You’re The First, The Last, My Everything – Daniel Boaventura (Ao Vivo, em Moscou) – Brilhante!!!

Esta imagem possuí um atributo alt vazio; O nome do arquivo é imagem-musical1.jpg

Para este sábado, trago como inspiração musical o talentoso e muito aplaudido Daniel Boaventura, ator e cantor brasileiro, baiano, que vem fazendo crescente sucesso no Brasil e no exterior, ao interpretar sucessos marcantes em inglês, espanhol, italiano, francês e, claro, português.

Selecionei vídeo, gravado ao vivo, em show do artista que aconteceu em Moscou, em dezembro de 2018, acompanhado pela orquestra filarmônica russa Moscow City Symphony, interpretando a memorável canção You’re The First, The Last, My Everything, grande sucesso do saudoso Barry White, que escreveu a composição em parceria com Peter Radcliffe e Tony Sepe.

Um belo show, com uma orquestração muito diferenciada, que valorizou sobremaneira o brilhantismo (e o carisma) de Daniel Boaventura. Você irá gostar de assistir!

Curta a seguir:

Publicado em Músicas, Sem categoria | Marcado com , | 5 Comentários

“De acordo com a neurociência, amar nos torna mais inteligentes”

Parece-me bastante apropriado, para uma sexta-feira, falar sobre amor, ou, sendo mais direto, sobre amar outra pessoa.

Amar faz bem, é difícil duvidar disso. Como que por um passe de mágica, quem está amando tem o seu estado de ânimo diferenciado, para cima. De pronto, passa a demonstrar evidente disposição, melhor autoestima, astral elevado e sensação de bem-estar. Tudo isso, no geral, salta aos olhos. Como consequência, até em termos biológicos a pessoa que está amando causa melhor impressão, movida por uma energia diferenciada que realça, com maior clareza, aspectos positivos como jovialidade e beleza física.

O amor por outra pessoa é sabidamente transformador e, não sem motivos, inspira tantas histórias, livros, filmes, pensamentos, composições musicais, frases de efeito etc.

Para melhorar tudo isso, em relação ao que já sabíamos e ao que se fala a respeito de amar, temos agora achados científicos, no âmbito da neurociência, afirmando que a condição de amar ativa funções cognitivas que, por seu turno, tornam a pessoa mais inteligente, com impacto também sobre a inteligência emocional. Tudo de bom, claro!

E essa boa notícia vem em artigo do site A Mente É Maravilhosa, publicado no dia 5 passado, a seguir transcrito.

Confira:

“De acordo com a neurociência, amar nos torna mais inteligentes

Alguns pesquisadores concluíram que amar nos torna mais inteligentes. Isso ocorre porque nosso cérebro tem uma “rede neural de amor” e uma bioquímica específica que ativa e aumenta uma série de funções cognitivas.

De acordo com a neurociência, amar nos torna mais inteligentes

As pessoas costumam dizer que, quando alguém está apaixonado, de uma maneira ou de outra, perde a cabeça. No entanto, a neurociência provou que o oposto acontece: amar nos torna mais inteligentes.

Quando uma pessoa está apaixonada, várias coisas mudam em seu cérebro e fisiologia. Essa experiência é muito especial exatamente por causa disso.

Qualquer pessoa que está apaixonada, particularmente no início do relacionamento, se sente mais acordada e conectada emocionalmente com o mundo. Além disso, ela também se torna mais empática e compassiva.

O fato é que amar nos torna seres humanos melhores. Além disso, a neurociência descobriu que amar também nos torna mais inteligentes. Por quê? A química do amor reside principalmente no cérebro, e a transformação que ocorre quando uma pessoa se apaixona também atinge áreas que desempenham funções cognitivas.

“Sentir o amor das pessoas que nós amamos é um fogo que alimenta as nossas vidas”.
-Pablo Neruda-

Amar nos torna mais inteligentes

Para chegar à conclusão de que amar nos torna mais inteligentes, um grupo de pesquisadores da Universidade de Chicago escaneou o cérebro de várias pessoas que estavam apaixonadas. Essas imagens, além de outros testes, mostraram que as pessoas que amam pensam mais rápido, percebem os comportamentos e as ideias dos outros com mais clareza, e também são mais criativas.

Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores utilizaram eletrodos. Eles os colocaram nas cabeças dos participantes e então mostraram a eles uma série de fotos, incluindo uma de seus parceiros. Além disso, disseram a eles diferentes nomes, incluindo os de seus parceiros.

