DESAPOSENTAR – Um texto inspirador sobre propósito de vida!

Crédito de imagem – www.koronowo.pl

Recebi de um amigo a crônica adiante transcrita, com o título DESAPOSENTAR, de autoria do escritor paranaense Domingos Pellegrini. O texto, escrito de forma bem humorada, traz uma narrativa muito bacana e inspiradora, falando de um idoso, aposentado, que se recusou a ficar de pijama, reclamando da vida e adoecendo. Esse personagem encontrou um propósito para o seu cotidiano, ao ter assumindo o papel de cuidador voluntário de uma praça pública, o que significou para ele manter-se ocupado, útil e motivado.

A moral da história, como será visto, é que não faltam motivos para que a pessoa se mantenha em ação, se sinta plena e atuante, ainda que se trate de um aposentado e integrante da chamada terceira idade. Por que não?

Leiam a crônica. Vale a pena!

“DESAPOSENTAR

(Domingos Pellegrini)

Ele chegou à praça com uma marreta. Endireitou a estaca de uma muda de árvore e firmou batendo com a marreta.

Amarrou a muda na estaca e se afastou como pra olhar uma obra de arte.

Não resisti a puxar conversa:

– O senhor é da prefeitura?

– Não, sou da Alice, faz quarenta e dois anos. Minha mulher.

– Ah… O senhor quem plantou essa muda?

– Não, foi a prefeitura. Uma árvore velha caiu, plantaram essa nova de  qualquer jeito, mas eu adubei, botei essa estaca aí. Olha que beleza, já está toda enfolhada. De tardezinha eu venho regar.

– Então o senhor gosta de plantas.

– De plantas, de bicho, até de gente eu gosto, filho.

– Obrigado pela parte que me cabe…Ele sorriu, tirou um tesourão da cinta e começou a podar um arbusto.

– O senhor é aposentado?

– Não, sou desaposentado.

Foi podando e explicando:

– Quando me aposentei, já tinha visto muito colega aposentar e murchar, que nem árvore que você poda e rega com ácido de bateria… Sabia que tem comerciante que rega árvore com ácido de bateria pra matar, pra árvore não encobrir a fachada da loja? É… aí fica com a loja torrando no sol!

Picotou os galhos podados, formando um tapete de folhas em redor do arbusto.
– É bom pra terra… tudo que sai da terra deve voltar pra terra… Mas   então, eu já tinha visto muito colega aposentar e murchar. Botando bermuda e chinelo e ficando em casa diante da televisão. Ou indo ao boteco pra beber cerveja, depois dormindo de tarde. Bundando e engordando… Até que   acabaram com derrame ou infarto, de não fazer nada e ainda viver falando de   doença.
Cortou umas flores, fez um ramalhete:
– Pra minha menina. A Alice. Ela é um ano mais velha que eu, mas fica uma menina quando levo flor. Ela também é desaposentada. Ajuda na escola da nossa neta, ensinando a merendeira a fazer doce com pouco açúcar e salgados com os restos dos legumes que antes eram jogados fora. E ajuda na creche  também, no hospital. Ihh… A Alice vive ajudando todo mundo, por isso não precisa de ajuda, nem tem tempo de pensar em doença.

Amarrou o ramalhete com um ramo de grama, depositou com cuidado sobre um banco.
– Pra aguar as mudas eu tenho que trazer o balde com água lá de casa. Fui à prefeitura pedir pra botarem uma torneira aqui. Disseram que não, senão o povo ia beber água e deixar vazando. Falei pra botarem uma torneira com grade e cadeado que eu cuidaria. Falaram que não. Eu teria que ficar com o cadeado e então ia ser uma torneira pública com controle particular, e não pode.

Sorriu, olhando a praça.

– Aí falei: então posso cuidar da praça, mas não posso cuidar de uma  torneira? Perguntaram, veja só, perguntaram se tenho autorização pra cuidar da praça! Nem falei mais nada. Vim embora antes que me proibissem de cuidar da praça… Ou antes que me fizessem preencher formulários em três vias com  taxa e firma reconhecida, pra fazer o que faço aqui desde que  desaposentei… Ta vendo aquele pinheiro fêmea ali? A Alice que plantou.
Só  tinha o pinheiro macho. Agora o macho vai polinizar a fêmea e ela vai dar  pinhões.

– Eu nem sabia que existe pinheiro macho e pinheiro fêmea.

– Eu também não sabia, filho. Ihh… aprendi tanta coisa cuidando dessa  praça! Hoje conheço os cantos dos passarinhos, as épocas de floração de cada planta, e vejo a passagem das estações como se fosse um filme!

– Mas ela vai demorar pra dar pinhões, hein? – falei, olhando a pinheirinha ainda da nossa altura. Ele respondeu que não tinha pressa.
– Nossa neta é criança e eu já falei pra ela que é ela quem vai colher os pinhões. Sem a prefeitura saber… e a Alice falou que, de cada pinha que  ela colher, deve plantar pelo menos um pinhão em algum lugar. Assim, no fim da vida, ela vai ter plantado um pinheiral espalhado por aí. Sem a prefeitura saber, é claro, senão podem criar um imposto pra quem planta árvores…
– É admirável ver alguém com tanta idade e tanta esperança!
Ele riu:
– Se é admirável eu não sei, filho, sei que é gostoso. E agora, com licença, que eu preciso pegar a Alice pra gente caminhar. Vida de desaposentado é assim: o dinheiro é curto, mas o dia pode ser comprido, se a gente não perder tempo!

Publicado na GAZETA DO POVO, de 22/05/05, Fortaleza-CE
Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Ações sociais e humanitárias, Motivação e crescimento humano. Bookmark o link permanente.

6 respostas para DESAPOSENTAR – Um texto inspirador sobre propósito de vida!

  1. vitor dattoli disse:

    Irado meu Tio!! Realmente Inspiradora essa desaposentadoria!!!

  2. Que lindo texto! Eu também já vi alguns idosos, se entregarem ao desânimo, por falta de opção na vida, por falta do que fazer. Esse idoso do texto em questão, escolheu apenas ser idoso, não velho e preenche seu tempo, se tornando útil. Amei a lição de vida que ele nos passa!
    Bjs

  3. Sandra Fayad disse:

    Esse é dos meus! Adorei o texto e me identifiquei com ele. Obrigada, Dáttoli. Leitura deliciosa!

  4. Pingback: DESAPOSENTAR « Associação Rumos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s