Esta estratégia para a educação das crianças chamou minha atenção. Confira!

Faço referência hoje a interessante matéria publicada dia 25 no Portal Raízes, com Daniel Becker, médico pediatra, a respeito de educação das crianças.

Os alertas, orientações e dicas do Dr Daniel, trazidos na publicação, despertaram prontamente a minha curiosidade. Enxerguei no conjunto do argumento grande pertinência e real utilidade.

No meu caso, em particular, digo isso porque, depois de mais de três décadas sem lidar com crianças, pois meu filho mais novo já vai para os quarenta, fui presenteado com o netinho Filippo, três meses atrás. Assim, sou estreante nesse doce ofício de ser avô e preciso dar conta do recado da melhor maneira possível!

Em suma, achei de muita propriedade e sabedoria os conselhos trazidos na referida matéria, imaginando que também podem ser interessantes e úteis para muita gente.

A questão é: se podemos educar de forma mais leve, brincando, por que não rever antigas estratégias?

Confira a seguir:

“Ao Invés De Gritar, Brinque Com Seu Filho E Ele Vai Cooperar – Daniel Becker

A educação autoritária ou violenta faz parte da história de muitos de nós. Por isso, usar a brincadeira para educar pode parecer estranho.

Mas a ideia tem uma lógica, e é infinitamente mais eficaz e menos estressante. A brincadeira e a fantasia são as linguagens essenciais da infância. É através delas que as crianças conhecem e compreendem a si mesmas e o mundo, que se expressam e aprendem.

A brincadeira tem um efeito tão potente no cérebro infantil que a criança se sente atraída para ela, mesmo numa crise de mau humor ou irritabilidade.

O cérebro das crianças está programado para aprender brincando. Embora possa parecer mais eficaz dar uma ordem ou repreender em voz alta ou severa, eles aprenderão melhor quando você responder com humor e fantasia. Por exemplo, com a voz de robô ou de um locutor de futebol.

O riso alivia a resposta ao estresse e desarma o medo. Quando você brinca para corrigir o comportamento de uma criança, os hormônios do estresse em seu corpo começam a diminuir e sua reação de luta ou fuga se acalma. Ela estará mais aberta para aprender e colaborar. Nada melhor que brincar para desatar nós e desarmar disputas de poder.

Além disso, você estimula a sua criatividade e imaginação, e “treina” para desenvolver algo que nos salva tantas vezes: o bom humor. E pesquisas mostram que crianças e pais que brincam muito têm uma conexão mais forte e intensa ao longo da vida.

Somos programados para a interação, para o vínculo. Ao educar seu filho brincando, você reforça a conexão com ele e fortalece um relacionamento baseado na confiança, no afeto e no riso.

Se a criança não aprende como a gente se acostumou a ensinar, vamos mudar e ensinar do jeito que ela aprende melhor.

Para uma criança colaborar, em vez de gritar, fale na língua dela: a brincadeira e a fantasia. Você não imagina o alívio que isso vai trazer. Veja alguns exemplos:

Para uma criança que insiste no “não” quando algo lhe é solicitado: “Ah, tô vendo que você tá com muito não pra falar. Quero que você diga quantos ‘nãos’ quiser. Quando eu falar sim, você fala não, na mesma voz”. Fale sim com vozes de robô, de falsete, imitando uma pessoa cheia de frescuras, um comandante militar, etc. Em seguida, com a criança mais relaxada, proponha, a tarefa e comece a fazer junto com ela.

Uma criança de 2 ou 3 anos contrariada quer bater em você: Antes de mais nada, diga “aqui em casa ninguém bate em ninguém”, para reforçar valores fundamentais. Mas depois transforme isso em brincadeira: “Ah, mas você tá precisando bater! Pega essa almofada e bate no sofá!” Enquanto isso, pegue outra e comece uma a guerra de travesseiros. Quem não gosta de uma?

Para uma criança choramingando, diga: “Xiiii, acho que a sua voz normal se perdeu! Precisamos procurá-la!! Vamos ser os detetives! Onde será que ela se escondeu? Veja embaixo da mesa. Não, vamos procurar nas gavetas!” Deixe ela liderar a procura: “Ah, achou! Que bom, pensei que a gente numa mais ia encontrar!”.

Dois irmãos brigando por um brinquedo? Use a brincadeira do locutor: “Atenção, aqui é o locutor papai transmitindo ao vivo diretamente do quarto das crianças! A disputa do século está acontecendo por causa do carrinho vermelho. Será que eles conseguem resolver a questão ou teremos que guardar o carrinho?”. Depois entreviste ambos, perguntando qual a versão de cada um e as soluções que propõem, sem julgar ou escolher por eles.

Fonte: https://www.portalraizes.com/se-ao-inves-de-gritar-voce-brincar-com-seu-filho-ele-vai-cooperar-daniel-becker/

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Educação, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Esta estratégia para a educação das crianças chamou minha atenção. Confira!

  1. Márcia Tauil disse:

    Realmente um exercício de amor dedicar-se aos filhos brincando.
    👏🏻👏🏻👏🏻👏🏻

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s