Assim, os pesquisadores descobriram que 12 áreas do cérebro eram ativadas quando essas pessoas viam sua pessoa amada ou ouviam seu nome. Uma das áreas que teve uma atividade particularmente intensa foi o giro angular, uma região tradicionalmente associada ao pensamento abstrato e à criatividade. Inclusive, essa atividade não parava quando os participantes viam fotos de outras pessoas ou ouviam outros nomes.

“Perder a cabeça”

Os resultados do estudo foram bem conclusivos: você não “perde a cabeça” quando se apaixona. Inclusive, amar realmente parece nos tornar mais inteligentes.

Os pesquisadores compararam o giro angular a um pequeno robô que ativa uma complexa rede neural, já que essa área está intimamente ligada a outras regiões do cérebro.

O giro angular desempenha um papel em funções como o processamento de números e idiomas, além de dados autobiográficos altamente complexos. Isso significa que, com o amor, também adquirimos uma capacidade especial de entender melhor nossos próprios comportamentos. Isso acontece em um nível mais profundo do que em situações normais.

Esse aumento do pensamento e da percepção torna as pessoas apaixonadas mais capazes de entender o comportamento dos outros em um plano mais profundo. Assim, elas percebem as características dos outros mais efetivamente e reconhecem seus sentimentos de uma maneira melhor. Portanto, os pesquisadores concluíram que amar também nos torna pessoas melhores.

Além da paixão inicial

Está claro que todas essas ativações e reações cerebrais são mais intensas durante a fase da paixão. No entanto, outro estudo descobriu que os mesmos efeitos podem ser observados mais tarde no relacionamento. Enquanto o amor estava presente, havia benefícios reais, mesmo que esse amor não fosse tão intenso quanto no início.

Um estudo da Universidade da Califórnia confirmou isso. Dessa vez, os pesquisadores estudaram casais que estavam juntos, em média, há 21,4 anos. O que esses casais tinham em comum era que todos afirmaram ainda estar apaixonados pelos seus respectivos parceiros. Os pesquisadores descobriram que seus cérebros reagiram de maneira semelhante à dos casais que mencionamos anteriormente, que haviam se apaixonado recentemente.

Uma observação importante foi uma maior quantidade de dopamina em seus cérebrosA dopamina é um neurotransmissor que tem efeitos importantes no humor e também influencia a atividade cognitiva. Basicamente, ela contribui para regular e modular os fluxos de informação. Nesse sentido, uma deficiência de dopamina causa déficits de memória e de atenção, e dificuldades na resolução de problemas.

Com base em todas essas evidências, pode-se afirmar que amar realmente nos torna mais inteligentes. Essa inteligência não apenas se aplica a questões estritamente cognitivas, mas também abrange o amplo mundo da inteligência emocional. Essa é mais uma razão para amar, sem medo e sem medida.

Ver a publicação original: https://amenteemaravilhosa.com.br/amar-nos-torna-mais-inteligentes/

Publicado em Frases célebres, Motivação e crescimento humano, Saúde | Marcado com , , , | 5 Comentários

“14 recomendações para chegar bem aos 80” !!!

Escolher ser feliz. A vida é feita de escolhas. Podemos… | by ...
Imagem: medium.com

De volta com o tema Longevidade, cabe considerar que, como regra geral, a boa saúde na maturidade é resultado de um continuum de bons hábitos, como atividades regulares (sobretudo os exercícios físicos), alimentação saudável e relacionamentos positivos. Quando associada a uma mentalidade mais leve e otimista, e havendo sempre algum propósito que julgue significativo cumprir, para servir de norte e inspiração, as condições básicas estão dadas para uma longevidade com qualidade e plenitude.

Muito tenho explorado aqui no blog, notadamente a partir de 2017, os fatores (pilares) que demonstram relevante contribuição para o bem viver, com ênfase no processo de envelhecimento, em especial para a etapa da vida após os 60 anos, aí compreendidas a aposentadoria e as faixas etárias denominadas terceira idade e quarta idade.

Dentro desse panorama, cada vez mais evidenciado por conta do crescente fenômeno da longevidade, reproduzo hoje um texto que achei genial, pontuado de sabedorias, elencando 14 hábitos/estilos de comportamento que seriam recomendáveis para se chegar bem aos 80.

