Anúncios

Produtividade: O mais importante não é o que você pensa, mas como você pensa!

www.jornalcotiaagora.com.br

 

“o que difere campeões dos supercampeões é… ver e viver aquilo que ainda não aconteceu.”

 

O interessante artigo de Marc Tawil, publicado antes do início dos Jogos Olímpicos no boletim eletrônico LinkedIn Pulse, faz referência aos estudos que deram origem ao livro MAIS RÁPIDO E MELHOR, Editora OBJETIVA, de autoria de Charles Duhhig, o mesmo do famoso livro O Poder do Hábito.

Segundo o texto, um grande diferencial que leva aos super resultados é a visualização, a mentalização, ou o que chamamos de a habilidade de enxergar pronto. Nos processos de coaching já utilizamos de algumas técnicas para estimular a visualização do resultado desejado, que espera-se alcançar em determinado momento futuro. São boas e efetivas influências da chamada Psicologia Positiva que podem ser utilizadas por qualquer um, no cotidiano. O livro, pelo que está reportado na matéria, explora ricamente essa técnica.

Temos aí, portanto, importantes sacadas que podem incrementar a sua produtividade e, por consequência, os seus resultados.

Leiam o artigo a seguir:

“Adote apenas 1 hábito e torne-se incrivelmente produtivo

A festa, agora realizada dentro de casa, será esportiva, é óbvio, mas quem já assistiu a alguma edição dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos sabe que ela deixa exemplos e lições para toda uma vida.

Na Rio 2016, não será diferente.

Mas você, fã ou não do esporte, saberia dizer o que diferencia os 12 mil atletas, de 206 países participantes, dos pouquíssimos campeões olímpicos?

O que levou o supercampeão das argolas, o pequeno gigante brasileiro Arthur Zanetti, com apenas 22 anos, a conquistar o ouro em Londres 2012 e o condiciona como favorito na Rio 2016?

O que permite o jamaicano Usain Bolt ser, desde 2008, o homem mais rápido da terra, não tendo conhecido a prata nem o bronze em quase uma década?

Além de um domínio sobrehumano da técnica – e este domínio pode estar presente no DNA de diversos atletas –, o que difere campeões dos supercampeões é… ver e viver aquilo que ainda não aconteceu.

Parece estranho  – e é. Mas esta foi a resposta encontrada pelo editor de Projetos Especiais do New York Times, Charles Duhigg, vencedor do Prêmio Pulitzer de Jornalismo, que acaba de lançar o livro Smarter Faster Better: The Secrets of Being Productive in Life and Business.

A obra, focada na ciência da produtividade, foi traduzida para o português sob o título Mais Rápido e Melhor, os Segredos da Produtividade na Vida e nos Negócios (Editora Objetiva).

O livro explica, em oito capítulos, e com base nas últimas descobertas da neurociência, psicologia comportamental e economia, por que um grupo seleto de pessoas e empresas se destaca dos demais.

Duhigg analisou as experiências de CEOs, educadores, fuzileiros navais, agentes do FBI, pilotos de avião, compositores da Broadway e, claro, esportistas, para provar que, mais importante do que o que você pensa é como você pensa.

O autor mostra que a produtividade se baseia em fazer escolhas. Em como enquadramos as nossas decisões diárias e trabalhamos nossas ambições e objetivos. Em como inovamos e interagimos com os dados.

“Seu cérebro deve decidir o que merece atenção e que merece ser ignorado, e a forma como ele faz isso é comparar o que esperamos que vai acontecer com o que está realmente acontecendo”, explica Duhigg, também autor de O Poder do Hábito (Editora Objetiva).

Segundo Duhhig, a técnica principal de mentalização, mãe de todas as outras, é a visualização daquilo que seria ideal que ocorresse – cenários possíveis em nossa jornada e, de preferência, intensamente positivos.

“Quando você visualizou o seu dia antes de embarcar nele, será mais fácil para o seu cérebro filtrar informações irrelevantes e abraçar as coisas importantes que estão acontecendo”, prossegue o autor.

Vida real

A preparação mental é simples e poderosa. E, como bem explica o título do livro, pode ser amplamente aplicada no campo corporativo. Em Mais Rápido e Melhor, o autor pondera que a profunda força mental dos atletas vencedores também se mostra presente nos profissionais super bem sucedidos.

Agora que se sabe o que é a “modelagem mental”, como é que nós, mortais, aplicamos em nossos empregos e nas nossas rotinas caóticas e muitas vezes estressantes, com 500 afazeres por dia?

Duhigg sugere usar os primeiros minutos do dia – seja durante o café da manhã, o trajeto para o trabalho (ou na busca de um) ou ainda nos instantes de ócio – para imaginar, em detalhes, como será a sua jornada:

  • Como você desejaria que ela fosse?
  • Quais pessoas gostaria de encontrar?
  • Quais os primeiros passos deste dia?
  • E os últimos?
  • Ao deitar a cabeça no travesseiro, você se dará por satisfeito?
  • Terá você agido com dignidade, integridade e justiça?
  • Terá você dado o seu melhor?

O outro lado da moeda

No esporte, como na vida, há também o gosto amargo da derrota, do fracasso, daquilo que dá errado – ou muito errado – no dia. De acordo com a teoria de Duhigg, entretanto, este “lado sombra” tem muito menos desdobramentos se o roteiro positivo já tiver sido introjetado na sua cabeça.

Um plano mental bem elaborado ajuda você a descobrir como essas interrupções se encaixam no compto geral, o que, por sua vez, auxilia você a descobrir o que merece sua atenção e que deve ser ignorado, explica o autor.

Para finalizar, Duhigg deixa um conselho para aqueles que justificam estar sempre ocupados, sem tempo sequer de conseguir visualizar sua rotina sobrecarregada de compromissos e responsabilidades: “Aposte nas prioridades”.

Publicado em – https://www.linkedin.com/pulse/como-voc%C3%AA-imagina-seu-dia-%C3%A9-infinitamente-mais-produtivo-marc-tawil?trk=eml-b2_content_ecosystem_digest-recommended_articles-45-null&midToken=AQFJ3dl-EPlJpQ&fromEmail=fromEmail&ut=24kPjmEGJY3To1
Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Livros e leitura, Motivação e crescimento humano, O ser humano no contexto das organizações. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Produtividade: O mais importante não é o que você pensa, mas como você pensa!

  1. Sandra Fayad disse:

    A atitude mental realmente é determinante. Se houver interferência externa contrária, pode passar de determinante para mais provável, baseada na postura original. Certamente será melhor do que não se preparar .

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: