‘HIPOCRISIA: EXPRESSÃO MÁXIMA DA VAIDADE’

Gostei bastante da abordagem trazida nesse texto, sobre a hipocrisia e a vaidade, que vi publicado no site “duniverso”, de autoria da médica e ilustradora Iriam Gomes Starling.

Escrito há dois anos, o inteligente argumento parece-me agora ainda mais pertinente, em razão das mudanças, novas realidades e lideranças que emergiram em nosso país do ano passado para cá. Assim, temos aí um verdadeiro convite à reflexão!

Leia a seguir:

“HIPOCRISIA: EXPRESSÃO MÁXIMA DA VAIDADE

Sou de um tempo em que as adversidades da vida fortaleciam o corpo e o espírito. Resistir à dor nos tornava bravos, reconhecer sua própria fraqueza nos tornava sábios, desdenhar das calúnias nos tornava serenos e reconhecer a finitude da vida nos tornava resilientes. Hoje, qualquer dor é logo seguida de um analgésico da moda, a tristeza é medicada com antidepressivos, as crianças mais levadas e irrequietas ganham logo uma droga imbecilizante e as verdades, ditas sem rodeios, viraram crimes previstos no código penal.

Hipócrita é uma transcrição do vocábulo grego “ypokritís” (υποκριτής). Os atores gregos usavam máscaras de acordo com o papel que representavam numa peça teatral. É daí que o termo hipócrita designa alguém que oculta a realidade atrás de uma máscara de aparência.

(https://pt.wikipedia.org/wiki/Hipocrisia)

Estava eu na Faísca, a feira de produtos gráficos de Belo Horizonte, expondo os livros de minha editora, quando fui abordada por uma pesquisadora. Prontamente consenti em lhe dar as respostas ao questionário que tinha em mãos. A terceira pergunta que ela me fez foi em relação à idade, mas ao invés de ir direto ao ponto, começou a ler as alternativas: menos de 18, 18 a 29… Eu a interrompi lhe dizendo que tinha 57 anos. É claro que as faixas etárias do questionário são para facilitar a consolidação dos dados, mas para encurtar o assunto, poderia ter me perguntado a idade, mas as brasileiras ficam ofendidíssimas com essa clássica pergunta, como se envelhecer fosse algo vergonhoso ou até criminoso. Brasileira não envelhece, fica loura com o passar do tempo. Meus cabelos estão naturalmente grisalhos e sou constantemente criticada por isso, como se pintar os cabelos fosse reduzir minha real idade.

A pergunta seguinte foi ainda mais divertida: “qual raça/etnia melhor descreve sua ascendência”. As opções foram bem interessantes: branco, negro, pardo, indígena, asiático, outro. Até onde me ensinaram, as três primeiras opções são cores. Fiquei até surpresa pelo uso da palavra negro e não afrodescendente. Indígena e asiático, obviamente, não são cores, nem raça nem etnia. Ora, quando criança, os termos eram branco, preto, vermelho e amarelo. Apenas cores. Atribuir a elas o peso do preconceito, da xenofobia, da intolerância, da discriminação é como se retirássemos a responsabilidade das pessoas por tais atos. Alguém que agride outros de cor de pele diferente da sua, não o faz por causa da cor propriamente, e sim por que ela é xenófoba, racista, preconceituosa. Ninguém deixa de ser xenófobo por que não usou essa ou aquela palavra “socialmente aceita”. Não são as cores as responsáveis pela agressividade e intolerância das pessoas, mas as próprias pessoas, com sua vaidade, arrogância e egocentrismo.

Nossa sociedade está doente, cega pela vaidade e pela hipocrisia. Maquiar a verdade não a tornará mais bonita, nem melhor.

Não é à toa que John Milton, brilhantemente interpretado por Al Pacino, termina o filme (O advogado do Diabo, 1998) dizendo que a vaidade era seu pecado preferido.

Fonte: https://www.duniverso.com.br/hipocrisia-expressao-maxima-da-vaidade/

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Livros e leitura, Psicologia e comportamento. Bookmark o link permanente.

3 respostas para ‘HIPOCRISIA: EXPRESSÃO MÁXIMA DA VAIDADE’

  1. Oslei Justiniano disse:

    Tá difícil viver nos tempos atuais!

  2. Sergio Roberto Silva Dattoli disse:

    O mundo hoje,. vive sem sombra de dúvidas,
    um grande incremento da hipocrisia, o advento do politicamente correto, serve de combustível e de terreno fértil, para a atuação da falsidade e da mentira, que na esteira do bem intencionado, tiram proveito dos mais frágeis.
    Tá na moda.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s