Recebi o texto ontem, encaminhado por um amigo e colaborador de primeira hora. Como veio sem indicar a fonte e a autoria, busquei encontrar essas referências, em pesquisas pela internet, até para conferir os devidos créditos, não tendo logrado êxito.

Assim, mesmo sem conhecermos a autoria do texto, resolvi divulgar estas 14 recomendações, que podemos chamar de dicas, ou mesmo de conselhos, por considerar que temos aí dicas objetivas, muito interessantes, e que no todo ou em parte podem trazer insights e benefícios reais para muitos. Portanto, faça a sua leitura. Recomendo!

Segue a transcrição:

“Perguntei a um amigo, que está chegando aos 80, o que ele poderia recomendar para chegar tão bem a essa idade e que mudanças está sentindo?

Ele me fez as seguintes observações:

1. Depois de amar meus pais, meus irmãos, minha esposa, meus filhos, meus amigos, agora comecei a me amar.

2. Acabei de perceber que não sou “Atlas”. O mundo não repousa sobre meus ombros.

3. Agora parei de negociar com vendedores de frutas e verduras. Afinal, alguns centavos a mais não vão abrir um buraco no meu bolso, mas podem ajudar o pobre homem a economizar para as taxas escolares dos filhos.

4. Pago o taxista sem esperar o troco. O dinheiro extra pode trazer um sorriso ao seu rosto. Afinal, ele está trabalhando muito mais duro do que eu.

5. Parei de dizer aos mais velhos que já contaram essa história muitas vezes. Afinal, a história os faz trilhar o caminho da memória e reviver o passado.

6. Aprendi a não corrigir as pessoas, mesmo quando sei que estão erradas. Afinal, a responsabilidade de tornar todos perfeitos não é minha. A paz é mais preciosa do que a perfeição. (Como diz a Karín: se a pessoa vive numa bolha, deixa… não rebente a bolha).

7. Dou elogios de forma livre e generosa. Afinal, melhora o humor não só do destinatário, mas também o meu.

8. Aprendi a não ser incomodado por uma mancha na minha camisa. Afinal, a personalidade fala mais alto do que as aparências.

9. Fico longe de pessoas que não me valorizam. Afinal, elas podem não saber meu valor, mas eu sei.

10. Fico calmo quando alguém faz política suja para ficar à minha frente na corrida dos ratos. Afinal, não sou um rato e também não estou em nenhuma corrida.

11. Estou aprendendo a não ter vergonha de minhas emoções. Afinal, são minhas emoções que me tornam humano.

12. Aprendi que é melhor abandonar o ego do que romper um relacionamento. Afinal, meu ego vai me manter distante, enquanto com relacionamentos eu nunca estarei sozinho.

13. Aprendi a viver cada dia como se fosse o último. Afinal, pode ser o último.

14. Estou fazendo o que me deixa feliz. Afinal, sou responsável pela minha felicidade e devo isso a mim mesmo.”

(Autor desconhecido).

Publicado em Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento | Marcado com , , | 6 Comentários

“Solitude, a arte de preencher o vazio” – mais reflexão e informações sobre o tema!

Frases de Solidão - Mundo das Mensagens

Existe clara diferença entre solidão e solitude. Este segundo conceito surgiu para definir o estar sozinho, seja por opção ou por força de circunstâncias outras, como algo positivo. Sobre isso, vale lembrar, fiz postagem de grande sucesso aqui no blog, dia 3 passado, com o título “Solidão ou Solitude – Primorosas divagações – texto do escritor Jair Araújo!”.

Estar consciente – e com gosto – sem companhia, sentindo-se bem consigo mesmo(a), é o significado-chave para o conceito de solitude. E o que se percebe é que essa condição, ou estilo de viver, vem ganhando crescentes adeptos e merecendo compreensão cada vez maior, que está sendo impulsionada por diversos fatores, entre os quais, apenas para exemplificar, citaria o fenômeno da longevidade e até mesmo a pandemia por conta do coronavírus.

Nessa linha, volto hoje ao tema para destacar o interessante (e objetivo) artigo “Solitude, a arte de preencher o vazio”, publicado recentemente no site Envelhecer Sem Vergonha, dando ênfase para aspectos positivos da condição de estar sozinho(a) e, ainda, destacando alguns benefícios que podem ser desfrutados por quem se encontra em uma situação assim.

