Ranchinho de Adobe, uma poesia bucólica!

Vejam que poesia bacana, realmente bucólica e saudosista (no sentido positivo da palavra), retratando a vida na roça – onde tudo é muito simples, mas caloroso e encantador – de autoria da poetisa e amiga Sandra Fayad, uma goiana radicada em Brasília. Para quem teve alguma vivência com o ambiente rural, como foi o meu caso, a descrição trazida pela autora proporciona uma viajem ao passado e a oportunidade de rememorar hábitos e experiências inesquecíveis!

Rancho

“RANCHINHO DE ADOBE

(Sandra Fayad)

Cresci em um ranchinho de adobe

Que ajudei ao meu pai enfornar.

No fogão à lenha, minha mãe

Assoprava cinzas pra cozinhar.

Dormi em catres de aroeira,

Colchões fiados, cosidos

E recheados de palha de milho,

Travesseiros com gomos de algodão.

Comi arroz e feijão peneirados e assoprados,

Pães e biscoitos assados em forno de barro.

Lá galinha ciscava no quintal,

Porco roncava no chiqueiro,

Vaca mugia no pasto,

Cavalo capinava no terreiro.

Meus heróis eram meus pais.

Tínhamos comida para o gasto,

Liberdade pra dar e vender,

Saúde pra distribuir,

Fé em Deus e no Anjo da guarda.

 

Cresci em um ranchinho de adobe

Na beira do Rio São Marcos,

Rodeada de passarinhos, sapos, grilos,

Cobra d’água, cascavel, jararaca, bois, vacas e bezerrinhos.

Joguei  milho às galinhas, patos, gansos e pintinhos

No chiqueiro alimentei leitões nos cochos,

Nas matas aprendi a distinguir onça de leão,

Cobra mansa de venenosa.

Conheci carrapatos e borrachudos,

Bicho de pé, piolho e frieira.

Escovei dentes com malva-rosa

Banhei-me em bica,  com bucha de pé,

Sabão de sebo e gosma de babosa.

Curei ferimentos com arnica,

Tomei óleo de rícino e copaíba.

Desci ladeira, trepei em árvores,

Dependurei-me nos galhos mais finos,

E lá de riba, avistei Deus no trono

Rodeado de Anjos tocando sinos.

Bsb, 15-08-2014″

Fontehttp://www.sandrafayad.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=4926145

Anúncios

Sobre JCDattoli

Este blog foi idealizado para compartilhar reflexões e discussões (comentários, frases célebres, textos diversos, slides, vídeos, músicas, referências sobre livros, filmes, sites, outros blogs) que contribuam para a realização e o crescimento do ser humano em toda a sua essência e nas dimensões pessoais e profissionais. Almejo que o ser humano se mostre cada vez mais virtuoso, atento e disposto a servir o próximo em cada momento da sua existência. Atuei profissionalmente por quatro décadas, com bastante intensidade, nas áreas pública e privada. Ocupei de cargos técnicos a postos de chefia e direção. Neste novo momento, pretendo ajudar pessoas a atingir outros patamares na vida – e na profissão. Dedicarei parte do tempo para ações sociais/humanitárias (acabo de retomar o projeto 'música para idosos'), além de assegurar espaços na agenda para reflexões e meditações. Gosto de ler, de praticar atividades físicas e de cantar-tocar violão. A família e as amizades são preciosas matérias-primas na construção do bem viver. Apesar das incongruências, desencontros e descaminhos humanos, tenho por missão dedicar-me mais e mais às pessoas como contributo para um mundo verdadeiramente melhor!
Esse post foi publicado em Poesia. Bookmark o link permanente.

10 respostas para Ranchinho de Adobe, uma poesia bucólica!

  1. Uma poesia doce, linda! Gostei muito! Bjs

  2. Rejane Lima disse:

    Lendo essa poesia do Ranchinho de Adobe, revivi toda a minha infância.
    Pude perceber que apesar de tudo fui feliz, tive a liberdade que hoje nossas crianças não conhecem.

  3. Sandra Fayad disse:

    Dáttoli, agradeço pela gentileza de publicar essa poesia que escrevi com as lembranças vivas guardadas no arquivo morto da memória. Abraço

  4. Viriato Ribeiro Caram disse:

    Salve Sandra, salve Dáttoli! Deixo-lhes a minha gratidão por ter sido inebriado pela beleza do poema. Não vivi em lugares como o retratado, entretanto, a força das palavras da Sandra me fizeram sentir como se ali tivesse estado presente num remoto passado. Novamente, obrigado pela emoção que me envolveu.

    • JCDattoli disse:

      Caro Viriato, sem dúvida, a Sandra foi muito feliz. Agradeço pela sua presença no blog e pelo comentário!
      Abs

      • JCDattoli disse:

        Viriato, a Sandra comentou, em mensagem que enviou para mim: “Viriato, às vezes fico pensando se ainda exitem lugares e rotinas como a que descrevi e que vivemos. Obrigada pelo seu comentário tão emocionante e generoso.”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s