Da série “Não Escorregue na Língua” – Comunicação e expressão – Dica nº 2!

   www.abrecom.org

Volto à série “Não Escorregue na Língua”, iniciada semana passada aqui no blog, para falar hoje sobre o uso da crase. Vejam que texto inteligente, do professor Diogo Arrais, publicado no portal EXAME.com, a seguir transcrito:

“Uma aula de Machado de Assis para aprender a usar a crase

Thinkstock

homem lê livro antigo

Livro: conto “Missa do Galo” vai além das lições gramaticais

Editado por Camila Pati, de EXAME.com
* Texto de Diogo Arrais, professor de Língua Portuguesa do Damásio Educacional

Entedia-se mais quem não se rende aos encantos literários; entendia-se mais quem não se rende às constantes lições de uma senhora Literatura, que professa vocábulos sem-fim.

Em Missa do Galo, Machado de Assis, devido a uma sinfonia sintática particular, homenageia – de diversas formas – nossa Língua. Um trecho desse conto, inesquecível, professa aquelas raras aulas não somente gramaticais:

“Nunca tinha ido ao teatro, e mais de uma vez, ouvindo dizer ao Meneses que ia ao teatro, pedi-lhe que me levasse consigo. Nessas ocasiões, a sogra fazia uma careta, e as escravas riam à socapa; ele não respondia, vestia-se, saía e só tornava na manhã seguinte. Mais tarde é que soube que o teatro era um eufemismo em ação.”

Durante a leitura, é natural que existam observações vocabulares, linguísticas. Que, por exemplo, significa a palavra “socapa”, perguntaria o observador?

Socapa remete a “disfarce”, a “fantasia”, a “dissimulação”, a “sem que se veja”. Curiosamente, ao pesquisar o termo para este texto, deparei-me com o mesmo trecho de Missa do Galo, no próprio dicionário.

Já na oração “e as escravas riam à socapa”, o uso do acento aponta para uma locução adverbial feminina: um dos casos obrigatórios de crase.

Em outro termos, percebe-se que as escravas riam de uma maneira, de um modo furtivo, de um modo disfarçado. Como a expressão “à socapa” modifica a ação, é outrossim uma locução iniciada por “a”, o acento grave é obrigatório.

No dia a dia, as locuções adverbiais femininas são muito presentes: “estar à disposição”, “comer à francesa”, “pagamento à vista”, “falar à vontade” etc. Aliás, sem a presença do acento, ambiguidades ou outros problemas de compreensão ocorreriam.

Não bastasse a lição gramatical envolvendo o substantivo feminino “socapa” e o bom uso do acento, o escritor nos brinda com o eufemismo (recurso de linguagem responsável pela suavização ideológica) “…soube que o teatro era um eufemismo em ação”. Nesse instante, o espectador (leitor) pode fazer referências mentais diversas: atores, atrizes, palco, arte, …

Era um eufemismo em ação. Machado, o velho e eterno Machado, era a própria suavização, na elegância, em ação.

Como disse no início, rendendo-me aos encantos literários, meu tédio diminui.

Fonte – http://exame.abril.com.br/carreira/noticias/uma-aula-de-machado-de-assis-para-aprender-a-usar-a-crase
Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Livros e leitura, Sem categoria. Bookmark o link permanente.

2 respostas para Da série “Não Escorregue na Língua” – Comunicação e expressão – Dica nº 2!

  1. A nossa gramática é complicada e cheia de regrinhas que mais parecem pegadinhas. Esses exemplos são bastante interessantes! Nos dão a visão do quanto a crase, faz toda diferença em determinadas expressões.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s