OS FILHOS ESCOLHEM OS PAIS – Repercussões e desdobramentos do vídeo postado dois meses atrás!

10Resultado de imagem para os filhos escolhem os pais

(Ouça o conteúdo em áudio, se preferir. Ao clicar no player novo link será aberto).

Em 7 de fevereiro, dois meses atrás, publiquei aqui no blog um vídeo revelador e impactante, ‘Os filhos escolhem os pais’, trazendo excelente reflexão apresentada por Ana Paula Cury, médica antroposófica, a respeito do que significam os filhos e, mais ainda, o porquê de virem para este mundo, o que buscam em seus pais etc. (Vide: https://obemviver.blog.br/2017/02/07/os-filhos-escolhem-os-pais-um-video-impactante/).

Pelo seu conteúdo e com duração de apenas 2:28, o vídeo despertou interesse e teve grande repercussão junto a seguidores e inúmeros visitantes do blog, muito provavelmente por tratar de importantes aspectos no campo da espiritualidade e, sobretudo, porque enfrenta e procura esclarecer uma questão existencial tão sutil como essa.

A partir de então, o referido post já recebeu mais de 600 mil visitas, do Brasil e de diferentes partes do mundo, e registrou mais de uma centena de comentários. Destes, alguns levantaram questionamentos acerca das afirmações apresentadas pela expositora. Como se trata de assunto relevante e com considerável nível de complexidade, senti necessidade de voltar ao tema e fazer esta postagem, repercutindo dúvidas e contribuições esclarecedoras que decorreram da divulgação do vídeo.

Para tanto, transcrevo, a título de exemplo, três respostas para comentários (questionamentos) específicos entre tantos que mencionei, para que se percebam a beleza, a importância do tema abordado e, melhor ainda, o domínio revelado pela doutora Ana Paula. Trata-se, assim, de natural desdobramento e certa complementação para o que está dito no vídeo, na expectativa de que possa ampliar as suas percepções, informações e compreensão a esse respeito. Leia a seguir: 

  1. Comentário (questionamento) de ‘estúdio trinta’: “conheço pessoas do bem, com caráter, família e que não têm filhos.

Resposta: “O fato de não se poder ter filhos não significa que alguém seria incapaz de criá-los com amor, nem que não mereceria ser escolhido. Todas estas questões, no entanto, tocam mistérios de um âmbito da vida que não pode ser conhecido somente com os sentidos comuns.
São questões muito importantes, e profundas que remetem ao conhecimento de leis da vida, como a da Reencarnação e Carma. Imaginemos, por exemplo, crianças que se tornam órfãs, ou abandonadas, e que anseiem e necessitem de alguém que as tomem com todo amor… Muitas vezes, as pessoas que escolherão se dedicar a elas são justamente as que não puderam gerar filhos de si mesmas, mas anseiam igualmente doar-se em amor a outros. Assim, pode acontecer que um ser humano em sua existência pré terrena, pré-natal, necessite de determinados pais biológicos que lhe vão conceder uma certa constituição física e vital, mas que quanto ao ambiente anímico ( psíquico), necessitem de uma outra condição que somente outro casal poderia prover. Há uma sabedoria imensa regendo encontros e relacionamentos como forças formativas de várias situações que vivenciamos.
Muitas vezes, os verdadeiros artistas podem intuir certos mistérios com sua sensibilidade. Deixo aqui um exemplo que a mim, me comove e está relacionado a esta questão: O Cântico XXIV de Cecília Meireles

Não digas: Este que me deu corpo é meu Pai.
Esta que me deu corpo é minha Mãe.
Muito mais teu Pai e tua Mãe são os que te fizeram
Em espírito.
E esses foram sem número.
Sem nome.
De todos os tempos.
Deixaram o rastro pelos caminhos de hoje.
Todos os que já viveram.
E andam fazendo-te dia a dia.
Os de hoje, os de amanhã.
E os homens, e as coisas todas silenciosas.
A tua extensão prolonga-se em todos os sentidos.
O teu mundo não tem pólos.
E tu és o próprio mundo.

Espero ter contribuído para a reflexão…
atenciosamente,
Dra Ana Paula I. Cury

2. Comentário (questionamento) de ‘Camila’: “Boa noite..lindo vídeo. Essa visão é um tanto da maneira Espírita de ver o mundo certo?”

Resposta: “Olá, Camila, embora você possa encontrar algumas semelhanças com os ensinamentos do Espiritismo, o fundamento em que se baseiam as afirmações apresentadas no vídeo tem outra fonte: A Antroposofia, apresentada ao mundo por Rudolf Steiner, filósofo austríaco, nascido em 27 de fevereiro de 1861 e falecido em 30 de março de 1925. Ele deixou extraordinárias contribuições no campo da ciência espiritual, além de fomento às artes, surgimento da Pedagogia Waldorf, Medicina Antroposófica, Agricultura Biodinâmica, e outras tantas práticas. Por oferecerem uma alternativa às cosmovisões e soluções materialistas, tiveram grande repercussão e inspiraram o surgimento de instituições e atividades antroposóficas em todos os continentes.
Se quiser saber mais, um começo pode ser visitar o site da Sociedade Antroposófica no Brasil… http://www.sab.org.br
abraços
Ana Paula

3. Comentário (questionamento) de ‘Rogério’: “O que dizer das crianças que nascem em ambientes de total caos em meio de pessoas desequilibradas , violentas e de péssimo caráter será que essas crianças realmente escolheram nascer ali , sera que essa criança escolheram nascer nesses ambientes e tendo pessoas de péssima índole como seus pais ?”