Vale a leitura. Confira, clicando no link a seguir:

https://www.envelhecersemvergonha.com.br/familia-e-relacionamentos/solitude-arte-de-preencher-o-vazio

Publicado em Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Saúde | Marcado com , , | 3 Comentários

Sábado e música: Sy Smith canta o grande sucesso “Lovin’ you” – Pura belezal!!!

Neste espaço de inspiração musical, aos sábados, volto hoje com a fabulosa Sy Smith, atriz e cantora norte-americana, que esteve aqui no dia 13 de junho passado. No vídeo que selecionei, você verá a artista em sensacional interpretação para a famosa “Lovin’ you”.

A canção foi sucesso em 1974, uma marca das chamadas “love songs”, lançada pela cantora Minnie Riperton (1947 – 1979), também norte-americana, que escreveu a música em parceria com Richard Rudolph.

Essa gravação é parte do show de Sy Smith com o grupo russo Syncopa Jazz, tendo ao piano elétrico Ilya Lushnikov.

Veja que maravilha de voz e de interpretação dessa genial artista. Seguramente, um momento encantador!

O vídeo está no YouTube, publicado por Syncopa Jazz em 20 de novembro de 2019. Curta a seguir:

Publicado em Músicas | Marcado com , | 8 Comentários

‘5 dicas de bem-estar emocional’ – Vale atentar!

Para esta sexta-feira, volto com a temática saúde plena, qualidade de vida e bem viver. Nesse sentido, destaco publicação muito interessante, de ontem, que vi no blog holandês The 3H:health, happiness, healing, criado por um médico, com o título (traduzido para o português) de “5 dicas de bem-estar emocional”.

Gostei, por entender que se trata de texto interessante e oportuno. De forma objetiva, está realçada a importância de saber gerenciar as emoções no dia a dia para que o indivíduo preserve a sua saúde e viva com bem-estar. Para fechar o conjunto do texto, são apresentadas cinco boas dicas de estratégias simples, com a correspondente contextualização de cada uma delas, a saber: 1) ser realista; 2) autocompaixão; 3) estar no momento presente; 4) coragem emocional; e 5) construir relacionamentos.

Enfim, são bons reforços que merecem a nossa atenção. Saliento que algumas palavras podem estar com o sentido não muito adequado, pois resulta de processo de tradução simultânea. Entretanto, a meu ver, não há prejuízo para a compreensão do todo.

Confira a seguir:

“5 dicas de bem-estar emocional 

Olá a todos ! Tenha um dia maravilhoso e seguro

img_1349

As emoções são sentimentos ou um estado de espírito que influencia o comportamento e o pensamento. As emoções têm impacto no bem-estar físico e psicológico da pessoa. Como um todo, as emoções impulsionam a personalidade, o comportamento cognitivo, o temperamento, o humor, a felicidade e a motivação do dia a dia da pessoa. Portanto, eles são essenciais na vida para crescer e prosperar. As emoções podem ser agradáveis ​​e desagradáveis, e ambas são igualmente importantes para abraçarmos, para que nos deem nossa capacidade natural de nos expressarmos e nos compreendermos melhor e crescermos.

Emoções felizes e agradáveis ​​são naturais para experimentar e aceitar. A parte complicada é aceitar emoções desagradáveis ​​e difíceis e situações de vida difíceis, como tristeza, perda, dor, mágoa, onde as pessoas tentam deixar de lado o sentimento. As pessoas tentam escapar ou enfrentam dificuldade em aceitar emoções difíceis. Portanto, emoções regulares e naturais são um fenômeno pronunciado e nunca devem ser julgadas como boas ou más. Qualquer sentimento, rotulado de agradável ou desagradável, deve ser totalmente aceito e vivenciado para manter nossa saúde emocional em ordem. Esse comportamento nos ajuda a enfrentar e seguir em frente e nos mantém em boa saúde emocional. Deixar de fazer isso pode levar a vários problemas de reflexão, reflexão excessiva, ruminação, engarrafamento, que prejudicam mais do que ajudam e interferem em nossa capacidade natural de resiliência.

Cinco estratégias simples são:
1. Ser realista: A ferramenta essencial para manter o bem-estar emocional é manter uma abordagem prática da vida. A jornada da vida, em si, é cheia de altos e baixos, decepções e contentamento. Levar as coisas ou qualquer situação o mais real possível em vez de fazer com que pareçam piores do que nos ajuda a ter uma visão correta . Em vez de ser totalmente cínico sobre uma circunstância, ou apenas olhar para o lado negativo, é vital selecionar as coisas positivas e ser grato por elas. Talvez seja este o motivo; pessoas otimistas tendem a viver mais, se curar melhor, mais rápido e permanecer mais saudáveis ​​por mais tempo.

