Sonhei com as Zolimpíadas (do Sertão) – Um cordel sensacional!

Ainda por conta dos Jogos Olímpicos Rio 2016, encerrados no domingo passado, tem circulado pelas redes sociais, nos últimos dias, um cordel genial, de Djacy Veras, retratando como se dariam as Olimpíadas segundo a realidade e as tradições do sertão nordestino.

Confiram que poesia criativa, inteligente e bem-humorada (a seguir). Simplesmente, genial! 

Imagem capturada de areialterramistadaborborema.blogspot.com

“Sonhei com as Zolimpíadas

Chegando no meu sertão

Foi o maior espetáculo

Que se viu na região

Tinha gente que só a peste

Lá das brenhas do nordeste

Chegando de caminhão

No desfile de abertura

A bandeira nordestina

Toda feita de retalhos

Pelas mãos de Severina

E eu ali, de camarote

O bode virou mascote

A tocha era a lamparina

A nossa delegação

Para conquistar os louros

Desfilou de guarda-peito

Gibão e chapéu de couro

E enfrentando a batalha

Conquistou muitas medalhas

de bronze, de prata e ouro

Antes das competições

Um lanche bem reforçado

Com buchada, cajuína

Rapadura e milho assado

Fava verde com galinha

Sarapatel com farinha

Angu com bode guisado

Nas águas do Velho Chico

As provas de natação

Os pulos ornamentais

De cima de um paredão

Ginástica num terreiro

Remo e vela num barreiro

E judô num palhoção

ZOLIMPIADAS DO SERTÃO

PARTE II

A maratona, seu moço

Era por nossas estradas

Atravessando os riachos

Nas veredas, nas quebradas

Da paisagem nordestina

Ao som do galo-campina

E da patativa golada

Na competição de tiro

Os velhos de bacamarte

Pé-de-bode, granadeira

Vestimenta de zuarte

E davam cada pipoco

Do sujeito ficar môco

De se ouvir em toda parte

A prova de atletismo

Conhecida por carreira

De cem e duzentas léguas

Com barreira e sem barreira

Foi por dentro do cercado

Atravessando um roçado

Pelo meio das capoeira

Os saltos, lá no sertão

Eram provas de “pinote”

De riba de uma barreira

Num pedaço de caixote

O cabra de lá pulava

Num açude tibungava

Caindo feito um caçote

O jogo de futebol

Se jogava sem chuteira

Num campo de chão batido

No alto de uma ribanceira

As traves de barandão

O campo sem marcação

No calor e na poeira

Levantamento de peso

Quem ganhou foi Sebastião

Cinco sacos de Farinha

Três arrobas de algodão

Com esse peso todinho

Ele se ajudou sozinho

E se sagrou campeão

ZOLIMPIADAS DO SERTÃO

PARTE III

Quem carregou a bandeira

Foi Ritinha de Zé Bento

Já a pira foi acesa

Por Tonin de Livramento

Nosso atleta principal

E recordista mundial

Do hipismo de jumento

O arremesso de pedra

Quem ganhou foi Expedito

No tiro com baladeira

Carmelita fez bonito

E Já na queda de braço

O ouro foi pra Inaço

E a prata pra Benedito

Fizeram de três batentes

Pódio pra premiação

Com uns ramos de onze-horas

Era a coroação

E numa latada de lona

Asa branca na sanfona

Completava a emoção

E assim eu me acordei

Com orgulho do sertão

Desse povo vencedor

De tão grande coração

De história tão sofrida

Que nas batalhas da vida

Nasceu pra ser campeão

Autor: Djacy Veras ” 

Publicado em – http://www.gamalivre.com.br/2016/08/sonhei-com-as-zolimpiadas-do-sertao.html
Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Livros e leitura, Sem categoria. Bookmark o link permanente.

6 respostas para Sonhei com as Zolimpíadas (do Sertão) – Um cordel sensacional!

  1. Que delícia esse cordel. Gente inteligente que marca presença na história do nosso País.

  2. Jose Paes Landim disse:

    Parabéns ao autor por tão criativo cordel. O sertão, de onde onde acabo de chegar, em visitara ao Velho Chico, merece nossas homenagens de carinho. Grato pela lembrança.

  3. Edson disse:

    O poema acima é de minha autoria
    Edson Francisco. De Gavatá PE
    Favor fazer a devida.correcao

  4. Pingback: Cordel Sonhei com as Zolimpíadas – Retificação de autoria! | O Bem Viver

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s