“Curte Música Clássica ou Instrumental? Então, chegue aqui!”

Aproveitando ainda este espaço que dedico aqui no blog, todos os sábados, para falar sobre música, reproduzo interessante crônica da professora e escritora Elaine Rodrigues, postada no seu blog e-Redigindo, descrevendo como se deu o seu gosto pela música erudita e instrumental. Ao longo do texto ela nos oferece indicativo de obras musicais, compositores e intérpretes importantes. São dicas bastante convidativas. Vale a pena conferir cada uma delas!

Leia a seguir:

“Curte Música Clássica ou Instrumental? Então, chegue aqui!

Se você chegou aqui é porque tem um excelente gosto musical. Também já deve saber que a música clássica e instrumental fazem um bem enorme para a saúde.

Então, não preciso dizer que cientistas da Finlândia descobriram que ouvir frequentemente música clássica ativa genes responsáveis pela aprendizagem e memória.

Também não vou falar que um estudo da Universidade de Stanford comprovou que a música instrumental ajuda no controle emocional e psicológico, servindo como terapia para a depressão e a ansiedade.

Vou escrever sobre alguns artistas que me fizeram amar esses gêneros musicais.

Vou escrever sobre alguns artistas que me fizeram amar esses gêneros musicais.

sala
O dia em que fui assistir ao concerto na sala São Paulo. ❤ (Segunda visita.)

Desde a juventude, eu ouço música clássica. Ficava horas curtindo aquelas sinfonias e arranjos instrumentais. Ah! eu amava isso! Mas minha mãe detestava. Ela dizia: “Meniiiina, desliga essa música fúnebre!” (sic) 😀 Mas não tinha jeito! Eu ouvia e ainda gravava (em  fitas cassetes) as músicas clássicas que tocavam numa rádio.

E foi assim que conheci Johann Sebastian Bach. Claro, na época, eu nem sabia que ele foi um dos três maiores artistas da história da música (Bach, Beethoven e Mozart). Eu apenas queria ouvi-lo, sem nenhum tipo de melancolia ou nostalgia — eu escutava pela arte, mesmo.

Depois dessa fase, conheci a obra do maestro italiano Ennio Morricone em uma palestra. Foi amor ao primeiro som! Ennio é um dos maiores compositores da história do cinema. Ele compôs mais de 500 músicas para grandes filmes, como Os Intocáveis, Bastardos Inglórios e Cinema Paradiso (❤).  O músico também ganhou o Oscar de melhor trilha sonora no filme “Os Oito Odiados” (2016).

Michael Hoppé é outro músico que marcou o cinema e a televisão (e grandes momentos da minha vida!). Ele fez a trilha sonora da série “The Sopranos” e do programa “Oprah Winfrey”.  Michael tem mais de 30 álbuns com musicas instrumentais, e seus sons são muito usados na musicoterapia e em importantes celebrações religiosas.

Antes esses estilos musicais eram considerados antiquados e chatos. Mas artistas talentosos têm tornado a música clássica e instrumental mais atrativas e próximas ao público de hoje. Um exemplo disso é o cantor estadunidense Josh Groban (pop clássico sensacional) e o maestro brasileiro João Carlos Martins (incrível!).

Para mim, essas músicas não são condutoras de emoções e sentimentalismo inúteis (como vemos nas canções de hoje).  Tampouco possuem letras apelativas e sons viciantes (como algumas atuais… na mesma velocidade em que são excitantes e viciantes também são enjoantes). Ao contrário, o gênero clássico fala pouco, mas diz muito. São músicas que cantam à alma, à inteligência — e possuem vida.

P.S.: Dedico esse texto ao meu marido que não só aguenta meus gostos musicais (há 17 anos) como também faz questão de colocar uma musiquinha instrumental para eu dormir. ❤ 🎼 (Embora ele saiba que vou desligar a música depois, porque só  durmo no silêncio. rs)

P.S.2: Minha mãe gosta de forró rs.

Elaine Rodrigues
E-mail: eredigindo@gmail.com

Fonte: https://eredigindo.wordpress.com/2018/07/13/curte-musica-classica-ou-instrumental-entao-chegue-aqui/

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Educação, Livros e leitura, Músicas. Bookmark o link permanente.

8 respostas para “Curte Música Clássica ou Instrumental? Então, chegue aqui!”

  1. Olá gostei do post e vejo poucas publicações sobre musica clássica eu sempre gostei de musica clássica e apoiou quem faz este tipos de posts parabéns

  2. Obrigada pela referência!

  3. Excelente post. Nós, os fãs de música clássica, agradecemos!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s