2. Autocompaixão: a autocompaixão é crítica para lidar com quaisquer situações da vida. É um pré-requisito do poder de resiliência. Compreender e saber quem você é o ajuda a compreender seu poder de tomada de decisão. A autocompreensão e os insights o ajudam a descartar se o seu comportamento e pensamento o estão prejudicando ou ajudando. A realização ajuda você a tomar decisões corretas e sair dessa fase temporária de tempos difíceis.

3. Estar no momento presente: Cultivar o hábito de aprender a viver no momento presente é uma ótima ferramenta. Não adianta ficar remoendo o passado ou se preocupando com o futuro. Viver o momento presente ajuda a construir nossa agilidade emocional. Assim, sempre que enfrentamos momentos difíceis, temos a perspectiva adequada e a atitude para navegar e seguir em frente o mais rápido possível sabendo que é uma fase temporária.

4. Coragem emocional: Construir coragem não significa afastar-se ou afastar-se de nossas emoções. É a capacidade de criar coragem e força para perceber e reconhecer nossos sentimentos de medo, ansiedade e tristeza. E criar hábitos alinhados aos valores para lidar com eles, como manter a mente ocupada de maneiras construtivas ou conscientes.

5. Construir relacionamentos: o apoio social da família e entes queridos ajuda a lidar com emoções difíceis. Desenvolver conexões com pessoas, amigos, colegas, de preferência conexões face a face, ajuda muito a lidar com situações difíceis. Relações com a natureza, animais de estimação, iniciativas de voluntariado, desenvolvimento da espiritualidade e hobbies auxiliam no bem-estar emocional.

Ver a publicação original em: https://healthhappinesshealing.org/2020/08/13/5-tips-of-emotional-wellbeing-%f0%9f%99%8c/

Publicado em Educação, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Saúde | Marcado com , , , | Deixe um comentário

Vídeo sensacional: Fabulosa pintura de Pieter Bruegel faz representação de mais de 100 provérbios no Séc. XVI !!!

No campo da arte e da cultura, dou destaque para vídeo que vi circulando ontem em grupo de rede social e que me impressionou muito!

Trata-se de vídeo a respeito do maravilhoso quadro (pintura) chamado de Provérbios Neerlandeses (Netherlandish Proverbs), do fenomenal Pieter Bruegel (1525 – 1569), também conhecido como “O Velho”, feito em óleo sobre madeira, produzido em 1559, cuja obra está nos Museus Estatais de Berlim.

Naquele emaranhado de figuras humanas, animais etc., em situações as mais diversas, o artista faz representação (e procura ilustrar), em cenas camponesas, o significado de mais de 100 ditados populares presentes no Século XVI, Época do Renascimento, na região dos Países Baixos.

Uma obra que merece apreciação, verdadeiramente incrível. E cabe observar que muitos dos ditos populares ali realçados também são conhecidos em outras partes do mundo, a exemplo daqui do Brasil, com as devidas adaptações, claro.

Esse vídeo sensacional foi publicado no canal Uma história a mais, no YouTube, com duração de 6:30. E como mencionado pela narradora, “uma pintura pode revelar muito mais do que notamos à primeira vista”.

Ah, de passagem, como curiosidade a respeito daquele tempo, note que um homem com 44 anos era chamado de velho. Isso demonstra como os referenciais etários têm mudado significativamente, e de forma continuada, de lá para cá.

Voltando ao inusitado quadro de Bruegel, revelador de uma capacidade humana altamente criativa, não é demais assinalar que o artista produziu vasto (e rico) conjunto de obras, muitas das quais igualmente impactantes. Vale bom aprofundamento!

A meu ver, temos aí um vídeo imperdível !!!

Confira:

Publicado em Educação, Vídeos diversos | Marcado com , , | 4 Comentários

Saiba como identificar se alguém não gosta de você – Dicas importantes (vídeo)!!!

