“Seu cérebro pode mentir para você de 5 maneiras” – Atente para estas situações!

Esta postagem, para começo de semana, tem a ver com a capacidade humana de tomada de decisão, aí consideradas as possíveis armadilhas que o nosso cérebro pode aprontar.

Em face de tais possibilidades, é importante conhecer situações que nos servem de alerta e observar algumas dicas para não cairmos em tais armadilhas, que podem significar erros ao decidirmos, ao fazermos escolhas, ao imaginarmos situações que em dado momento podem ser tidas como “verdades”.

É fundamental, portanto, estar atento para evitar tomadas de decisões precipitadas, até porque o custo de uma decisão equivocada pode ser muito penoso, irreversível e até mesmo catastrófico!

Para nos esclarecer e ajudar a esse respeito, reproduzo artigo bem interessante e que serve de alerta para cada um de nós, publicado no portal eletrônico da Revista Pequenas Empresas & Grandes Negócios, no dia 16 passado.

Confira:

“Seu cérebro pode mentir para você de 5 maneiras. Saiba quais são

A mente humana pode pregar peças e criar situações ilusórias. Saiba como seu cérebro pode estar te enganando e evite tomar decisões precipitadas

cerebro, inteligencia (Foto: ThinkStock)
Cérebro, inteligência (Foto: ThinkStock)

Boas decisões, que podem ser determinantes para o sucesso tanto na vida pessoal quanto profissional, dependem de dois fatores: o conhecimento das informações que estão em jogo e o uso inteligente desses fatos. 

Normalmente, a tomada de decisão usa bastante o segundo fator: a ponderação de alternativas e a construção de cenários nos quais a escolha poderia se encaixar. De maneira geral, tendemos a pensar que possuímos tudo o que é necessário para sermos racionais. Mas podemos estar errados.

Nosso cérebro é capaz de pregar peças distorcendo nossas percepções, dependendo do nosso estado físico, emocional e das circunstâncias nas quais vivemos, conforme indica o livro “Percepção: como nossos corpos moldam nossas mentes”, publicado por Dennis Proffitt, psicólogo da Universidade de Virgínia, nos Estados Unidos, e pelo escritor Drake Baer.

Recentemente, a psicóloga e editora norte-americana Jill Suttie reuniu alguns exemplos sobre como o cérebro pode nos enganar. Confira alguns, apresentados pelo portal Inc.:

1. As coisas parecem mais distantes quando você está cansado

As distâncias são vistas como fatos concretos e objetivos. Mas, quando você não tem uma fita métrica à mão, o cérebro faz uma estimativa. A grande questão é que essa medida feita pela nossa cabeça leva em conta não só nossa experência e visão, mas também nossos sentimentos. 

“Pesquisadores descobriram que se você está cansado, as distâncias parecem mais distantes”, diz Suttie. O oposto também pode acontecer: se você acredita que algo é fácil de alcançar, o objetivo parecerá mais próximo ou mais acessível do que realmente é.https://tpc.googlesyndication.com/safeframe/1-0-37/html/container.html

2. A comida o torna mais agradável

Um exemplo claro dessa situação é o que acontece com os juízes. Pesquisas indicam que eles são menos tolerantes quando estão com fome. Por isso, se você precisar comparecer a um julgamento, faça o possível para garantir que a audiência seja marcada após o horário de almoço.

Os juízes não são os únicos que têm percepções e desempenhos afetados pelo fator comida. “Estudos também descobriram que pessoas que tomam um copo cheio de limonada açucarada tendem a ser mais úteis para os outros. E as crianças que tomam café da manhã se saem melhor na escola e têm menos problemas de comportamento”, observa Suttie.

“Hangry” é o termo em inglês que explica o fenômeno. A combinação das palavras “hungry”, que significa “faminto”, e “angry”, usada para descrever raiva e irritabilidade, mostra que a comida tem impactos significativos na percepção do mundo real e nas tomadas de decisão.

3. Tudo parece mais difícil quando você está triste

Além da fome, a tristeza também tem o poder de afetar a forma com a qual enxergamos o mundo, bem como outros sentimentos. Um exemplo que Suttie deu é que as pessoas que ouvem músicas melancólicas tendem a pensar que um morro parece mais íngreme do que pessoas que ouvem músicas alegres. Ou seja, o mundo parece mais difícil quando se está triste.

4. E tudo parece mais fácil quando você está com os amigos

Quando se diz que uma boa companhia torna tudo mais simples, isso é comprovado pela ciência. “O fato de ter que carregar um fardo pesado com outra pessoa, em vez de fazer isso sozinho, faz com que ele pareça mais leve”, afirma a editora.

5. Tendemos a adivinhar as cores de acordo com o contexto

É impossível se esquecer do post do vestido polêmico que viralizou nas redes sociais, no qual as pessoas tinham que dizer se enxergavam as cores branco e dourado ou azul e preto. Um artigo da Vox mostra que a discordância entre as percepções não se caracterizou como uma ocorrência isolada, uma vez que fazemos interferências sobre cores com base nas situações em que elas estão inseridas. O que está ao redor de determinada cor, ou pelo menos o que presumimos, pode mudar as tonalidades que enxergamos.

No caso do vestido, é muito provável que aqueles que enxergaram o vestido como branco e dourado presumiram que estavam olhando para a peça de roupa à luz do dia. Já os que enxergaram como azul e preto presumiram que ele estava sendo iluminado por uma lâmpada. Os dois os grupos corrigiram inconscientemente a iluminação, chegando a conclusões diferentes.

Atente-se às decisões precipitadas

Empreendedores são profissionais que se deparam com tomadas de decisão o tempo todo. Os exemplos, além de ilustrarem a complexidade da mente humana, mostram que não é possível presumir conhecer fatos básicos, como a cor de um item, tão facilmente.

O que uma hora parece simples pode se tornar complexo no momento seguinte, uma vez que seu humor, corpo e determinados contextos podem alterar radicalmente as percepções. Por isso, evite tomar decisões rápidas. Se estiver se sentindo instável, procure fazer a escolha no dia seguinte, ou após comer algo ou discutir a ideia com outras pessoas.

Publicado em: https://revistapegn.globo.com/Dia-a-dia/noticia/2020/09/seu-cerebro-pode-mentir-para-voce-de-5-maneiras-saiba-quais-sao.html?utm_medium=10todaybr.20200916&utm_source=email&utm_content=article&utm_campaign=10today

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Educação, Liderança, O ser humano no contexto das organizações, Psicologia e comportamento e marcado , . Guardar link permanente.

8 respostas para “Seu cérebro pode mentir para você de 5 maneiras” – Atente para estas situações!

  1. Arnaldo de Castro Costa disse:

    Boas percepções. Tudo isso se alinha com a nossa mente inconsciente. O nosso ser racional se torna mero passageiro…

  2. Cláudio Jaloretto disse:

    Como disse Padre Lebret: a gente ainda vai bem longe depois de estar cansado…

  3. dulcedelgado disse:

    Boas dicas para estarmos mais atentos…aos “meandros” do nosso cérebro!

  4. Excelente. Tenho lido a respeito desse tema nas últimas semanas, pois minha ideia é fazer um vídeo curto, futuramente, sobre o assunto. É impressionante como aquilo que temos como certo, verdadeiro ou concreto depende, em grande parte, de aspectos subjetivos que influenciam nossa percepção da realidade. Excelente post, Dattoli (como sempre!).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s