Português é hoje a quarta língua mais falada no mundo

Pode até ser surpresa para muitos, mas a matéria que reproduzo abaixo, publicada no site Cultura Alternativa, dá conta de que o português já é a quarta língua mais falada no mundo, ficando atrás do mandarim, do espanhol e do inglês.

O texto, escrito por Alessandra de Paula, do Ministério da Cultura, traz informações interessantes sobre a nossa língua, algumas comparações, curiosidades etc.

Olhando os números apresentados, chama a atenção o fato de que o Brasil, em virtude da sua elevada população, responde com cerca de 77% dos falantes da língua, de um total de oito países.

Indo além, ao pesquisar em outras fontes, apurei, por exemplo, que o português é considerado a sexta língua mais utilizada no mundo para negócios e o quinto idioma mais utilizado na internet. 

Bem, confiram a publicação transcrita a seguir:

“Português é hoje a quarta língua mais falada no mundo

 Português é hoje a quarta língua mais falada no mundo

Com mais de 800 anos de história – documentos mais antigos no idioma datam de 1215 –, a língua portuguesa vive em eterna transformação.

Desde o século XVIII, o número de palavras cresceu de 50 mil para 500 mil, e é atualmente a quarta língua mais falada do mundo, atrás do mandarim, do espanhol e do inglês. Ao todo, são 260 milhões de falantes do português, e este número deve crescer para 387 milhões em 2050, de acordo com projeções das Nações Unidas divulgadas em 2016.

O português é o idioma oficial de oito países – Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guinés Bissau e Equatorial, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste. Todos estarão representados na X Reunião de Ministros da Cultura da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que será realizada nos dias 4 e 5 de maio, em Salvador.

Em cada uma dessas nações, o idioma ganha contornos diferentes. “A língua tem a ver com o comportamento da sociedade. As pessoas a modificam continuamente. Por mais que ela tenha estabilidade para servir de meio de comunicação, as pessoas criam novos âmbitos. No passado, não existiam tantas profissões, hoje existem centenas. Evidentemente, isso traz novidades”, explica o professor Gilvan Muller de Oliveira, da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).

O português seria a última língua derivada do latim vulgar falado no Lácio, um sítio histórico da Itália, no qual a cidade de Roma foi fundada e cresceu até se transformar na capital do Império Romano. A língua portuguesa era considerada inculta, porque era falada pelas camadas mais populares, mas, sem perder a beleza jamais, como diz o poeta brasileiro Olavo Bilac (1865-1918), em seu soneto Língua Portuguesa, no qual se refere à língua como “a última flor do Lácio, inculta e bela”.

Hoje, somente em Portugal e no Brasil o português é a língua da maioria da população, a língua hegemônica. Nos demais países, o português é língua oficial, isto é, a língua do governo, da administração pública, da justiça, da educação etc., mas não é a língua empregada no dia a dia pela maioria da população. Por isso, nas ex-colônias portuguesas da África, assim como em Timor-Leste, o modelo de língua que se usa e se ensina é o português europeu. Quando comparamos o português europeu e o português brasileiro, as diferenças são realmente muito grandes em todos os níveis da língua: fonética (pronúncia), morfossintaxe (gramática), léxico (vocabulário) etc.

“Alguns estudiosos até preferem dizer que já são duas línguas diferentes, muito aparentadas, sim, mas com diferenças bem marcantes”, explica o professor de linguística da Universidade de Brasília (UnB) Marcos Bagno.

Em Portugal, o mouse do computador é chamado de rato. Em Angola, geleira significa geladeira, já no Brasil, é uma grande massa de gelo. Por outro lado, temos no dicionário brasileiro uma variedade de palavras que tiveram origem na África, mais especificamente do grupo bantu. Caçula, dengo, fubá, marimbondo, muvuca, cachaça, canga e banguela são algumas das palavras incorporadas ao nosso vocabulário que herdamos dos africanos.