Sabemos que muitas vezes as palavras são frias, ou mesmo falsas, escondendo o real sentimento daquela pessoa que está interagindo conosco. Temos visto, como resultado de pesquisas e conclusões tiradas por diversos especialistas em comunicação, psicologia e até na área criminal que, ao contrário do que se fala (e até se afirma enfaticamente), a linguagem corporal e o comportamento da pessoa nunca mentem.

Ter a capacidade de perceber posturas físicas, gestos e expressões faciais, segundo os expertes, é um grande diferencial, principalmente em face da máxima de que “o corpo não mente”. E é claro que nas diversas naturezas de relações interpessoais, como, por exemplo, as de cunho afetivo ou de âmbito profissional, saber se o seu interlocutor está sendo verdadeiro ou dissimulado quando fala com você, se há uma efetiva conexão, pode fazer significativa diferença, podendo até mesmo ser decisivo.

É exatamente sobre isso que trata o vídeo “QUEM NÃO GOSTA DE QUEM?”, do canal INCRÍVEL, no YouTube, que vi por estes dias. Na produção, foram reunidos 10 sinais, que eles chamam de bandeiras, capazes de indicar se alguém, secretamente, não vai com a sua cara.

Creio que você irá gostar de assistir e poderá tirar bom proveito das dicas, incorporando esses novos e úteis aprendizados. Entretanto, vale realçar que não se trata de coisa tão simples. No campo dos sentimentos e das emoções, por certo, existem detalhes de certa complexidade. Por exemplo, a introversão e o mau humor momentâneo de uma pessoa podem dificultar essa percepção. Assim, como não poderia ser diferente, o uso do bom senso e da empatia são sempre recomendados.

Confira a seguir:

Publicado em Educação, O ser humano no contexto das organizações, Psicologia e comportamento, Vídeos diversos | Marcado com , , | 7 Comentários

Sábado e música: Avalon Jazz Band – La Mer (Beyond the Sea) – Show!

Como inspiração musical, selecionei para hoje este belo vídeo, gostoso de ver e ouvir, com o sensacional grupo franco-americano Avalon Jazz Band, criado em 2012 e que atua nos Estados Unidos, liderado pela cantora Tatiana Eva-Marie.

Tenho acompanhado diversas produções do grupo e gosto muito, pela descontração, bom gosto musical, talento e qualidade dos seus integrantes e, em especial, pelo estilo adotado de “french-jazz vintage parisien”.

No vídeo, publicado agora, dia 2 passado, no YouTube, o grupo interpreta a bonita canção “La Mer (Beyond the Sea)“, originalmente composta pelo francês Charles Trenet (1931 – 2001), lançada em 1945.

Confira (podendo utilizar fones de ouvido a experiência sonora será melhor):

Publicado em Músicas | Marcado com , | 3 Comentários

Sobre a mentira – Interessante entrevista com o autor do livro “Eu sei que você mente!”

Para esta sexta, o assunto é a mentira, presente a realidade de que o hábito de mentir é absolutamente comum no universo humano. Não é brincadeira! (Rsrsrs)

Trata-se de tema sempre interessante, diante do seu amplo espectro, talvez infinito, ante a inventividade e a complexidade da espécie humana. A questão fundamental, a esse respeito, é a intensidade e a frequência da prática de mentir. Melhor dizendo, o diferencial aí é o quão a mentira pode ser inofensiva, divertida, ou preocupante, quando for capaz de causar comprometimentos para terceiros e/ou para o próprio mentiroso, podendo, neste caso, decorrer de processos mais elaborados que caracterizem sério desvio comportamental e até questão patológica.

E o assunto veio hoje por conta desta boa matéria abaixo reproduzida, que gostei muito, publicada no portal eletrônico da REVISTA GALILEU, trazendo entrevista com o autor do livro “Eu sei que você mente!”, que foi lançado recentemente.

Confira a seguir:

“Mentir sempre fez e fará parte da condição humana”, diz criminólogo

Georg Frey trabalha há 29 anos como especialista em comportamentos desviantes e psicopatas. Em 2020, ele lançou o livro “Eu sei que você mente!”. Confira a entrevista

Em novo livro, criminólogo ensina a detectar mentiras (Foto: Reprodução)

Você mente?

Se sua resposta for “não”, sinto informar: é mentira! Falar a verdade 100% do tempo é praticamente (para não dizer totalmente) impossível. É partindo dessa premissa que o criminólogo Georg Frey escreveu o livro Eu sei que você mente!, publicado em 2020 pela editora Littera.