Resposta: “Prezado Rogério, para responder adequadamente a perguntas como a sua, seria preciso debruçar-nos sobre profundos mistérios da existência humana, mais particularmente aqueles que se relacionam com a assim chamada lei do carma e destino que pressupõe a ideia das vidas sucessivas, ou reencarnação. Segundo Rudolf Steiner, o ser humano enquanto ser espiritual, alterna suas passagens pela Terra com uma forma de existência espiritual incorpórea entre a morte e um novo nascimento. Tal como alternamos uma noite de sono, em que nossa consciência submerge, entre dois períodos diurnos em que permanecemos em estado de vigília. Ao cruzar o limiar da morte, o homem entraria nesta existência espiritual que abrangeria não só a colheita dos frutos da última existência terrestre, como sua ponderação, avaliação e proposição de novas metas para futuras existências, tendo em vista o quanto caminhou em sua evolução e o quanto ainda tem por cumprir. Certas intenções cármicas serão determinadas pela própria alma,assistida por seres divino espirituais que a acompanham nas diferentes fases desta jornada. Tais “escolhas”, portanto guiariam a preparação da futura existência terrena, e com base nelas, a época em que se encarnará, o local geográfico, o povo, a família, as aptidões, a constituição corpórea,e psíquica serão em boa parte buscadas, de forma a favorecer a consecução destes intentos. Porém, quando o ser torna a entrar na existência terrestre, sua consciência torna-se outra; ele não relembra o período passado entre a morte e o novo nascimento, nem tampouco como assumiu a intenção de compensar algo, ou expor-se a certas circunstâncias, ou vir a encontrar-se com estas e aquelas pessoas… Porém esta intenção está estabelecida nele. Embora ele não saiba que deve agir deste ou daquele modo para compensar este ou aquele fato, a força residente nele o impele a uma ação que constitui uma compensação. Nesta altura podemos fazer uma ideia do que ocorre quando alguém se vê numa situação muito dolorosa. Com a consciência que possui entre nascimento e morte, a pessoa ficará arrasada pela dor; porém, se recordasse as intenções assumidas na vida entre a morte e um novo nascimento, sentiria também a força que o impeliu ao lugar e circunstâncias onde teve a oportunidade de sofrer aquela dor, pois teria sentido que só passando por ela poderia alcançar o grau de perfeição que negligenciara e precisava reconquistar. Portanto, mesmo que a consciência comum nos diga ” a dor existe e tu sofres por causa dela” só considerando a dor pelo efeito, para a consciência que abrange o período entre a morte e o novo nascimento ( que submerge ao encarnarmos) a procura da dor ou de uma infelicidade qualquer poderia residir precisamente na intenção.
Considerando a vida humana de um ponto de vista mais elevado, podemos ver que certos acontecimentos podem apresentar-se como efeitos de causas situadas não só no decorrer da vida presente, podendo ser causados por uma outra consciência: aquela situada do outro lado do nascimento, na existência pré-natal, e que deu continuidade à nossa vida em tempos anteriores ao ingresso nesta existência terrena.
Compreendendo corretamente tais pensamentos, diremos que a princípio possuímos uma consciência extensível a todo o período entre nascimento e morte a qual podemos designar consciência da personalidade individual, ou consciência comum. Veremos também que pode atuar além do nascimento e da morte uma consciência que o homem desconhece em seu estado comum, mas que pode ser tão atuante como esta. Assim, quando uma pessoa é impelida a ir a um lugar ou colocar-se numa situação onde poderá sofrer uma dor, a fim de compensar algo e tornar-se um indivíduo melhor, isso também se origina nela — só que num estado de consciência mais ampla, que abrange também o período de sua existência pré-natal, no mundo espiritual. O ser que abrange esta consciência mais ampla é o nosso verdadeiro Eu superior, ou individualidade espiritual.

Bem, quem se interessar e desejar conhecer mais respostas para questionamentos sobre o assunto, acessem o post original (link acima) e verifiquem os muitos comentários que estão registrados por lá. Vale muito a pena!

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Meditação e Espiritualidade. Bookmark o link permanente.

2 respostas para OS FILHOS ESCOLHEM OS PAIS – Repercussões e desdobramentos do vídeo postado dois meses atrás!

  1. Sandra Fayad disse:

    De fato, Dáttoli. Este foi um dos post mais lidos e comentados do seu Blog. É interessante observarmos as preferências/necessidades das pessoas que acessam o que lhes oferecemos para leitrua/reflexão. A relação entre pais e filhos parece ser determinante para o sucesso ou nãonas demais áreas da vida material e espiritual, já que trata-se de uma relação mista desses dois aspectos interdependentes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s