas queria. Perdoar por sentir necessidade de recomeçar, mesmo quando quem vai com você está bem onde está.

Perdoar por se culpar tanto, quando tudo isso faz parte do que chamamos de viver… apenas viver. Porque não existe essa de vitimismo. Existem pessoas fazendo escolhas todo o tempo. Ação e reação. Lei da física. Lei da vida. Também conhecido como… viver.

Fonte: https://amenteemaravilhosa.com.br/aprendendo-perdoar-a-si-mesmo

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Motivação e crescimento humano. Bookmark o link permanente.

10 respostas para Sobre o perdão: “Comece aprendendo a perdoar a si mesmo”

  1. Pingback: Sobre o perdão: “Comece aprendendo a perdoar a si mesmo” – A luz de bons preceitos humanos, refletirá um estado de equilíbrio harmônico com tudo que vemos e com o que não vemos .Apenas sentimos.

  2. Gostei muito! E, além de ir visitar o link, vou vir algumas vezes reler. De certa forma, embora guardando as devidas proporções, tenha me identificado um pouco.
    Essa percepção de que precisamos nos perdoar, para seguirmos adiante, sem tantos problemas, é difícil de identificar. Muitos têm essa percepção, só após uma terapia. Porque nesse sentido, aquilo que facilmente vejo no outro, ou seja menos dolorido culpar o outro, tenho dificuldade de ver em mim,

  3. Pingback: Perdoar faz bem! – Vídeo com Dr. Fernando Lucchese | O Bem Viver

  4. Gratidão imensa pelo compartilhamento de meu artigo. ❤

  5. Anônimo disse:

    Briguei com minha mulher pq ela nao queria fazer nada em casa e mandei ela de volta para a casa dos pais dela?
    agora ela nao quer volta ,,,,,,escrevi uma carta de desculpas para mandar com flores estou com medo que ela nao volte a carta diz assim…Meu amor,

    jamais pensei que um dia fosse obrigado a escrever uma carta deste gênero, implorando desculpas à pessoa que eu amo e que eu sei que também me ama.

    Mas, infelizmente, tive que tomar esta atitude, pois sei que não tenho te tratado com o carinho que você merece, pois tenho deixado que os problemas e a tensão do dia a dia se coloquem acima do amor que eu tenho por você.

    Sei que tenho sido rude e pouco gentil, mas peço-lhe que esqueça os últimos momentos ruins, pois eu prometo que vou me esforçar para que voltemos aos nossos melhores dias, quando eu tratava você com carinho e lhe dava amor e felicidade.

    Quero de novo me dedicar de coração, corpo e alma a você, e peço-lhe novamente que me desculpe por algumas das minhas ultimas atitudes.
    A gente se difere dos animais irracionais porque pensa e fala, e na maioria das vezes a gente se parece com eles porque fala sem pensar
    Você se foi!
    E agora tudo o que resta são as coisas sem valor. Todos os motivos foram poucos para te manter Qualquer barreira que eu colocasse seria fraca para te deter. Juro, eu tentei…
    Mas descobri que meus braços eram curtos para te abraçar! Minhas mãos eram frouxas para te segurar. Queria que soubesse que me alimento das nossas lembranças.
    E que cada lágrima que cai dos meus olhos leva consigo a última das minhas esperanças.
    Olho em minha volta Parece que tudo aqui morreu Sem você o ouro virou pó.
    Sem você a luz do sol desapareceu. Desde a sua partida toda a alegria virou dor.
    Posso garantir só seu corpo consegue me aquecer. Como eu posso te provar que só ao teu lado consigo viver?!? Peço-te uma última coisa… Volta! Faço de tudo para você voltar.
    E se você ainda duvida vou te fazer acreditar. Por você eu furtaria o canto dos pássaros,
    Derreteria toda a neve do mundo. E se você ainda acha pouco, por fim,
    Eu faria até o planeta parar de girar. Não me deixe continuar a viver assim. Pois de todas as coisas que existem, Eu quero simplesmente Ter você de volta para mim!!!
    desculpas, mil desculpas! Eu sei que errei e que a situação desagradável e desconfortável que enfrento (ou enfrentamos…) foi provocada por mim mesmo. Por isso é que começo com um pedido de desculpas que vai se repetir, com certeza, quando nos encontrarmos
    pessoalmente outra vez, o que eu espero que aconteça em breve.
    Assim, admitindo e assumindo o erro, tenho esperança de que você vai
    reconsiderar. Tenho a profunda esperança de que você não vai ficar
    insensível a este meu pedido de reconciliação, pois que você é muito importante para mim e sei
    que posso ser muito importante para você. Mais do que importante, você é a
    pessoa que eu amo e quero ter comigo para sempre.
    Mais uma vez apelo para o seu perdão e imploro
    por um, dois, milhões de beijos seus!