No entanto, embora as pessoas em geral se atenham às diferenças de vocabulário, essas são as menos importantes. Segundo Bagno, o que faz uma língua ser diferente de outra é a sua gramática. “Não por acaso, desde o início deste novo século, diversos linguistas brasileiros têm publicado obras gramaticais específicas sobre o funcionamento da nossa língua, do português brasileiro, e não de uma ‘língua portuguesa’ genérica”, ressalta o professor.

Oliveira destaca que a surpresa dos brasileiros em relação a algumas palavras da língua usadas de outras formas é um sinal do nosso isolamento na comunidade que fala português. “Fora o Brasil, os outros países de língua portuguesa têm muita comunicação entre eles. O único isolado somos nós. Não passam na mídia brasileira programas de países de língua portuguesa. Tivemos o caso da novela portuguesa Equador, exibida dublada no Brasil em 2014. Lá fora, nosso português não é dublado. As estratégias para manter o brasileiro fechado são muito negativas para nossa circulação no mundo”, critica.

Acordo Ortográfico

Normas legais determinam a ortografia da língua portuguesa. Em 1931, houve uma primeira tentativa de acordo ortográfico entre Brasil e Portugal, mas que acabou sendo interpretado de forma diferente pelos dois países. Em Portugal, o Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, de 1940; no Brasil, o Pequeno Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa, de 1943, acompanhado de um formulário ortográfico. No intuito de acabar com as divergências, foi assinado um novo acordo ortográfico, em 1945, adotado apenas por Portugal, continuando o Brasil a seguir o Formulário Ortográfico de 1943.

Somente em 1990 os países chegaram a um consenso, assinando o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa, ratificado pelos países que compõem a CPLP. Mudanças como o fim do trema e novas regras para o uso do hífen e de acentos diferenciais tornaram-se oficiais no Brasil em 2016, com a entrada em vigor do acordo, adiada por três anos pelo governo brasileiro.

Para o professor Bagno, o acordo ortográfico é uma falsa questão, já que existem outras coisas mais importantes, como a educação do povo. “Temos a apavorante estatística de 75% de analfabetos funcionais, isto é, pessoas que tiveram algum acesso à cultura letrada, mas não a desenvolveram e, por isso, não conseguem ler e escrever de forma minimamente satisfatória. Em Portugal a nova ortografia ainda enfrenta muita resistência, e com razão: na medida em que considero que brasileiros e portugueses falam línguas diferentes, as diferenças ortográficas servem para assinalar essas distinções”, frisa.

Já para o professor Oliveira, o acordo tem sim sua importância. “O acordo trouxe uma reunificação da ortografia. Todos os países sentaram ao redor da mesa e combinaram. Não foi só um ato de Brasil e Portugal, como anteriormente. Nasce uma nova forma de olhar para o português. O acordo tem importância política, trata do modo como a língua é gerida. Para isso que a CPLP ajuda, e para isso que existe o Instituto Internacional da Língua Portuguesa da CPLP”, ressalta.

CPLP: Cooperação para o desenvolvimento

Criada em 1996, a CPLP é o foro multilateral privilegiado para o aprofundamento da amizade mútua e da cooperação entre seus países-membros. Entre seus objetivos estão o reforço da presença dos países no cenário internacional, a cooperação mútua e a materialização de projetos de promoção e difusão da língua portuguesa. Tem nove países-membros: Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Guiné Equatorial, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Na Declaração Consultiva da CPLP, os chefes de Estado e de Governo consideraram que a consolidação cultural que confere identidade própria aos países de língua portuguesa constitui um imperativo. Desde 2000, os ministros da Cultura da CPLP vêm produzindo recomendações sobre diversos temas que conformam os eixos estratégicos de cooperação cultural multilateral.

Alessandra de Paula

Assessoria de Comunicação

Ministério da Cultura

Publicado em – http://www.culturaalternativa.com.br/geral/materias/item/12126-portugues-e-hoje-a-quarta-lingua-mais-falada-no-mundo

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Língua portuguesa. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s