Especialista em comportamentos desviantes e psicopatas, o brasileiro é um dos fundadores da Unidade de Análise do Comportamento Humano (UACH), plataforma online que reúne profissionais especializados em comportamentos desviantes e que oferece cursos sobres essas questões. 

Frey trabalha há 29 anos na área e já participou de diversas investigações criminais, empresariais e até de contraespionagem. Seu novo livro é fruto dessas quase três décadas tentando entender por que mentimos e os efeitos disso. “Mentir é algo absolutamente democrático! Independe do nível social ou econômico, da identidade sexual, idade, geografia ou religião”, diz o especialista em entrevista a GALILEU.

A seguir, confira a conversa completa e aprenda a detectar quando alguém está mentindo para você.

Afinal, por que as pessoas mentem?
Antes de mais nada preciso dizer que todos mentimos. Se alguém diz que não mente, já está contando uma mentira. Quem mente espera ter algum tipo de vantagem: financeira, profissional, social ou sexual. A pessoa sabe dos riscos que corre, mas sempre acha que, de alguma forma, pode valer a pena.

Por que saber desvendar uma mentira é importante ou útil? Existem momentos em que é melhor não desvendá-las?
Essa pergunta pede uma dupla resposta: sempre é útil, pois por trás de uma mentira pode haver um pedido de socorro.  Alguém em grande sofrimento que mente dizendo que está tudo bem pode estar sendo vítima de abusos e violências.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

Deixamos o outro mentir quando sabemos que é algo inofensivo por estar na categoria de mentiras brandas ou sociais: “Eu te ligo”, “Aparece lá em casa”, “Vamos marcar alguma coisa”, “Isso nunca aconteceu comigo antes”, “Adorei o presente, era exatamente o que estava precisando”.

Quais são as táticas mais utilizadas pelos especialistas para detectar mentiras? Pode nos ensinar algumas?
Observe se a pessoa está piscando muito. Piscar rapidamente e com frequência maior que o normal é um forte indício de que a fisiologia dessa pessoa está alterada, assim como gaguejar, tropeçar nas palavras, ter respiração e batimentos cardíacos acelerados, dar detalhes demais sobre o que fez. São muitos os sinais involuntários de quem mente. O corpo sempre fala.

Considerando o perfil social e biológico das pessoas, quem mente mais? Homens ou mulheres? Ricos ou pobres?
Mentir é algo absolutamente democrático! Independe do nível social ou econômico, da identidade sexual, idade, geografia ou religião. As únicas diferenças já constatadas são que os homens mentem mais, e as mulheres mentem melhor.

O que diferencia um psicopata, um mentiroso patológico e uma pessoa que mente ocasionalmente? Existem mais “tipos” de mentirosos?
Os graus de perigo e intensidade. O psicopata é o detentor das mais elaboradas, convincentes e destrutivas mentiras. Estar na teia de um(a) psicopata geralmente é sinônimo de ter a sua vida destruída. O mentiroso patológico muitas vezes precisa de intervenção e tratamento, como um dependente de drogas. Já a mentira ocasional nascerá e morrerá conosco.

Você acredita que hoje as pessoas mentem mais? Ou em todas as “Eras” nossa sociedade encontrou motivos pra mentir?
Biblicamente ou historicamente, a mentira está registrada como um traço da nossa humanidade. Até nas mitologias encontramos os vetores das mentiras: Loki (nórdica), Hemera e Hermes (grega), Seth (egípcia), Anhangá (indígena brasileira).

Mentir sempre fez e fará parte da condição humana. Não mentimos mais do que os nossos antepassados. Se hoje achamos isso é por conta das redes sociais, que têm a capacidade de multiplicar uma mentira.

Por que algumas pessoas mentem para si mesmas? 
É uma situação triste e preocupante testemunhar um mitômano [alguém que mente para si mesmo] em nosso ambiente familiar, social ou de trabalho. Essas pessoas tornam-se dependentes e vítimas de suas mentiras, menos pelo autoconvencimento e mais pela necessidade de ser aceito e fazer parte de algum ambiente. Na maioria das vezes, percebemos e toleramos este comportamento por pena.

Fonte: https://revistagalileu.globo.com/Sociedade/Comportamento/noticia/2020/07/mentir-sempre-fez-e-fara-parte-da-condicao-humana-diz-criminologo.html

Publicado em Livros e leitura, Psicologia e comportamento | Marcado com | Deixe um comentário