    No dia seguinte eu vi uma tragédia na televisão. A casa dos meus sogros pegaram fogo e eles acabaram morrendo. E quanto a minha esposa, eu fiquei preocupado e apavorado. Eu fui correndo pro hospital e lá fiquei aliviado em saber que ela está bem e com apenas 10% do corpo queimado, porque o vizinho conseguiu salvá-la do incêndio. Já os pais dela não tiveram a mesma sorte, os vizinhos tentaram de tudo mas já era tarde. Só que infelizmente eu não consegui falar com a minha esposa, eu fui embora arrasado. Então eu fui dormir na casa de um amigo, porque na casa em que eu vivia com ela não iria mais ficar, porque eu não dormiria sem ela. No outro dia, estava saindo pra trabalhar quando encontrei com uma amiga dela e ela me entregou uma carta, pedindo pra eu abrir e ler. Quando eu comecei a ler, fiquei perplexo com as palavras que minha esposa escreveu:

    “Querido, eu lamento que nossa história tenha acabado desse jeito. Eu não lhe dei valor, não lhe dei respeito, amor, carinho, tudo o que eu deveria ter lhe dado. Agora que eu sumi da sua vida, você pode fazer o que quiser da sua vida, procure e sai com seus amigos, arrume outra mulher que te mereça e valoriza até o fim da sua vida. Só que a minha vida será diferente daqui pra frente, mas a sua vida continuará sendo a mesma! Você vai estar numa boa curtindo e eu vou estar numa situação que eu não queria, mas serei obrigada a passar. Eu desejo tudo de bom a você, que vc se case com a pessoa que vc encontrar, forme uma família com ela, porque eu sei que nós dois não iremos realizar nenhum desses sonhos juntos! Eu sei que vc escreveu uma carta pra mim implorando pra eu voltar, mas eu não sei se isso será possível, porque nada vai mais ser como antes e agora estou me mudando pra bem longe e vou morar com os meus tios em Santa Catarina, eles vão me buscar daqui a duas horas! Eu sei que é difícil, doloroso pra nós dois, mas vai ser melhor assim, porque como eu inalei fumaça eu irei fazer o tratamento em outra cidade, num hospital melhor do que daqui! Eu perdi meus pais, perdi a minha casa e não tenho mais nada pra fazer aqui, e mais eu tenho asma e talvez esse seja o meu último recurso e sua última chance, porque talvez eu não estarei mais aqui! Você quis assim, vc escolheu isso, porque vc achou o que era melhor pra você, então eu não vou obrigar você a ficar do meu lado! Adeus!”.

    Eu fiquei arrasado com as palavras que ela me disse na carta. A amiga dela ainda me aconselhou a ir lá no hospital, mas eu disse que se eu ir lá e quando chegar lá, ela não estará mais lá. E foi o que aconteceu, tentei mais uma vez. Quando fui ao hospital, já era tarde demais. Minha agora ex esposa tinha ido embora para Santa Catarina com os tios. Eu contei tudo pro meus amigos e eles disseram que foi melhor assim e me aconselharam a esquecê-la. Disseram que foi melhor ela mudar de cidade e que aqui nada faria bem pra ela. Realmente ela me esqueceu de vez. E agora o que eu faço? Devo seguir o meu destino ou começar tudo de novo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s