“O que uma escola para os novos velhos tem para ensinar” – Confira esta notícia!

Na esteira do fenômeno da longevidade, por conta do continuado aumento da população idosa pelo mundo, seguramente há demanda para muitas iniciativas públicas e privadas que atendam à nova visão e necessidades dessa significativa camada da população, que, segundo os relatos, as notícias e as nossas próprias constatações, quer ser ativa cada vez mais, conhecer, aprender, experimentar coisas novas e, em suma, se dar bem e ser feliz no tempo da maturidade.

E isso é muito lógico. Na medida em que as pessoas da terceira idade (e, logo, logo, da quarta idade, pós-80), têm consciência de que viverão por muito mais tempo, é natural que busquem ocupar espaço, seja com o ócio e o lazer, seja produzindo, desempenhando outras atividades, usando a imaginação, se reinventando, de maneira que o tempo disponível esteja preenchido com o que gostam e sentem significado. Isso é qualidade de vida!

Um exemplo dessas soluções que já se tornam realidade, e que serão cada vez mais comuns, vem com esta notícia publicada no blog LONGEVIDADE: MODO DE USAR, dois dias atrás, a respeito da Modern Elder Academy, uma recente academia (escola?), de alto padrão, criada pelo empreendedor, escritor e palestrante Chip Conley, para atender pessoas a partir da meia-idade, com o propósito de que se preparem e busquem ressignificação para os novos tempos que estão por vir, da maturidade e da aposentadoria.

Vejo com muito bons olhos, e satisfação, o surgimento de um empreendimento (serviço) como esse, sobretudo porque traz alento, inclusive mostrando perspectivas para a população grisalha e, mais do que tudo, por contribuir para quebrar crenças equivocadas, estigmas sociais e preconceitos ainda existentes com relação ao público do pós-60.

Confira a seguir: 

“O que uma escola para os novos velhos tem para ensinar

O empresário Chip Conley criou uma academia para ressignificar o envelhecimento

Por Mariza Tavares — Rio de Janeiro

Chip Conley pode ser considerado um cara que nasceu virado para a lua. Aos 26 anos, assumiu um acanhado motel que se tornou a segunda maior rede de hotéis boutique (Joie de Vivre Hospitality) dos Estados Unidos. Vendeu o negócio, mas continuou à frente dele como CEO durante 24 anos. Ao entrar na casa dos 50, foi convidado pelos criadores do Airbnb para ajudar a startup a ser uma referência em hospedagem. Esse foi o momento em que descobriu que os jovens empreendedores falavam uma outra linguagem, muitas vezes incompreensível para ele, que não utilizava aplicativos, nem dominava programação.

Chip Conley, autor do best-seller “Wisdom@Work: the making of a modern elder” — Foto: Divulgação

Chip Conley, autor do best-seller “Wisdom@Work: the making of a modern elder” — Foto: Divulgação

No entanto, se seus novos parceiros tinham uma visão digital do mundo que ele não dominava, Chip podia oferecer algo tão valioso quanto: sua experiência. Essa vivência o levou, aos 52 anos, a escrever o best-seller “Wisdom@Work: the making of a modern elder” (“Sabedoria no trabalho: a criação de um novo ancião”). Não se assustem com o peso da palavra ancião que, para o autor, traduz a relevância da bagagem que trazemos e do legado que ela representa. Na obra, mostra a importância do convívio entre gerações e de como essa troca beneficia os negócios. Também alerta para o preconceito contra os mais velhos e lembra que, em qualquer idade, podemos e devemos ser professores e estudantes, mentores e aprendizes.

O passo seguinte foi criar a Modern Elder Academy, que, em tradução livre, podemos chamar de Academia dos Anciãos Modernos, ou dos Novos Velhos. O empreendimento é um espaço dedicado à transição que acompanha a meia-idade. Por sinal, a duração desse período de busca e reflexão é bem elástico: os alunos da “escola” têm, em sua maioria, entre 45 e 65 anos. Os workshops duram em média uma semana e o programa inclui de ioga e meditação a exercícios para desenvolver resiliência.

Ressignificar. Essa é uma palavra que rege as atividades da academia. Não se trata de focar em aprender coisas novas, e sim de aproveitar a sabedoria e a inteligência emocional acumuladas, transformando-as em ferramentas para as próximas etapas da jornada. Usando o livro como pano de fundo, os cursos estimulam os alunos a repensar o modelo que vem regendo suas vidas – estudar, trabalhar e depois sair de cena com a aposentadoria – para enxergar oportunidades, objetivos e propósitos. Em palestras, Chip, atualmente com 58 anos, costuma definir essa geração como “wisdom keeper and seeker”, ou seja, aqueles que possuem, mas também buscam o conhecimento.

Fonte: https://g1.globo.com/bemestar/blog/longevidade-modo-de-usar/post/2019/06/16/o-que-uma-escola-para-os-novos-velhos-tem-para-ensinar.ghtml

Adicionalmente, para quem quiser saber um pouco mais sobre esse iniciativa, a Modern Elder Academy, confira o site: https://www.modernelderacademy.com/. Com o intuito de matar um pouco da curiosidade sobre esse serviço (negócio), transcrevo cópia do trecho “O que nós oferecemos”, retirado do site, que você confere em inglês e em versão traduzida para o português: 

What we offer
The Modern Elder Academy (MEA) is the world’s first midlife wisdom school providing 5- and 7-day all-inclusive workshops at our awe-inspiring beachfront campus in the heart of Baja California Sur, Mexico. Our unique curriculum includes classroom learning as well as bread baking and breaking, impromptu dance parties, cultural experiences, morning meditations, and surreal sunsets. The experience supports our attendees (“compadres,” whose average age is 52) as they navigate this midlife journey and reframe a lifetime of experience. They receive a Certificate in Mindset Management, and emerge feeling more relevant, resilient, adaptable, and empowered to create what’s next.
O que nós oferecemos
A Modern Elder Academy (MEA) é a primeira escola de sabedoria de meia-idade do mundo que oferece oficinas de 5 e 7 dias com tudo incluído no nosso imponente campus à beira-mar, no coração de Baja California Sur, no México. Nosso currículo exclusivo inclui aprendizado em sala de aula, bem como panificação e quebra de pão, festas de dança improvisadas, experiências culturais, meditações matutinas e pores do sol surreais. A experiência apóia nossos participantes (“compadres”, cuja idade média é de 52 anos) enquanto navegam nessa jornada de meia-idade e reformulam uma experiência de vida. Eles recebem um certificado em gerenciamento de mentalidade e surgem se sentindo mais relevantes, resilientes, adaptáveis ​​e capacitados para criar o que virá em seguida.
Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir ao próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (levar música ao vivo para casas de idosos é uma das frentes de atuação, iniciada em 2007), além de assegurar espaços na agenda para o exercício do autoconhecimento e para a meditação, no caminho da evolução pessoal permanente . Gosto de ler, de aprender coisas novas, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Educação, Motivação e crescimento humano, Psicologia e comportamento, Saúde, Viagens. Bookmark o link permanente.

2 respostas para “O que uma escola para os novos velhos tem para ensinar” – Confira esta notícia!

  1. Ele, como você, escreveu um livro e, a partir deste, buscou outra forma de se comunicar.
    Essa oficina deve ser muito interessante. E é uma iniciativa inédita. Vamos acompanhar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s