Fortaleça a sua Inteligência Emocional – Novas dicas!

Imagem relacionadaCrédito de imagem: oespacodoconhecimento.com.br

Volto a falar sobre Inteligência Emocional (IE), assunto periodicamente enfocado aqui no blog. A última postagem, por exemplo, tratou  de sinais que indicam se a pessoa é emocionalmente inteligente (https://obemviver.blog.br/2017/08/07/os-18-sinais-que-indicam-que-voce-e-emocionalmente-inteligente/). 

Como tenho assinalado, a IE se insere no contexto do autoconhecimento. Mas o que é mesmo Inteligência Emocional?

De forma resumida, é a capacidade de reconhecer e gerenciar as emoções, ou seja, os nossos sentimentos e os sentimentos dos outros. Assim, é fácil concluir que saber lidar com as emoções faz bem no dia a dia. Segundo algumas autoridades no assunto, como o psicólogo Daniel Goleman, as pessoas emocionalmente inteligentes são mais confiantes, sabem trabalhar na direção de suas metas e demonstram maior adaptabilidade. Pesquisas já divulgadas revelam que, no geral, pessoas que alcançam grande sucesso e ficam famosas têm alto domínio de IE.

Depreende-se, facilmente, que ter alta Inteligência Emocional é fator efetivamente importante para a qualidade do desempenho e da forma de viver de qualquer pessoa. Em termos profissionais essa competência é cada vez mais exigida e valorizada, pois a atuação em equipe e a necessidade de potencializar as relações interpessoais ganha peso significativo, mais e mais, nos ambientes de negócios.

Para ampliar, ou reforçar, a compreensão a respeito do tema, trago hoje outra abordagem ilustrativa, também com sentido prático, de Muriel Maignan Wilkins, publicada na revista Harvard Business Review, que foi mencionada no LinkedIn em postagem de Jéssica Simões, exemplificando comportamentos de quem demonstra baixa IE e, por outro lado, algumas dicas de estratégias para ajudar no reforço dessa competência.

Assim, veja estes sinais de deficiência de IE:

“Você frequentemente tem a sensação de que os outros não entendem o que você fala e isso o deixa frustrado.

Você se surpreende quando as outras pessoas se sensibilizam com seus comentários e sempre acha que elas estão exagerando.

Você acha que ter uma boa relação com as pessoas do seu trabalho não é algo importante.

Você cria, com relação aos outros, as mesmas expectativas que tem sobre si mesmo.

Você culpa os outros pelos problemas que sua equipe de trabalho enfrenta.

Você acha irritante quando alguém espera que você saiba como ele está se sentindo.”

Agora, atente para estas estratégias que podem lhe ajudar com a IE:

“1. Obter feedback. Peça e ouça o feedback. Não se torne defensivo ao que ouvir. Compreenda e utilize como propulsor de mudança em comportamentos negativos seus.

2. Cuidado com a lacuna entre intenção e interpretação. Há uma grande diferença no que dizemos e no que os outros ouvem, ou seja, nem sempre a nossa intenção é a mesma que o impacto causado em quem nos ouve. Independentemente do que você pretende dizer, pense em como suas palavras vão afetar os outros e se é assim que você quer que eles se sintam.

3. Pressione o botão de pausa. Ter alta inteligência emocional significa fazer escolhas sobre como você responderá a situações, em vez de ter uma reação instintiva. Portanto, ouça a si mesmo e pare para ouvir os outros.

4. Usar ambos os sapatos. Desenvolva a empatia colocando-se verdadeiramente no lugar da pessoa, mas não descarte o que você sente. Tenha um equilíbrio em compreender o que é importante para você e para o outro.”

Como estamos aqui no campo do comportamento e do autoconhecimento, tratando de fatores subjetivos e sutis, a evolução nesses aspectos deve ser buscada continuamente, até porque não há fim. Ao contrário, sempre haverá espaço para aperfeiçoamento. Portanto, busque perceber e controlar emoções e sentimentos, nas mais diversas circunstâncias, e você terá incorporado um grande trunfo para a vida e para a carreira profissional. Pense e invista nisso. Vale a pena!

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Liderança, Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações, Psicologia e comportamento. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s